terça-feira, 28 de junho de 2011

Zenvo ST-1 50S


A Zenvo e a Red Sea Distribution, concessionária exclusiva da marca dinamarquesa na América do Norte, criaram uma edição limitada do ST-1 para os Estados Unidos, chamada 50S. O carro possui rodas de magnésio, bancos monogramados, plaqueta numerada individualmente para cada uma das três unidades que serão construídas, além de um relógio de pulso Aspen, no valor de 49 mil dólares.

A usina de força do carro é um motor 7.0 V8 com supercharger, que produz 1.250 CV de potência e 1.106 libras de torque. A transmissão é de sete velocidades e pode fazer o carro acelerar da inércia aos 100 km/h em menos de três segundos e atingir a velocidade máxima de 375 Km/h, limitada eletronicamente.

Cada uma das três unidades do Zenvo ST-1 50S que serão feitas será de uma cor: Intense Red, Crystal White e Mediterranean Blue, e custará 1,8 milhão de dólares.

Top Gear: Caterham 7 Superlight R500 vs. Veritas RS3


Kart Racing Pro - Rubber Build-Up - Work In Progress


segunda-feira, 27 de junho de 2011

Mario Andretti: "o que eu teria feito diferente"


Na noite da centésima edição das 500 Milhas de Indianápolis, a revista Car And Driver entrevistou Mario Andretti, de 71 anos, o único da família Andretti a vencer uma das provas mais famosas do mundo, para saber mais sobre seus sucessos e fracassos na lendária Indianapolis Motor Speedway.

Desenvolvendo um site no Facebook

Começando com um pouco de teoria

O Facebook é, sem dúvida, a maior rede social do mundo. Sua ascensão é exponencial e muito à frente de seus concorrentes, com centenas de milhões de usuários em sua base. E seu grande trunfo foi desenvolver uma plataforma fácil e abrangente para que desenvolvedores pudessem utilizar as vantagens da socialização a seu favor.

Logo, é possível desenvolver um website completo dentro do Facebook, com menus, animações, hiperlinks, e mais ainda, com interações diretas com perfis, preferências do usuário, seus amigos, etc.

Antes de tudo é necessário entendermos a diferença entre ter um PERFIL e uma PÁGINA no Facebook. Ao contrário do nosso amigo Orkut que apenas permite a criação de perfis, independentemente de ser uma empresa ou uma pessoa, o Facebook saiu na frente por saber diferenciar estes dois tipos de perfis.

Um PERFIL refere-se a um indivíduo, uma pessoa que possui gostos, preferências, amigos, trabalhou em lugares, etc. Para ser amigo de um perfil, é necessário solicitar uma amizade e esperar que o mesmo lhe aceite.

Já uma PÁGINA refere-se a um ambiente público (qualquer pessoa pode visualizar sua página na internet, independente de estar logado no Facebook) onde é possível criar "abas" personalizadas, construindo um menu com páginas informativas através de "aplicações", as Facebook APPs.

Com muita frequência vemos muitas empresas ainda com o costume do Orkut, possuírem apenas perfis no Facebook. Isso traz muitas desvantagens, tais como:

- É necessário autorizar as pessoas que solicitam amizade com seu perfil empresarial;

- Não é possível construir um menu personalizado, nem inserir APPs no seu perfil;

- As informações do seu perfil terão características de uma pessoa, ou seja, imagine um perfil de empresa onde você tenha que preencher informações como: sobre mim, lugares onde trabalhei, estudei, gostos musicais, família, etc.

- Não é possível aproveitar os recursos de anúncios que o Facebook oferece muito menos acesso aos relatórios de visitas detalhados (e gratuitos);

- Perfis possuem um número limite de amigos;

- Algum dia o Facebook pode remover seu perfil empresarial sem aviso prévio.

Mas a boa notícia para quem já começou por este caminho do perfil é que, há pouco tempo, o Facebook liberou uma fantástica ferramenta que simplesmente transfere todos os amigos de um perfil automaticamente para "curtidores" de uma página.

Saiba mais em: facebook.com/pages/create.php?migrate

Um pouco mais de teoria (é importante)

Há alguns meses atrás, o Facebook disponibilizava como ferramenta de construção de "abas" uma linguagem própria chamada FBML (Facebook Markup Language). Mas era possível também desenvolver um APP (facebook.com/apps/directory.php) utilizando páginas hospedadas em seu próprio servidor, sendo apenas "puxadas" para dentro de um IFRAME.

Só que o FBML, por ser uma linguagem própria do Facebook, também possuía diversas limitações e regras, como por exemplo, a impossibilidade de você usar jQuery, fora uma leve curva de aprendizado. Então recentemente a linguagem foi extinta e agora só é possível desenvolver páginas personalizadas utilizando os Facebook APPs.

Então basicamente para construirmos nosso site no Facebook precisaremos:

- Criar uma página: facebook.com/pages/create.php

- Fazer um cadastro como desenvolvedor de APPs no link: facebook.com/developers

- Ter pelo menos 25 pessoas curtindo sua página (com esse número mínimo podemos atribuir uma URL personalizada. Ex.: facebook.com/minhapagina);

- Construir páginas HTML já fatiadas e hospedadas em um servidor próprio que serão "puxadas" através da URL absoluta;

- Estratégia e criatividade (não basta apenas dizer que tem uma página no Facebook pra fazer pinta de bacana, faça com estratégia).

Agora sim! Mãos à obra!

A parte mais trabalhosa de todo o processo de construção sem dúvida é produzir cada página que será a "aba" do seu menu. O restante será apenas configurar cada uma delas como um APP e em seguida atrelar à página desejada (uma mesma APP pode ser atrelada a diversas páginas ao mesmo tempo desde que você seja o administrador delas).

O primeiro passo é montar o layout de cada página respeitando as medidas e limites de onde elas serão inseridas no Facebook, conforme modelo abaixo:


Basicamente o layout do Facebook disponibiliza uma área com largura limitada (a altura é livre) com um IFRAME que irá exibir dentro de si cada página do menu.

Recomendo que ao criar suas páginas em seu próprio servidor, separe cada uma em uma pasta com seu respectivo nome. Ex.: /home, /contato. Mais na frente veremos por quê. Não tenha restrições, pode usar jQuery, linguagem de programação, Flash, o que bem entender. Tudo o que rodar dentro de um IFRAME funcionará sem problemas.

Criando um APP

Monte um HTML com o CSS, tudo prontinho no seu servidor já publicado on-line. Agora vamos à nossa área de desenvolvedor (facebook.com/developers) para criar um novo APP:

Clique no botão "+ Set Up New App":


Dê um nome para seu APP (página) e leia os termos do Facebook antes de continuar:


Depois de validar o captcha, iniciaremos a configurar nossa APP.

Nesta primeira orelha de configurações você preenche as informações gerais de sua APP como descrição, idioma, e-mails de contato, etc. Você também pode usar um ícone personalizado no formato 16x16 pixels, em GIF ou PNG. Se não quiser preencher tudo, podemos seguir para a próxima orelha.


Nesta segunda orelha de configurações saberemos qual nosso "Application ID" (guarde este número, pois usaremos mais à frente). No campo "Site URL" coloque a URL principal do seu site. ex.: http://www.meusite.com.br. Caso use subdomínios, preencha o campo "Site Domain":


Agora é a etapa mais importante, vamos configurar a integração da sua APP com a página do Facebook. Em "Canvas Page", você definirá um nome único para sua URL de APP que também poderá será acessada diretamente, sem precisar da página do Facebook. Ex.: http://apps.facebook.com/minha_pagina

Em "Canvas URL" você deverá preencher com a URL completa da página hospedada em seu servidor. Lembra que recomendei colocar cada página em uma pasta? O motivo é que a URL não poderá citar um nome de arquivo como por exemplo: http://meusite.com.br/home.php, mas sim uma pasta. Para evitar que o Facebook exiba um alerta sobre mudança de protocolo seguro, coloque também a URL segura da página de seu servidor. Ex.: https://meusiteseguro.com.br/home.php

Em "Tamanho do IFrame" é importante definir a opção "Auto-resize" para que o IFRAME da página não tenha uma barra de rolagem. Mais à frente veremos a solução deste problema.

