sexta-feira, 29 de abril de 2011

2012 Porsche 911 GT3 RS 4.0


Foram divulgadas as primeiras imagens oficiais do novo Porsche 911 GT3 RS. A nova versão do superesportivo é equipada com um motor 4.0 derivado do 911 GT3 RSR de competição, com 499 CV de potência a 8.250 RPM, 45 CV a mais que o modelo GT3 RSR e 50 CV a mais que o convencional 911 GT3 RS, com seu motor 3.8, e 45,7 mkgf de torque a 5.750 RPM. O novo motor vem com pistões forjados, bielas de titânio e virabrequim vindos também do RSR.

As principais mudanças no visual do carro são palhetas no para-choque dianteiro, para dissipar o ar e melhorar a estabilidade, um aerofólio mais esportivo e teto de fibra de carbono. O chassis foi beneficiado pelas lições aprendidas no desenvolvimento do GT2 RS, já que usa as mesmas molas na suspensão traseira, juntas únicas na parte inferior dos braços, além das calibragens dos amortecedores, tornando o conjunto mais preciso que a versão do 911 GT3 RS com motor 3.8.

O vidro e as janelas traseiras laterais, agora, são de plástico, diminuindo o peso em 10 kg, chegando a 1.360 kg, o que, combinado com a nova motorização, resulta em uma relação peso/potência de 367 CV por tonelada.

Apenas 600 unidades do Porsche 911 GT3 RS 2012 serão produzidas. Na Europa, cada carro deverá custar em torno de 150 mil euros.

Acros A-GE Hydraulic Shifters


A empresa alemã Acros é conhecida na Europa por seus rolamentos de cerâmica, opções de cores anodizadas e gráficos customizados feitos a laser, mas agora, vai ganhar mais destaque no mercado, graças a um inovador sistema hidráulico de troca de marchas.

O Acros A-GE é um sistema de câmbios e passadores hidráulicos que tem peso menor que o Shimano XTR, possui apenas uma alavanca de cada lado, para subir e descer as marchas, e pode ser usado em cassetes de 8, 9 ou 10 velocidades.

O sistema usa um par de cabos hidráulicos para cada câmbio, que são acionados por óleo mineral, com apenas uma alavanca em cada lado do guidão, para acionar cada câmbio. O acionamento não é feito apenas apertando a alavanca para frente ou para trás, mas sim em diagonal, para cima ou para baixo.

Outros detalhes do Acros A-GE são a possibilidade de passar até 3 marchas de uma vez com apenas um acionamento da alavanca, inverter o funcionamento das alavancas para subir ou descer marchas com acionamento para cima ou para baixo, há menos fricção, portanto, a passagem de marchas é mais suave, pode ser usado com qualquer pedivela, coroa, cassete e corrente, funciona melhor no frio e em condições adversas, sem nunca emperrar com lama.

O peso total do sistema fica em 426,4 gramas e, por enquanto, foram produzidas apenas 250 unidades, que serão vendidas por 2.306 dólares cada. O Acros A-GE não é o primeiro sistema hidráulico a ser criado. No meio dos anos 1990 um sistema foi inventado, mas não funcionou como esperado.

Peso dos componentes:

Passadores (cada um): 64,85 gramas
Câmbio traseiro: 159,84 gramas
Câmbio dianteiro: 79,15 gramas
Conduítes hidráulicos (trás): 24,26 gramas
Conduítes hidráulicos (frente): 17,16 gramas
Óleo (trás): 9 gramas
Óleo (frente): 7,25 gramas


quinta-feira, 28 de abril de 2011

Team Lotus anuncia a aquisição da Caterham Cars


O Malaysia F1 Team Lotus, de propriedade de Tony Fernandes, dos grupos Kamarudin Meranun e SM Nasarudin, adquiriu a fabricante de esportivos Caterham. A escuderia de Fórmula 1 fechou a compra da marca com o grupo Corven, antigo controlador da marca, que vendeu todo o seu capital.

Em alusão ao fato, uma edição do Caterham Seven foi pintada com as cores da Team Lotus, para uma sessão de fotos. Espera-se por uma série limitada a 50 unidades desse veículo, chamada Team Lotus Special Editions Seven, que serão vendidas ainda este ano, por um preço ainda não divulgado.

Os novos proprietários garantiram uma nova injeção financeira na marca, a fim de manter sua estabilidade no mercado e expandir sua atual linha de modelos, na qual se encontram o Seven e o novo SP/300.R.

"A Caterham tem um lugar único no coração do automobilismo mundial. Ela tem uma reputação única na indústria de performance e desempenho", afirmou Fernandes.

"Enquanto o Seven terá agora o trampolim global que merece, nós teremos a oportunidade de expandir a família Caterham além do Seven e do R500 para dar nova vida à nossa marca", afirmou Ansar Ali, diretor de produto da marca.

