Mostrando postagens com marcador IndyCar Series. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador IndyCar Series. Mostrar todas as postagens

Como funciona o diagnóstico de concussão cerebral da IndyCar Series


Desde muitos anos atrás, a IndyCar Series vem tratando o problema da concussão cerebral de forma mais enfática. Em 2016, durante a etapa de Saint Petersburg, Will Power bateu seu carro contra um muro.

Os sensores do carro detectaram uma desaceleração forte o suficiente para resultar em concussão cerebral. No dia seguinte, o piloto demonstrou sintomas do problema físico.

Trabalhando em conjunto com a Universidade de Miami, a NeuroKinetics desenvolveu um protótipo do I-Portal Portable Assessment System, mais conhecido pela sigla I-PAS. O aparelho, que é parecido com um periférico produtor de realidade virtual, usa tecnologia infra-vermelho e câmeras de alta definição para avaliar as funções neurológicas de uma pessoa.

Born Racer: o documentário que mostra a IndyCar através dos olhos de Scott Dixon

Born Racer Poster IndyCar Scott Dixon Chip Ganassi Racing
A Universal Studios divulgou o trailer para o mercado norte-americano do documentário "Born Racer". Previsto para ser lançado nas mídias DVD e digital no dia dois de outubro, a película traz ao espectador incauto uma introdução ao esporte automobilístico mais rápido do planeta, por meio dos olhos do tricampeão Scott Dixon e da equipe Chip Ganassi Racing.

"Born Racer" acompanha as pessoas que são apaixonadas pelas corridas de automóveis, enfrentam o perigo e arriscam suas vidas para vencer. O documentário é uma história de dedicação, perigo, medo e vontade que algumas pessoas possuem em desafiar suas limitações individuais.

Veja o acidente que Robert Wickens sofreu em Pocono e resultou em pernas e braço direito quebrados


Na sétima volta da ABC Supply 500, etapa da temporada 2018 da IndyCar, realizada no Pocono International Raceway, o piloto canadense Robert Wickens sofreu um acidente após um toque entre a roda dianteira direita de seu carro com a traseira esquerda do de Ryan Hunter-Reay.

O carro de Robert Wickens rodopiou no ar e voou contra o alambrado. O acidente ainda envolveu outros três pilotos: James Hinchcliffe, Pietro Fittipaldi e Takuma Sato. A prova teve que ser interrompida por um período de duas horas, para que os destroços pudessem ser removidos da pista e o alambrado ser reconstruído.

Wickens acabou com ambas as pernas e o braço direito quebrados, além de lesões pulmonares e na coluna. Curt Cavin, vice-presidente de comunicações da IndyCar, disse que Wickens estava consciente quando foi transportado de helicóptero para o Lehigh Valley Hospital-Cedar Crest, em Allentown, Pensilvânia.

"É ruim celebrar depois de tudo que aconteceu", disse Alexander Rossi após vencer a prova. "Wickens foi muito sortudo ao sair dali vivo", disse Ryan Hunter-Reay, que foi o primeiro piloto envolvido no acidente que foi checado e liberado pelos médica. Sato, Fittipaldi e Hinchcliffe foram os próximos.

"Obrigado a todos pelas mensagens. Graças a Deus, estou bem e andando com minhas próprias forças. Rezando por você, Robert Wickens, espero que fique bem", disse Pietro Fittipaldi.

O acidente de Robert Wickens aconteceu na curva dois, a mesma do acidente fatal do inglês Justin Wilson, em agosto de 2015. O inglês foi atingido na cabeça por destroços do carro do americano Sage Karam, que bateu no muro. Wilson morreu no dia seguinte, devido a lesões cerebrais.