Mais abaixo, em "Page Tabs", você definirá o nome da "aba" que ficará no menu e repetir as URLs do seu servidor inseridas no passo anterior em "Link da guia" e "Secure Tab URL":


As demais orelhas de configuração são opcionais e mais avançadas, logo clicaremos em "Salvar Alterações" e seguiremos para o último passo que será atrelar a APP a uma página que você seja administrador. Clique em "Application Profile Page":


Estamos na página independente da APP. É aqui que faremos o processo final de atrelar a APP à página no Facebook. Clique em "Adicionar à minha página". Serão listadas as páginas que você administra. Basta clicar no botão de cada página que você queira inserir a APP como aba e pronto!
O procedimento é burocrático, mas necessário, e você deverá repetir todo o processo para cada nova aba de seu menu. Qualquer alteração feita nas páginas, no seu próprio servidor será refletido automaticamente na página do Facebook.

 Houston, we have a problem!

O Facebook por padrão estipula uma altura fixa para o IFRAME que "puxará" suas páginas. Logo, você vai perceber que uma barra de rolagem será gerada devido ao excedente de altura. Por sorte ele também oferece a solução com uma função própria em Javascript que ajusta automaticamente a altura do IFRAME conforme a altura do conteúdo da sua "aba". Insira o código abaixo logo após o de cada página:

<div id="fb-root">div>
<script type="text/javascript">
     window.fbAsyncInit = function() {
        FB.init({
            appId  : ID_DA_SUA_APLICAÇÃO (Application ID),
            status : true,
            cookie : true,
            xfbml  : true 
        });
        FB.Canvas.setAutoResize(); //set size according to iframe content size
    };
    (function() {
        var e = document.createElement('script');
        e.src = document.location.protocol + '//connect.facebook.net/en_US/all.js';
        e.async = true;
        document.getElementById('fb-root').appendChild(e);
    }());
<</script>
 
Não se esqueça de inserir seu "Application ID" que você anotou anteriormente no parâmetro appId.

iMasters

Woman Solves Global Warming! Someone get Al Gore on the phone, and tell him not to listen to this girl's ideas.


domingo, 26 de junho de 2011

2011 24h-Rennen Nürburgring Nordschleife Highlights


Start




Dörr Motorsport Porsche 911 GT3 Cup Onboard Start




Leaders in traffic




Audi R8 LMS Battle Stippler vs. Scheider




Audi R8 LMS Big Crash




BMW 318 IS flips over barriers




Leading BMW M3 GT crashes at Karussell




Porsche 911 GT3 Hybrid slows




Leading Lots of Sparks from the Audi R8 LMS




Pit Entry Crash




Massive Crash BMW Z4 GT3 flips over barriers




BMW M3 GT Onboard




Finish! Manthey Team back on top!


1st #18 MANTHEY RACING
Romain Dumas/Timo Bernhard/Marc Lieb/Lucas Luhr
Porsche 997 GT3 R SP9 GT3
156 laps

2nd #1 BMW MOTORSPORT
Jörg Müller/Üwe Alzen/Augusto Farfus/Pedro Lamy
BMW M3 E92 GTR E1-XP2
156 laps

3rd #14 AUDI SPORT TEAM PHOENIX
Marcel Fässler/Andrea Piccini/Frank Stippler/Marc Basseng
Audi R8 LMS SP9 GT3
155 laps

4th #15 AUDI SPORT TEAM PHOENIX
Frank Stippler/Marc Hennerici/Christopher Haase/Markus Winkelhock
Audi R8 LMS SP9 GT3
154 laps

5th #16 AUDI SPORT TEAM ABT SPORTSLINE
Mattias Ëkström/Timo Scheider/Marco Werner/Christian Abt
Audi R8 LMS SP9 GT3
154 laps

6th #22 BLACK FALCON
Kenneth Heyer/Thomas Jäger/Jeroen Bleekemolen/Jan Seyffarth
Mercedes SLS AMG GT3 SP9 GT3
153 laps

7th #32 HEICO MOTORSPORT
Christopher Brück/Lance David Arnold/Alex Margaritis/Christiaan Frankenhout
Mercedes SLS AMG GT3 SP9 GT3
153 laps

8th #2 HANKOOK TEAM FARNBACHER
Dominik Farnbacher/Allan Simonsen/Marco Seefried/Jaime Melo
Ferrari F458 Italia SP8
152 laps

9th #26 MSC ADENAU E.V.
Klaus Abbelen/Sabine Schmitz/Niklas Kentenich/Tim Bergmeister
Porsche 997 GT3 R SP9 GT3
152 laps

10th #12 WOCHENSPIEGEL TEAM MANTHEY
Georg Weiss/Oliver Kainz/Michael Jacobs/Jöchen Krumbach
Porsche 997 GT3 MR SP7
151 laps

iRacing - Version 2.0 Video Trailer


sábado, 25 de junho de 2011

Mercedes GP MGP W02 - Rockingham Motor Speedway - Onboard with Michael Schumacher and Nico Rosberg


RUF History


2012 MINI Cooper Coupé


Após exibir o protótipo e o carro camuflado em testes, a MINI revelou o Cooper Coupé. A nova opção de carroceria do compacto britânico tem apenas dois lugares e, nesta primeira aparição em formas definitivas, traz o pacote esportivo John Cooper Works.

O modelo é o quinto integrante da família MINI, formada pelo hatch Cooper, a perua Clubman, o roadster/conversível Cabrio e o utilitário esportivo Countryman. Sua estréia mundial será em setembro, no Salão do Automóvel de Frankfurt, na Alemanha. No mesmo mês, suas vendas já terão início na Europa e em outros mercados, como o brasileiro.

Um dos destaques do novo Cooper Coupé é o aerofólio retrátil, que fica escondido na parte traseira, e trata-se do primeiro MINI com três volumes claramente ressaltados. O desenho segue a identidade dos outros modelos, com destaque para o teto curtinho e arqueado, com pintura vermelha, diferente do restante da carroceria na fotos. Três versões serão oferecidas: a normal, a esportiva S e a preparada John Cooper Works.

Sob o capô, o Cooper Coupé carrega a mesma mecânica dos outros modelos da MINI. Na configuração básica, o motor 1.6 16V aspirado, de quatro cilindros, à gasolina, rende 122 CV de potência, acoplado ao câmbio manual de seis marchas, e a transmissão automática, também de seis velocidades, é opcional. Já na versão turbo S, o bloco despeja 184 CV, potência que, no modelo preparado da série John Cooper Works, sobre para fortes 211 CV. Segundo a empresa, o JCW acelera de zero a 100 km/h em 6,4 segundos e chega aos 240 km/h.

Sobre a tampa do porta-malas fica um aerofólio que se ergue sozinho acima dos 80 km/h. A cabine é praticamente a mesma dos outros modelos, com a ressalva de não contar com o banco traseiro. Algumas soluções controversas, do ponto de vista da praticidade, como o enorme velocímetro central, e os confusos botões, agrupados no console central, foram preservadas em nome da estética. O espaço atrás dos bancos, e do porta-malas, é escasso.

Todas as versões são equipadas com Controle Dinâmico de Estabilidade (DSC) de série, além de ar-condicionado, direção com servo-assistência elétrica, sensores de estacionamento, sistema de som com entrada auxiliar, e leitura de arquivos em MP3. A lista de opcionais inclui faróis de xênon (oferecido de fábrica nas versões mais caras), faróis adaptativos, preparação para instalação de rack traseiro, sistema de som de alta qualidade, fabricado pela Harman Kardon, Bluetooth e conectividade móvel, que inclui acesso a rádios online e redes sociais.