A menor diferença de chegada da história da NASCAR


No Aarons 499, no Talladega Superspeedway, prova válida pela temporada 2011 da NASCAR Sprint Cup, um Photo Finish envolvendo três carros mostrou a vitória a Jimmie Johnson, com uma diferença de apenas dois milésimos (0,002 segundo)!

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Tokyo Route 246 driven for real


A bordo de um Caterham Superlight R300, você confere como seria uma volta "de verdade" no Tokyo Route 246, onde ficam as instalações da Sony Computer Entertainment.

A Galinha Pintadinha, um Oceano Azul e o SEO: saiba o que tudo isso tem a ver com sua loja virtual

Galinha Pintadinha é um DVD de músicas infantis cujos vídeos no YouTube estão entre os mais vistos no Brasil. Seu canal no YouTube possui mais de 170 milhões de visualizações nos vídeos publicados, e além do DVD Galinha Pintadinha 2, foram lançados o CD e o bichinho de pelúcia da Galinha Pintadinha.

São animações com ilustrações simples, mas com excelente qualidade e que utilizam músicas infantis tradicionais.
No livro "A Estratégia do Oceano Azul", os autores W. Chan Kim e Renée Mauborgne defendem uma tese de que a concorrência do mercado tradicional em busca de lucro resulta no "oceano vermelho" com lucros menores e alta concorrência. Eles afirmam que a estratégia deveria ser "não concorra com os rivais, torne-os irrelevantes" e argumentam que é possível identificar nichos inexplorados de mercado e obter lucros de forma sustentável.

Vamos analisar o case "Galinha Pintadinha" do ponto de vista de SEO e Redes Sociais para compreender como a Bromélia Filmes, uma produtora de Campinas/SP, criou um oceano azul para o nicho de vídeos infantis.

Sugestões de Busca do Google e Comportamento de Busca
Ao realizar uma busca no Google, são listadas algumas sugestões relacionadas às palavras pesquisadas. No caso da palavra "galinha", aparecem sugestões relacionadas à Galinha Pintadinha.

Uma pergunta importante é: quem faz a busca da palavra "galinha" no Google?

Resposta: É muito provável que um pai ou uma mãe que estão ajudando o filho a fazer um trabalho de escola que precisa de imagens de animais. Como seria complicado encontrar fotos de animais em revistas como Exame, Veja e outras, ou talvez, a família nem assine mais revistas impressas, a busca no Google seria a melhor alternativa.

Ao se deparar com a sugestão "Galinha Pintadinha", seria muito difícil resistir à curiosidade de clicar, portanto esse já é um fator de influência para gerar visitas aos vídeos no YouTube.

Você pode argumentar que a pessoa pode decidir fazer a busca apenas por "galinha", mas vamos ver como seria o resultado dessa busca.

Resultados de Busca Universal do Google

A Busca Universal são resultados de busca que misturam imagens, vídeos, blogs, Twitter, Google Maps etc. O Google possui algoritmos que cruzam informações dos resultados de diversos bancos de dados e decide quando é adequado apresentar resultados que podem mesclar imagens e vídeos como no exemplo abaixo:

Como os vídeos da Galinha Pintadinha são os primeiros para busca no YouTube por "galinha" e possuem um número elevado de visualizações, eles são apresentados nos resultados de busca do Google. Notem que a relevância para o usuário é tão grande que os vídeos aparecem antes do Wikipedia que, em geral, domina o padrão de busca por conhecimento.
Volume de buscas de "Galinha Pintadinha"

Utilizando a ferramenta de palavras-chave, podemos notar que o volume de buscas por "Galinha Pintadinha" e "Galinha Pintadinha 2″ totalizam 140 mil buscas exatas. Se somarmos todas as variações de buscas, esse número é muito maior. Isso mostra que a Galinha Pintadinha criou um nicho de buscas próprio em torno de sua marca, que é o sonho de toda empresa.
Criando seu "oceano azul"

Olhando a tendência de buscas no Google Insights for Search, notamos que o crescimento iniciou em 2009 e em meados de 2010 a busca por "Galinha Pintadinha" aumentou drasticamente. Comparando com a busca por "Compras Coletivas", que é uma das grandes tendências da atualidade, é possível notar que a Galinha Pintadinha vence em volume de buscas. O "detalhe" importante é que compras coletivas são o oceano vermelho com alta concorrência e lucros que tendem a baixar e muitas empresas irão fechar.
Galinha Pintadinha no Twitter

Uma simples busca no Twitter mostra que as pessoas falam muito bem do DVD, portanto a influência na decisão de ir buscar no Google sobre o tema é muito alta.
Conclusão