COMPLETE 2012 MINI LINEUP PRICING AND UPDATES

Woodcliff Lake, NJ – June 20, 2011

Model/Variant MY2011 MY2012
MINI Coupe
Cooper -- $22,000
Cooper S -- $25,300
John Cooper Works -- $31,900

MINI Hardtop
Cooper $20,100 $20,200
Cooper S $23,700 $23,800
John Cooper Works $29,800 $30,600*
* John Cooper Works model now includes aero kit as standard for 2012 MY (option in 2011 MY)

MINI Clubman
Cooper $21,800 $21,900
Cooper S $25,500 $25,600
John Cooper Works $32,000 $32,100

MINI Convertible
Cooper $25,550 $25,650
Cooper S $28,550 $28,650
John Cooper Works $35,000 $35,800*
* John Cooper Works model now includes aero kit as standard for 2012 MY (option in 2011 MY)

MINI Countryman
Cooper $22,350 $22,450
Cooper S $25,950 $26,050
Cooper S ALL4 $27,650 $27,750
All 2012 pricing includes a $700 Destination and Handling charge (unchanged from 2011).

Equipment / Technology Changes Versus 2011MY Vehicles
In regards to model year updates versus 2011, changes for the MINI Hardtop, Convertible, Clubman and Countryman models will be related to customization.

MINI Yours debuts in 2012MY, which is a more premium and very exclusive series of options from upholstery, interior surfaces and exterior colors that can be purchased as a package or as individual options. MINI Yours interior options include:

An instrument panel covered in a smooth two-tone soft-touch leather that has exposed stitching
Two-tone leather steering wheel
The new MINI Yours 17" alloy wheel - on all Cooper and Cooper S models
MINI Yours pattern "Soda" mirror caps, which have a three-dimensional effect
MINI Yours Soda pattern Lounge Leather, where the unique Soda pattern appears on the sides of the backrests and headrests, and a contrasting black leather stripe runs down the middle of the seats and is offset with a premium piping

Cosmopolitan floormats will be standard on all MINI models sold in the US.

The model year 2012 John Cooper Works Hardtop and Convertible will be equipped standard with the JCW aero kit.

Specific Color / Option Changes by Model
MINI Clubman
The lower C-pillars are now available in body color for Laser Blue, White Silver, British Racing Green II, Eclipse Gray and Pepper White.

MINI Hardtop and Clubman
New standard wheel for Cooper models is the 15" 7-Hole wheel, replacing the 5-Star Spooler.

MINI Hardtop, Convertible, Clubman and Countryman A new option is an interior mirror with a digital compass.

MINI Hardtop, Convertible and Clubman
Cross Check Cloth/Leather in Polar Beige will be now available on all body styles, along with Satellite Gray Lounge Leather and Carbon Black Cloth/Leather.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Onde ficam posicionados os escapamentos do motor do Renault R31...



...ainda tem dúvidas?

A regulamentação da profissão será uma pá de cal no setor de TI

Quantas vezes já não ouvimos a expressão “em time que está ganhando não se mexe”? E, ainda mais em time que está em vasta expansão, como o mercado brasileiro de tecnologia da informação.

O Projeto de Lei do Senado (PLS) nº 607/2007, que visa regulamentar a profissão de analista de sistemas, gerando a obrigatoriedade do diploma para exercer as funções no setor, nada contra a corrente de uma necessidade que a área de TI possui de cativar novos profissionais entrantes para o segmento.

Atualmente, o setor vive um completo paradoxo: enquanto os grandes debates apontam um futuro crescente e brilhante, ao mesmo tempo clama por profissionais, que chega a um déficit representado por dezenas de milhares de posições de trabalho em aberto. Ou seja, enquanto deveria se criar incentivos para solucionar esse problema de mão-de-obra, garantindo a continuidade da expansão do mercado, esse projeto de Lei, se aprovado, pode vir a desacelerar o crescimento, proporcionando uma série de exigências que travariam o funcionamento do setor.

Ao olharmos para trás, e considerarmos os fatores que pregam a PLS 607/07 como válidos, grandes empresas não teriam sido concebidas, ou então, ao menos, teriam tido o sucesso de certa forma atrasado, como as clássicas e históricas criações do Facebook e da Microsoft - esta desenvolvida por Bill Gates quanto tinha apenas 19 anos, e nenhum diploma universitário.

Em tempos em que tratamos de gerações de profissionais que se caracterizam pelo dinamismo e pela versatilidade, a regulamentação do exercício de analista de sistemas viria para engessar e para criar amarras, enquadrando as empresas em leis arcaicas, inflexíveis, que venham a desestimular e a gerar atritos entre empresas e sindicatos.

Já o profissional que acredita que essa mudança virá para o bem, encontrará um excessivo enrijecimento e uma burocratização excessiva para exercer a atividade, causando a restrição da demanda, acarretando na redução do mercado e da mão-de-obra.

Em resumo, os próximos anos do setor de TI prometem algo importante: ou realizaremos todas as previsões otimistas, consolidando-nos como uma das principais vertentes da economia do país, ou seremos condenados a ser uma eterna promessa, cujo fracasso se deu por uma precipitada e obsoleta decisão legislativa.

iMasters

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Nico Rosberg and Ross Brawn explain how a Formula One gearbox works


Como o atendimento influencia os clientes?

Atendimento personalizado. Esse é o desejo dos consumidores atuais, e não há escapatória para as empresas que querem conquistar mais clientes. Com a padronização de preço e de produtos, o atendimento se tornou o grande diferencial de uma loja online.

Recados e pendências sem retorno, pedidos entregues com atraso e falta de compromisso são posturas contrárias aos clientes e só prejudicam a empresa, mostrando que nem todas estão preparadas para assumir a responsabilidade de bem atender. A qualidade de um atendimento só é visível quando a satisfação dos clientes é percebida.

Porém, quais as melhores práticas para atrair e fidelizar o perfil mais curioso e exigente de consumidor? Será que sua loja está transmitindo aos clientes que é uma empresa comprometida com sua satisfação? Observe as posturas abaixo e compare com seu atendimento atual:

1. Promessa é divida

Por que é importante? Prometer o que pode cumprir e cumprir tudo aquilo que prometer faz com que o cliente tenha confiança nas negociações realizadas em sua loja virtual. Qual o retorno para a loja? O cliente saberá que sempre poderá contar com a loja, pois ela possui uma postura de seriedade, apresentando prazos corretos e cumprindo com os todos os tópicos relacionados na negociação.

2. Nada mais que a verdade

Por que é importante? Nas negociações, a verdade para com os consumidores nunca deve faltar. Mentir ou omitir informações para o cliente é algo grave e antiético.

Qual o retorno para a loja? O cliente sente-se seguro ao negociar com a empresa que fala a verdade. É importante ter em mente que o consumidor é capaz de perdoar falhas, afinal somos humanos. Mas não perdoará enrolação e mentira.

3. Lição de casa

Por que é importante? Antes de priorizar inovações na loja virtual, é fundamental garantir qualidade e competência em todos os serviços já atuantes em seu empreendimento.

Qual o retorno para a loja? O cliente, ao verificar a qualidade dos serviços que a loja disponibiliza, aceitará de bom grado todas as novidades implantadas, pois entende que tudo correrá com as características que já conhece.

4. A facilitação

Por que é importante? O mercado virtual tem a proposta de facilitar a vida dos consumidores, permitindo que eles negociem sem sair de casa. Portanto, seu e-commerce precisa facilitar a vida do cliente.

Qual o retorno para a loja? É automático: todas as vezes que seu cliente precisar comprar algo de forma facilitada, lembrará que sua loja dá preferência a esse aspecto.

5. Calma e paciência

Por que é importante? No comércio eletrônico, perceber que o lojista é impaciente ao auxiliar no processo de compra é muito prejudicial à empresa. Isso porque há novos consumidores chegando ao e-commerce, e eles precisam de um acompanhamento calmo até se adaptarem à ideia de comprar pela internet.

Qual o retorno para a loja? O consumidor desenvolve uma confiança com a loja virtual e se fideliza ao entender que é atendido com respeito e atenção por uma empresa profissional.

6. O compromisso da empresa

Por que é importante? Nada pior que a indiferença. No e-commerce, o sentimento é o mesmo. Se o seu cliente faz uma reclamação, um comentário ou uma sugestão, não tenha dúvidas de que ele vai querer um retorno da sua loja.

Qual o retorno para a loja? Cliente satisfeito é aquele que sabe que possui um papel importante diante da empresa com quem negocia e, além disso, entende que a loja virtual tem um compromisso firmado com ele.

7. A personalização

Por que é importante? Atualmente, as lojas virtuais já não possuem muitos diferenciais para que possam se destacar no mercado online. Por isso, o atendimento é a melhor forma de apresentar aos clientes um benefício que possa conquistá-los.

Qual o retorno para a loja? Um atendimento personalizado é mais do que um bom atendimento. É algo direcionado ao perfil de seus consumidores e, por mais que seus clientes sejam exigentes, eles saberão reconhecer um atendimento eficaz e satisfatório.

O atendimento que é disponibilizado em sua loja influencia os clientes a permanecerem como consumidores constantes ou não. Se os clientes percebem que seu atendimento é personalizado conforme suas características, que a empresa tem um caráter sério, verdadeiro, atencioso, compromissado e facilitador, certamente eles serão fidelizados, promovendo, ainda, a ampliação da divulgação do seu e-commerce.

Boas vendas!

iMasters

quarta-feira, 22 de junho de 2011

David Coulthard drives Red Bull Racing's Formula One Simulator


O escocês David Coulhard teve uma oportunidade de experimentar como é ser piloto de Fórmula 1 nos tempos atuais, com um volante com bem mais funções que quando ele parou de correr, em 2008.

No simulador da Red Bull, David teve que lidar com todas as funções do volante, como regulagens de diferencial, KERS e embreagem, enquanto percorre as ruas do principado de Monte Carlo.

No final, como nem tudo é perfeito e sempre há algum bug, David, ao perder o controle do carro, atravessa um guard rail e cai no mar...

Tiff Needell drives Jaguar XJR15


Stock Car Brasil by Reiza Studios: Force Feedback Video


terça-feira, 21 de junho de 2011

2012 Chevrolet Corvette ZR1 - Nürburgring Nordschleife - Onboard - 7:19:63


Dinamômetro caseiro


Estes caras não quiseram investir num equipamento caro para testar os sistemas de injeção eletrônica dos motores Chevrolet LS1 que eles mesmo turbinaram, então...

Ar condicionado cai do 12º andar de prédio em BH e destrói carro

Um aparelho de ar-condicionado caiu do 12º andar de um prédio em cima de um carro, na esquina das ruas Curitiba e Tupinambás, no Centro de Belo Horizonte, na manhã deste sábado (11). O veículo ficou destruído. De acordo com a Polícia Militar, o aparelho pesa aproximadamente 100 quilos. No momento da queda, o motorista não estava dentro do carro e ninguém ficou ferido. (Foto: Eugênio Moraes/Hoje em Dia/AE)
O seguro do carro era total?

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Chevrolet Omega Fittipaldi. Performance em primeiro lugar.



Um carro com a marca do piloto que mudou a história do automobilismo.

BMW Track Trainer: isto sim é piloto automático!






Mamonas pra Sempre


Nesta sexta-feira, dia 17 de junho, estreou nas telonas o documentário sobre os Mamonas Assassinas, "Mamonas pra Sempre".

Dirigido por Cláudio Kahns, e produzido pela Tatu Filmes, o longa retrata a trajetória da banda que, em menos de dez meses, saiu do anonimato para se tornar um dos maiores fenômenos da música brasileira.

O documentário traz entrevistas com familiares e pessoas próximas, como o produtor Rick Bonadio e o empresário Samy Elia, além da namorada de Dinho na época, a modelo Valeria Zopello.

domingo, 19 de junho de 2011

Chevrolet Kadett. Voe mais alto.


Tony Stewart drives McLaren MP4-23, Lewis Hamilton drives Chevrolet Impala




Formula 1™'s Hamilton & NASCAR's Stewart Trade Rides in "Mobil 1 Car Swap"

Shared Mobil 1 lubricant technology partner paired champion drivers today for exhibition at Watkins Glen International®

Mobil 1 brought Formula 1™ World Champion Driver Lewis Hamilton and two-time NASCAR Sprint Cup Series Champion Tony Stewart together earlier today to swap race cars at the legendary Watkins Glen International in the Finger Lakes Region of New York in the United States.

The teams' shared lubricant technology partner, Mobil 1, the world's leading synthetic motor oil brand, orchestrated the event to showcase the Mobil 1 brand's more than 30 years of supporting motorsports champions and renowned race teams worldwide.

In front of a crowd of enthusiastic race fans and motorsports journalists from around the globe, Hamilton took laps in Stewart's No. 14 Mobil 1/Office Depot Chevrolet Impala, while Stewart climbed into the cockpit of the team Vodafone McLaren Mercedes MP4-23.

The drivers each enjoyed a few laps around the long course at The Glen, experiencing the 3.4-mile, 11-turn lap circuit.

Mazda787B - Johnny Herbert - Onboard - Circuit de la Sarthe



20 years and a complete restoration after...

quinta-feira, 16 de junho de 2011

ZF apresenta novo câmbio de nove marchas


A fabricante alemã de caixas de câmbio ZF mostra detalhes do novo modelo de nove marchas, feito para ser acoplado aos carros com tração dianteira e motor transversal. Por manter rotações mais baixas, a nova caixa, batizada como 9HP, promete diminuir o consumo em mais de 16% em relação o que conseguiria um veículo com seis marchas. Considerando a mesma velocidade, enquanto o câmbio de seis deixa o motor trabalhando a 2.600 RPM, o de nove baixa para 1.900 RPM.

Em breve, a nova opção de câmbio também deverá ser montada em modelos com tração integral, híbridos e com sistema stop-start, equipados com motores que tenham entre 27,7 e 48,8 kgfm de torque. Ainda não foi divulgado quando o novo câmbio vai estar disponível, mas as montadoras já devem estar se mobilizando para ter a economia de combustível prometida. Um carro que faz 14,8 km/l pode passar a fazer 17 km/l com a caixa de nove marchas.

PRESS RELEASE

At the International VDI Conference "Transmissions in Vehicles 2011", ZF Friedrichshafen AG presents an automatic transmission with nine speeds for passenger cars with front-transverse drive. With its two model ranges, it covers a torque range between 280 and 480 Nm. Thanks to its construction kit principle, the basic transmission can be supplemented in line with special requirements. Thus, different starting elements, hybrid and all-wheel drive applications can also be implemented cost-efficiently given the restricted installation space conditions.

Savings of up to 16 percent compared to today's standard 6-speed automatic transmissions in front-transverse installations: The new 9-speed automatic transmission (9HP) owes this fuel efficiency to its extremely high total spread of 9.84. Nevertheless, extremely small gear steps can be realized thanks to the nine speeds. This does not only have a positive effect on driving comfort but, in addition, the engine always runs in the consumption-optimal speed range: In the ninth speed, there are only 1,900 revolutions per minute at 120 km/h instead of 2,600 in case of transmissions featuring 6 speeds.

Revolutionary transmission concept

ZF realized the high number of speeds of the 9HP with the help of four individual gearsets and six shifting elements. It was a big challenge to place these additional components in the transmission; in principle, the transmission installation space in front-transverse passenger cars is highly restricted by the vehicle's width. For this reason, the gearsets have not been allocated on the 9HP's longitudinal axis but were intelligently nested in. This concept was supplemented by using hydraulically operated constant-mesh elements, since these can be integrated without a major impact on the overall transmission length and still enable high efficiency. While multidisk shift elements in the open condition create drag torques, these losses are very low in dog clutches. This aspect is particularly important with regard to the multi-speed concept of the 9HP: Thus, enhanced efficiency generated by small transmission steps is not lost again via drag losses due to the rather complex design.

Enhanced performance and less fuel consumption

A torque converter is used in the 9HP as the standard starting element: Particularly customers in the USA and the Asian markets esteem its smooth starting and maneuvering quality. Here, a multi-level torsion damper system minimizes hydraulic losses while, already at low speeds, facilitating quick bridging of the torque converter lock-up clutch. This is not only beneficiary for fuel consumption and comfort but also for driving dynamics. For an even more direct driving experience, ZF has designed all control components for shorter response and shift times, actually below the threshold of perception.

Flexible transmission control

Direct multiple gearshifts are also possible with the 9HP and give the automatic transmission its sporty character. Thus, the transmission controls can be influenced by the OEM and the end customer: Shifting points and shifting dynamics are highly variable – from emphasize given to comfort and optimized fuel consumption up to extremely sporty. ZF benefits from its expertise in the area of software development when engineering such highly flexible transmission controls: ATSYS, the shifting sequence control, contains all clutch controls, adaptation functions, and transmission protection functions while ASIS, the driving strategy, ensures that the optimal gear is selected for each driving situation – unnoticed by the driver!

With the 9HP, as a result of cost efficiency and installation space optimization reasons, ZF engineers did not use a fully-integrated mechatronics module for all sensors, actuators, and the electronic control unit (EGS). Instead, ZF develops and produces the EGS under its own aegis: It is installed separately from the – now significantly smaller – hydraulic control unit (HSG), namely on the upper side of the transmission housing. The EGS's computing performance can be increased by another 30 percent when needed. Thus, the 9HP is also equipped for even more comprehensive software functions in the future. The EGS's hardware layout has been designed in such a way that the different OEM requirements can be applied without any problems.

Flexible construction kit

So that the new 9-speed automatic transmission can be installed in as many vehicle applications as possible, it has been prepared as a 'construction kit': e.g. an additional transfer case can be connected for the all-wheel drive operation. To this end, ZF developed an all-wheel drive that can be decoupled (AWD Disconnect). It actuates the rear axle drive only when needed and, thus, saves five percent fuel compared to the permanent all-wheel drive. The 9-speed automatic transmission is, by default and without an additional oil pump, stop-start capable. Since, in the case of restarting, it is only one friction shift element that needs to be closed, response times are indeed highly spontaneous. In addition, the 9HP is easy to hybridize: On the basis of an parallel hybrid architecture, the torque converter is then replaced by an electric motor. Finally, thanks to its open software and interface structure as well as the powerful electronic control unit, it will be possible to integrate the unit flexibly in different vehicle concepts. This diversity of the 9HP construction kit makes the transmission especially efficient for OEMs.

Lamborghini Aventador review by EVO Magazine


Stock Car Brasil by Reiza Studios - Extensive Gameplay Video


terça-feira, 14 de junho de 2011

Uma imagem

Woman in lingerie kissing Stirling Moss' helmet. Even at 80 years of age Sir Stirling Moss doesn't seem to have any trouble getting beautiful women to throw themselves at him. Here he is at Donington Park about to take a Maserati 250F out for a drive. Credits to the image go to http://blog.neillwatson.com/opinions/sir-stirling-moss-the-blonde-and-the-mystery-of-the-stolen-image
"Are you sure you really want to stop, dear Moss?"

Sir Stirling Moss OBE announces his retirement from motor racing

The door has been closed on a competitive racing career that has spanned more than 60 years. During qualifying for the Le Mans Legends race, Sir Stirling Moss OBE, made the decision to retire from the sport he loves.

On his retirement Stirling said "This afternoon I scared myself and I have always said that if I felt I was not up to it or that I was getting in the way of fellow competitors, then I would retire".

He leaves motor racing as one of the most recognised racing drivers in the world, having raced from the age of 18, winning the British Grand Prix twice, the Monaco Grand Prix three times, the Mille Miglia, the Targa Florio and the Tourist Trophy, as well as countless other races, during his professional career.

He then went onto compete in historic racing. As patron of Goodwood, he has helped make the Goodwood Revival and historic racing around the world hugely popular.

He is regarded as one of the greatest motor racing drivers the sport has ever known, having raced successfully in all forms of motor sport and racing not only to win, but racing because he loved the racing itself.

As Stirling said, on the day of his retirement, "I love racing, but now it is time to stop".

BMW 1 Series M Coupé review by Auto Express


rFactor - GP2 2011 by F1-S-R - Released

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Uma imagem

Kamui Kobayashi com uma dose de José Cuervo
“Peraí, isso aqui não é a água que vocês pegaram do asfalto?”

Ferrari 458 Italia - Pista di Fiorano - Fernando Alonso - Onboard


O interessante a se notar é que mesmo Fernando Alonso faz uso do manettino, um switch, localizado no volante, que ajusta as configurações de suspensão, mapeamento de torque e controles de estabilidade e tração, para um melhor rendimento (ou uma tentativa do piloto de "tranquilizar" o passageiro).

Importante perceber também como o câmbio de dupla embreagem, com a troca de marchas realizada através de borboletas no volante, permite subir uma marcha durante a "negociação" da curva, para reduzir o torque nas rodas e tentar um powerslide.

"É um carro muito confortável", diz Fernando Alonso.

Death Metal Walmart Clown


domingo, 12 de junho de 2011

2011 24 Heures du Mans Highlights


Practice 1 Chevrolet Corvette C6 ZR1 Onboard




Practice 1 Warren Hughes Jump in the esses




2nd Qualifying Andy Priaulx BMW M3 GT Crash




2nd Qualifying Final Minutes Stephane Sarrazin Peugeot 908 Onboard




1st Qualifying Peugeot 908 Onboards at night




3rd Qualifying Tom Kristensen Audi R18 Night Onboard




3rd Qualifying Allan McNish Audi R18 Night Onboard




3rd Qualifying Tom Kristensen Crash




Start




Alexander Wurz 3 Wide Pass




Allan McNish Huge Crash




Corvette C6 ZR1 Onboard




Corvette C6 ZR1 Pit Stop Onboard




Mike Rockenfeller Horrific Crash




Alexander Wurz Peugeot 908 Onboard at Night




Jan Magnussen and Christian Ried Big Crash




Frederic Da Rocha Spins and Almost Takes Out Peugeots




Fantastic Lead Battle Audi vs. Peugeot




Alexander Wurz Crash




Loic Duval Crash




Tom Kimber Smith Spins




2011 Le Mans 24 Hours Dirty Driving from the Peugeot #7




Finish! Audi Wins!


sábado, 11 de junho de 2011

Tiff Needell drives Lotus '49


Como ganhar dinheiro facilmente no Gran Turismo 5


Você precisará:

- Um PlayStation 3
- Uma cópia do Gran Turismo 5
- Energia elétrica
- Um Red Bull X2010 S.Vettel
- Um PlayStation 3 controller
- Um teclado USB
- Pedaços de papel
- Um elástico de dinheiro

quinta-feira, 9 de junho de 2011

132kW Volkswagen Golf GTI. Isn't that what you'd expect from Volkswagen?


Kart Racing Pro - Work In Progress - Onboard


Sexólogo dos Pampas

Dr. Grossotaura Macanudo, fudetólogo bagual, especialista em capação de touro e acossado das mutuca, respondendo às perguntas dos ouvintes no Programa Barranqueando no Más, da Rádio Barranca Oriental:

Tenho 20 anos e não transei ainda porque gostaria que a 1ª vez fosse com um namorado fixo. O que você acha?

Bagual que se preza, corcoveia e troteia mordendo o freio, então não te apoquenta que ele não fique mui fixo até que a doma esteja completa.

O que fazer para surpreender meu marido que é meio tímido?

Já exprimentô galopeá pelada em cima de uma égua zaina em frente às "casa", e no inverno? Se ele não der sinal de vida, confere a certidão de nascimento, que gaúcho ele não é!

Tenho um amigo que quer fazer sexo comigo, mas ele tem um pênis de 20cm. Acho que vai ser doloroso, o que faço?

Sempre que se chamá pênis é pequeno assim mesmo, mas se tá falando da guasca, 20 cm tem os piazito lá da fazenda e as ovelha não se queixa.

Como faço para seduzir o rapaz que eu amo?

Não carece fazer força. Te péla, capricha na água de cheiro e o resto o instinto gaúcho cumpre loguito no más!

Terminei com meu ex porque ele é muito galinha e agora estou com outro. Mas ainda gosto do ex e às vezes ainda fico com ele! O que devo fazer?

Mas tu dá mais que chuchu na serra e fala do coitado? Dexa ele de lado e vai puteá pras banda do Uruguai! E te orienta: ele é galo, viu? Não galinha!

Quero saber como enlouquecer meu namorado só nas preliminares.

Preliminar que eu saiba é aquele jogo de osso com as adaga na cintura e o cenho franzido antes de Bagé x Guarani, na Pedra Moura, mas exprimenta botá açúcar no mate dele pra vê o que acontece!

Sou feia, pobre e chata. O que devo fazer para alguém gostar de mim?

Nada, minha chinoca, macho que é macho não despreza mocréia, as bonitinha até viado come!

O cara com quem estou saindo é muito legal, mas está dando sinais de ser alcoólatra. O que eu faço?

Compra uma guampa de canha novinha e dá de presente, ele vai se encambixá em vossa mercê. E toma uns trago junto pra dexá de sê chata!

Por que, na hora do sexo, quando a gente está no vai e vem, na hora em que o corpo entra em atrito e faz aquele barulho de quem está batendo palmas, a gente fica mais excitada?

Por que o bugio ronca no mato? É da natureza, minha chinoca!

Apesar do meu tamanho, eu tenho apenas 15 anos de idade e não tenho cara propriamente linda. O que fazer para conseguir comer umas gatas?

Gata é mais difícil, mia muito e tem as unha afiada. Recomendo começar a vida sexual campeira com aquela ovelha guacha que toda estância que se preza tem na volta das casa.

Sou virgem e rolou, pela primeira vez, de fazer sexo oral. Terminei engolindo o negócio e quero saber se corro o risco de ficar grávida. Estou desesperada!

Se engoliu o negócio do peão, adevorve que é dele e vai percisá pra usar de novo! Ah, tá falando do leitinho? Não te desespera, aguarda pra mamá de novo!

A primeira vez dói? Tenho 21 anos e ainda não transei porque tenho medo de doer e não agüentar.

Por amor ao Rio Grande, toda prenda tem que dar sem fiasqueira, do contrário, é catarinense se passando por gaúcha! E se não estiver agüentando a dor, passa banha de porco no instrumento, fica mais liso que muçum de açude.

Verdade que camisinha faz brochar?

Gauchismo e matéria plástica não combina bem, mas não é descurpa pra faiá! Com poncho ou sem poncho, tem que enfrentar o minuano do mesmo jeito! Já exprimentô usá tripa de porco? É mais de acordo com os costume do pago, e sempre tem de sobra da última carneação.

Depois que vi a Gisele Bünchen numa TV tenho tido pesadelos com ela me perseguindo, isso é normal?

Bem, normal não lhe digo que seja, mas essas magrela feiosa assombram até o dormir do gaudério. A receita pra curá isso é vê prenda bonita de novo, fornida de carne nas anca, como umas alemoa que tem pras banda de Lajeado, Santa Cruz, Horizontina, Nova Prata ...

Por que os homens adoram transar por trás?

Dá uma olhada nas criação (porco, gado, cavalo, carneiro...), vê se arguma criação trepa pela frente! Mas nada contra fazer uma variação de vez em quando, que nem xote afigurado!

É verdade que a gente pode engravidar em banheiro público?

Poder pode, mas não se deve. Uma vez, nuns comércio de carreira de cancha reta, lá pros lado de Uruguaiana... melhor dexá essa estória pra outra vez!

Por que os homens que eu namoro sempre querem comer a minha melhor amiga?

Perguntita compricada... Prá começar, mulher não tem melhor amiga, tem "a melhor inimiga mais íntima", e, indo direto ao ponto da questão, tu não disse que essa amiga era uma mulher? Pôs então, tá explicado! E, além disso, deve ser linda essa chinoca, hein? Fica calma que tem pras duas!

Por que os homens vão embora logo depois de transar no primeiro encontro?

Mas te orienta, vivente! E a lida do campo, quem é que faz? O capim pras vaca, tratá os porco, capiná o terreiro... Qué vagabundo prá te sustentá ou homem sério e trabalhador? E se o encontro foi bom, te aquieta que ele vórta!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Airbag na revista


A Loducca veicula para os assinantes da revista Exame de São Paulo e Rio de Janeiro um anúncio do Peugeot 408 que traz um airbag. Basta dar um soco na página e o airbag inflará.

"É um história bem diferente, ficamos mais de um ano para encontrar alguém que conseguisse viabilizar nosso mini airbag", conta Guga Ketzer, diretor geral de criação da Loducca, agência responsável pela campanha e pela conta da Peugeot. Ainda de acordo com Ketzer, a ideia é despertar a emoção nas pessoas com os anúncios interativos.

O airbag é constituído por um material químico que é praticamente imperceptível. Com o título "Bata aqui com força e descubra por que o novo Peugeot 408 traz muito mais segurança", a agência encontrou um fabricante no interior da China para fazer 50 mil mini airbags.

Socialização, mobilidade e otimização: essências do marketing online

2010 foi o ano da grande socialização na internet. Muitas empresas entraram nas redes sociais, criando contas em aplicativos como Twitter ou Facebook, e começaram a utilizá-las como um canal de marketing, comunicação e serviço. Algumas companhias começaram a tirar conclusões analíticas sobre os gostos dos usuários e a percepção da marca nesses meios interativos, criando projetos para incorporar o conhecimento e o comportamento social dos consumidores na sua oferta online. Mas qual será a principal tendência que afetará as estratégias de vendas e de marketing na web durante este ano? Acredita-se que a próxima tendência será a computação móvel combinada aos meios sociais e colaborativos.

Esse ponto de vista é compartilhado pela vice-presidente do Morgan Stanley, Mary Meeker, que conclui que estamos diante do "início do próximo ciclo da tecnologia dominante, a Internet móvel". O crescimento dessa alternativa, segundo a mesma executiva, está sendo mais rápido do que o ocorrido com a internet por meio dos desktops e acabará ultrapassando o seu volume de acesso em cinco anos. Principalmente porque estão surgindo, de forma muito rápida, plataformas que estão mudando as regras do jogo das comunicações e de vendas, trazendo a combinação entre as redes sociais e a mobilidade. Além disso, a localização, em particular, acrescenta novas dimensões e oportunidades.

O Gartner também concorda com essa visão e faz um prognóstico de que, até 2013, os telefones celulares superarão os computadores pessoais como dispositivo dominante de acesso à web em todo o mundo. E vai além, prevendo que os sistemas de gestão de conteúdo na rede vão incorporar funcionalidades de análise para melhorar as campanhas de marketing e as experiências do usuário com dispositivos móveis até 2012.

Mas quais são as implicações para as empresas que iniciam campanhas de marketing por meio de canais móveis e comunicação social? Até agora, o marketing online interativo foi uma atividade centrada na web. Porém, com a entrada dos dispositivos móveis e das redes sociais, a complexidade aumentou, e as empresas enfrentam uma dificuldade crescente na hora de administrar as campanhas de venda pela internet, tanto por meio do celular quanto dos canais colaborativos.

As novas ferramentas devem permitir administrar de forma centralizada os esforços de marketing interativo para o desenvolvimento de uma web empresarial integrada, móvel e que interaja com as redes sociais. Uma plataforma de gestão de experiência na web (em inglês, Web Experience Management, com a sigla WEM) adequada permitirá formatar e disponibilizar conteúdos e aplicativos para dispositivos móveis específicos dentro da mesma interface que o restante do conteúdo na internet, possuindo repositório de conteúdo único e central.

Uma campanha de marketing interativo significa integrar a segmentação de campanhas com os dados que provêm dos canais sociais e dos dispositivos móveis, isto é, usando ferramentas integrais de otimização. A interatividade significa bidirecionar. Graças ao constante volume de informações a serem agregadas à análise dessa mesma variedade de conteúdos, é possível entender melhor os clientes, fazer recomendações e disponibilizar conteúdos personalizados e ofertas por meio de vários canais.

À medida que o volume de informação é muito maior, as fontes mais dispersas e os usuários mais exigentes, é cada vez mais importante que as ferramentas utilizadas pelos administradores de marketing online ofereçam uma visão unificada do usuário. Três conceitos vão resumir o futuro imediato dos fornecedores de plataformas WEM: socialização, mobilidade e otimização.

iMasters

terça-feira, 7 de junho de 2011

Anúncio comestível

How do you literally demonstrate the awesome road-eating acceleration and power of the new Volkswagen Golf R in a magazine? The VW Editable Ad.
Uma propaganda veiculada na revista sul-africana Auto Trader chamou a atenção do mercado publicitário. O anúncio do Volkwagen Golf R encoraja o leitor a comer a estrada, literalmente falando!

A ideia foi da agência Ogilvy, e não deixa claro ao leitor, no momento em que visualiza a página, que ela pode ser ingerida. No entanto, a frase "Coma a estrada. É sério, coma-a!" tenta criar um efeito de "expressão de duplo sentido", com o intuito de fazer o leitor pensar se pode realmente comer a folha impressa.

No entanto, a folha não é feita de papel. Ela é feita com ingredientes que tornam-a comestível, como farinha glutinosa de arroz, água, sal, propilenoglicol, colorizantes artificiais e glicerina.

Top Gear Eco Challenge Spoof


O teste que Jeremy Clarkson com um Tesla Roadster e as imagens da trupe do Top Gear com carros elétricos em Londres estão gerando desde processos até uma sátira bem humorada, criada por dois britânicos, que usaram um Nissan Leaf e um Peugeot iOn, digamos assim, "com sérias restrições orçamentárias".

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Como recarregar um carro movido à pilha sem uma tomada por perto


Quando se fala em veículos elétricos, a primeira coisa que vem à mente é como recarregar as baterias caso não haja uma estação de recarga por perto. Mas estes holandeses tiveram uma ideia: puxando o carro com uma Toyota Tundra!

O Nissan Leaf possui um sistema parecido com o KERS, que alimenta as baterias nos momentos em que os freios são acionados. Então, o sistema é acionado quando o veículo está sendo movimentado sem que esteja ligado, ou seja, o veículo é freado enquanto é puxado por outro!

Pelo vídeo, pode-se perceber que, realmente, a artimanha funciona. Todavia, há algumas diferenças: já que o carro está sendo movimentado por uma força alheia à vontade de seus motores elétricos, o sistema que mede a autonomia da carga das baterias acha que o veículo está andando em um modo ultra-econômico, como se estivesse descendo uma ladeira infinita, por exemplo, e não irá mostrar o resultado real da quilometragem que você poderia percorrer com o carro caso estivesse em operação normal, que é por volta de 33% menos que o mensurado na "recarga forçada".

Apesar de tudo, o manual do proprietário do Nissan Leaf não recomenda esta atitude, a não ser que seja a última alternativa. Além disso, caso você venha um dia a ser proprietário de um veículo movido à pilha, e tiver que pôr em prática esta lição de recuperação de energia cinética, não abuse dos freios, caso contrário, haverá desgaste prematuro do conjunto.

Como trollar um carro movido à pilha...


Como melhorar o desempenho de um Smart elétrico? Simples, com um Ford Raptor modificado!

domingo, 5 de junho de 2011

Mercedes-Benz SLS AMG Safety Car


Bern Maylander mostra as peculiaridades do Mercedes-Benz SLS AMG Safety Car. Além disso, Michael Schumacher e Nico Rosberg falam os procedimentos que os pilotos devem executar quando a corrida sofre a intervenção do carro de segurança.

"Algumas vezes, você sabe que está lento demais, por causa do safety car à sua frente, mas, ao mesmo tempo, todos estão na mesma velocidade, então, todos estão na mesma dificuldade do momento", diz Michael.

"Precisamos estar de olho em certas coisas do carro, como a temperatura do motor, que tem de ser controlada andando em marchas altas e rotações baixas, mas, ao mesmo tempo, temos que manter os freios e pneus aquecidos, que atingem sua temperatura ideal apenas em ritmo de corrida, por isso, precisamos frear aproximando-se perigosamente do safety car ou do piloto à nossa frente, e também girar o volante para os lados", acrescenta Nico Rosberg.

sábado, 4 de junho de 2011

Ayrton Senna no Roda Viva


Ayrton Senna da Silva foi entrevistado no programa Roda Viva, da TV Cultura, em 1986, e respondeu perguntas de jornalistas como Galvão Bueno, Reginaldo Leme, Claudio Carsughi, Marcelo Rezende e Fernando Calmon, além de uma participação especial de Rubens Barrichello, que, na época, dava continuidade à sua carreira na Itália.

Fiat 500 Abarth - Autódromo Internacional do Algarve - Onboard


sexta-feira, 3 de junho de 2011

O CQC e sua capacidade de ser ignorante


O "Custe o Que Custar" é um programa televisivo que é sucesso em vários países ao redor do mundo, retratando os fatos jornalísticos mais importantes do momento com pitadas de sarcasmo e humor. Entretanto, algumas vezes, a tentativa de tirar sarro do entrevistado ou do fato em si acaba por se tornar uma demonstração de total ignorância.

Em 2008, foi inaugurado o Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão, Portugal. O CQC local foi até lá, e já começou a flertar com o fato de que, na mesma região, foram construídos um estádio de futebol e uma escola primária, todos eles, projetos com grandiosas quantias em dinheiro investidas. Só o circuito de corridas custou o equivalente a 195 milhões de euros.

No entanto, há um detalhe a ser observado: ao contrário do Estádio e da Escola Primária do Algarve, o Autódromo foi construído totalmente com honorários oriundos de empresas privadas, sem gastar um só centavo de dinheiro público. Apesar disso, a repórter Joana Cruz foi tirar satisfação das autoridades políticas que estavam lá apenas pelo fato de terem sido convidadas para a inauguração do complexo automobilístico.

Como se tudo isso não bastasse, Joana Cruz ainda faz pouco caso do esporte a motor, que já sofre tanto preconceito das mídias de massa, fazendo dramas desnecessários quando alguém morre numa pista, mas, assim como no futebol, no basquete, no vôlei, em qualquer outra modalidade, gera empregos, possui adeptos, gente que faz disso a sua vida. Para dizer o quê? Que o futebol é melhor, que é saúde, vitalidade, vida melhor. Só se esquecem que, atualmente, para ser um piloto de Fórmula 1, é preciso um preparo físico e mental digno de um triatleta.

Sem falar nas mortes em campos de futebol, por exemplo. E não falo daquelas ocasionadas por brigas entre torcidas organizadas, mas sim daqueles que morrem em virtude de paradas cardíacas inesperadas, relâmpagos, sem falar nas fraturas, luxações, torções e outras lesões características. A imprensa trata estes casos como meros acidentes de trabalho, pois não querem perder a oportunidade de "vender seu peixe".

Nunca fui muito fã do CQC. As circunstâncias, na época da inauguração da versão brasileira do programa, impediram-me de acompanhá-lo com assiduidade: trabalhava o dia inteiro e ainda tinha faculdade à noite. Às vezes, chegava em casa às 23 horas, só me sobrava tempo para tomar banho, antes de dormir.

Ainda mais que, ao observar algumas reportagens dos últimos programas, passa-me a sensação de que as tentativas de fazer sarcasmo e forçar uma vergonha alheia ao entrevistado (ou vítima) do programa desviam o foco original do Custe o Que Custar, que é informar o telespectador com uma pitada de humor.

A necessidade de criar uma polêmica em cima de outra ao invés de resolvê-la é o que acaba por destruir a imagem de um programa que poderia ser uma verdadeira plataforma de utilidade pública, informando a respeito dos fatos e personagens políticos e cotidianos. Todavia, o humor em excesso acaba por desvirtuar o pensamento do telespectador, que acaba não refletindo sobre o assunto tratado no momento em que o programa é exibido.

O resultado: a versão brasileira do CQC quer ser o Pânico na TV. A diferença é que o programa da RedeTV é apenas um programa humorístico, e não faz questão de ser informativo.

Top Gear: Porsche 911 Turbo S vs. Volkswagen Beetle 1300


Richard Hammond encara uma corrida de uma milha guiando um Porsche 911 Turbo S contra um simpático, mas lento, Volkswagen Fusca 1300.

Só que a competição é um pouco diferente: envolve um helicóptero e a força da gravidade.

Como podem desperdiçar tamanha preciosidade automotiva com uma besteira dessas?

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Forçação de barra


O recente anúncio publicitário da Nissan faz as pessoas pensarem se tudo no mundo fosse movido à combustão, desde rádio-relógios, secadores de cabelo, computadores, tocadores de MP3, brocas de dentistas, enfim, tudo que facilita as nossas vidas.

Ora, na prática, esses aparelhos poderiam perfeitamente funcionar com motores alimentados com combustível fóssil, no entanto, seriam pesados, portanto, impraticáveis em alguns casos, como no secador de cabelo e na broca do dentista, ou poluiriam o ar de dentro do recinto, fazendo com que tivesse de haver um meio de renovar o oxigênio, como no caso do quarto com o rádio-relógio.

O que a propaganda tenta passar é que o carro elétrico é a solução para o futuro da humanidade a curto prazo. No entanto, a crescente demanda por eletricidade faz acontecer algumas tragédias, como nos casos de Chernobyl e Fukushima. É claro que foram casos isolados, mas, e se tivessem sido usadas outras formas de geração de energia elétrica, como as usinas termelétricas, solares ou eólicas?

Talvez não haja possibilidade técnica para tanto, todavia, vamos imaginar o contrário do que diz a propaganda: e se todos os veículos fossem elétricos? Quantas usinas a mais teriam que ser criadas? Quantas pessoas teriam que ser desapropriadas de seus lares para a construção de uma usina? Quantos congestionamentos seriam criados nos postos de abastecimento das grandes cidades, já que um carro elétrico demora por volta de quinze minutos para que suas baterias atinjam 80% de sua carga total?

É preciso, acima de tudo, pensar em alguma outra forma de energia alternativa para os veículos, já que a elétrica, imagino eu, não é o futuro. Espero estar errado (pensando como uma pessoa que pensa na tranquilidade do mundo) ou certo (pensando como um autoentusiasta)...

BMW M3 GTS vs. Porsche 911 GT3


quarta-feira, 1 de junho de 2011

Volvo desenvolve seu KERS


A Volvo, conhecida por ser referência mundial em segurança automotiva, também começa a trazer o Sistema de Recuperação de Energia Cinética a seus carros. Conhecido por fazer parte das temporadas recentes da Fórmula 1, o KERS desenvolvido pela Volvo é mecânico, ao invés do elétrico da categoria máxima do automobilismo.

No KERS da Volvo, o volante de inércia, feito de fibra de carbono, com 19,91 cm de diâmetro, 5,9 Kg de peso, e capaz de girar a 60.000 RPM, é acoplado e desacoplado do eixo traseiro através de uma caixa de câmbio com relações continuamente variáveis (CVT). Quando o pedal do freio é acionado, o câmbio CVT aciona o volante, que ganha velocidade de rotação, enquanto o carro é frenado.

Enquanto os pedais do acelerador e do freio não são pressionados, o câmbio CVT desacopla o eixo traseiro do volante de inércia, que fica girando, sem, contudo, perder muitas rotações com o tempo, já que roda no vácuo, praticamente sem qualquer resistência.

Quando o veículo está parado, e o pedal do acelerador é acionado, o volante de inércia é acoplado ao eixo traseiro, e a energia cinética resultante da rotação do KERS mecânico ajuda na aceleração do veículo.

A Volvo ressalta que o sistema criado pela marca sueca não só ajuda a economizar combustível como a potência resultante da junção "motor a combustão + KERS" é aumentada em 80 CV. A empresa acredita que o sistema é mais eficiente em arrancadas, mas que está fazendo o possível para tornar seu KERS mais eficiente.

O Volvo planeja começar a testar seu KERS em seus carros no segundo semestre de 2011, e está confiante de que pode reduzir o consumo de combustível em até 20%, usando um motor de quatro cilindros, em vez de um propulsor de seis cilindros.

Volvo Car Corporation tests flywheel technology - cuts fuel consumption with up to 20 percent

A light, cheap and very eco-efficient solution that makes a four-cylinder engine feel like a six at the same time as fuel consumption drops with up to 20 percent. This autumn, Volvo Car Corporation will be one of the world's first car makers to test the potential of flywheel technology on public roads. The company has received a grant of 6.57 million Swedish kronor from the Swedish Energy Agency for developing next-generation technology for kinetic recovery of braking energy in a joint project together with Volvo Powertrain and SKF.

"Our aim is to develop a complete system for kinetic energy recovery. Tests in a Volvo car will get under way in the second half of 2011. This technology has the potential for reducing fuel consumption by up to 20 percent. What is more, it gives the driver an extra horsepower boost, giving a four-cylinder engine acceleration like a six-cylinder unit," relates Derek Crabb, Vice President VCC Powertrain Engineering.

60,000 revs per minute

The new system, known as Flywheel KERS (Kinetic Energy Recovery System), is fitted to the rear axle. During retardation, the braking energy causes the flywheel to spin at up to 60,000 revs per minute. When the car starts moving off again, the flywheel's rotation is transferred to the rear wheels via a specially designed transmission.

The combustion engine that drives the front wheels is switched off as soon as the braking begins. The energy in the flywheel can be used to accelerate the vehicle when it is time to move off once again, or to power the vehicle once it reaches cruising speed.

"The flywheel's stored energy is sufficient to power the car for short periods. However, this has a major impact on fuel consumption. Our calculations indicate that the combustion engine will be able to be turned off about half the time when driving according to the official New European Driving Cycle," explains Derek Crabb.

Since the flywheel is activated by braking and the duration of the energy storage - that is to say the length of time the flywheel spins - is limited, the technology is at its most effective during driving featuring repeated stops and starts. In other words, the fuel savings will be greatest when driving in busy urban traffic as well as during active driving.

If the energy in the flywheel is combined with the combustion engine's full capacity, it will give the car an extra boost of 80 horsepower, and thanks to the swift torque build-up this translates into rapid acceleration, cutting 0 to 100 km/h figures significantly.

Carbon fibre for a lightweight and compact solution

Flywheel propulsion assistance was tested in a Volvo 240 already back in the 1980s, and flywheels made of steel have been evaluated by various manufacturers in recent times. However, since a unit made of steel is large and heavy and has rather limited rotational capacity, this is not a viable alternative.

The flywheel that Volvo Car Corporation will use in its test car is made of carbon fibre. It weighs about six kilograms and has a diameter of 20 centimetres. The carbon fibre wheel spins in a vacuum to minimise frictional losses.

"We are not the first manufacturer to test flywheel technology. But nobody else has applied it to the rear axle of a car fitted with a combustion engine driving the front wheels. If the tests and technical development go as planned, we expect cars with flywheel technology to reach the showrooms within a few years," says Derek Crabb. He concludes: "The flywheel technology is relatively cheap. It can be used in a much larger volume of our cars than top-of-the-line technology such as the plug-in hybrid. This means that it has potential to play a major role in our CO2-cutting DRIVe Towards Zero strategy."
KART CROSS | DRIVETRIBE | BECOME A MEMBER