A lição que devemos tirar deste case é como um conteúdo de alta qualidade pode se propagar na internet sem a necessidade de um esforço de marketing tradicional que é a prática natural da estratégia de "oceano vermelho". E para o seu negócio? Qual é o seu "oceano azul"?

iMasters

terça-feira, 26 de abril de 2011

Rui Biriva (28/10/1958 - 25/04/2011)

Rui Biriva nasceu em Horizontina, batizado como Rui da Silva Leonhardt, filho de Adalíbio e Malvina, uma família de pequenos agricultores, e o caçula entre três irmãos. Até os 10 anos, estudou no interior do município, no Distrito de Esquina Eldorado, onde morava. Aos 11 anos, foi estudar na cidade, e a partir dos 12, começou a participar dos festivais estudantis de música.

O contato com a música vem desde cedo. O pai, que foi músico, era proprietário, nos fundos da casa da família, do CTG Peão do Alto Uruguai. Foi no salão de baile da entidade que o cantor começou a familiar-se com nomes como: Irmãos Dias, o trovador Portela De Lavi, autor da antológica Pára Pedro, Os Araganos, José Mendes, de quem posteriormente regravou alguns sucessos, e a dupla Norinho e Ediles Nunes.

Aos 14 anos, venceu o 3° Festival Estudantil da Canção (FEC), da cidade de Três de Maio, interpretando a música Good bye my Love good bye, de Demmis Roussus. Neste mesmo município, durante dois anos, participa do Grupo Magia Som, conjunto de covers, em que interpretava músicas de nomes como: Led Zeppelin, Yes, Deed Purple, Elton John e Rod Stewart, e apresentava-se na região da grande Santa Rosa.

Em 1976, o pai compra uma indústria moveleira em Medianeira/PR. Rui vai estudar em Cascavel, local onde conclui o 2° grau e participa ativamente de vários festivais de música. Vai para São Paulo, com o objetivo de fazer carreira artística. Na capital paulista, trabalhou como vendedor de roupas, e durante sua estada na cidade, fez cursos de canto e teatro.

No final de 1981, retorna para Horizontina. Irineu Colato, na época, prefeito do município, que havia sido seu professor na escola, elege-se deputado federal e o convida para ser seu assessor parlamentar em Brasília. Mas as ruas sem esquinas e a falta de um bolicho para conversar com os amigos fazem com que Rui desista de trabalhar na capital federal, transferindo-se para Porto Alegre, com o objetivo de trabalhar para o deputado na capital dos gaúchos.

Na Assembléia Legislativa, conhece Airton Pimentel, que o convida para interpretar a música Birivas na 4ª Seara da Canção, em Carazinho, no ano de 1984. A composição vence a linha Galponeira do festival, e Rui conquista o prêmio de melhor intérprete do evento, e, principalmente, a partir daí, com o sucesso da música, nascia o apelido Biriva. O público começou a associar o nome da composição com o cantor, assim, Rui deixou aos poucos, o sobrenome Leonhardt ser trocado por Biriva.

No ano seguinte, Rui Biriva retorna à Seara para apresentar uma música sua com José Luis Vilela, chamada Santa Helena da Serra, que também vence o festival. Na época, o diretor da Gravadora Continental, Wilson Souto Jr., assiste a apresentação. Entusiasmado com seu trabalho, convida-o para gravar pela companhia paulista. Em 1986, grava pela gravadora Continental o 1° álbum de sua carreira.

Rui obteve importantes prêmios em festivais nativistas, entre eles: Califórnia, Tertúlia, Musicanto, Seara e Coxilha. Suas apresentações são vistas em programas nacionais de TV, como: Amigos, Galpão Crioulo, Raul Gil, Som Brasil. A música Quebrando Tudo, de sua autoria, juntamente com dois outros parceiros, ganhou destaque nacional ao ser utilizada como uma das trilhas do Programa do Ratinho.

Como compositor, já teve seu trabalho cantado por inúmeros artistas como Dalvan, Daniela Mercury, Os Nativos, Os Serranos, Osvaldir e Carlos Magrão, Gilberto e Gilmar, e Gaúcho da Fronteira.

Em 2000, deu início a uma trajetória internacional, ao realizar uma turnê de 20 dais por Portugal, onde fez os portugueses, dentro de um avião, cantar os versos de Quebrando Tudo, quando notaram sua presença no interior da aeronave.

Entre os maiores sucessos da carreira de Rui Biriva, destaque para: Tchê Loco, Santa Helena da Serra, Birivas, Festança, Pé na Estrada, Amigo, Vamo Pegá, Castelhana e Quebrando Tudo, Canção do Amigo, Das Bandas de Horizontina e Tonto de Saudade.

Das premiações mais recentes de sua carreira, destacam-se: Cidadão de Destaque da cidade de Horizontina, Top Of. Mind, da Revista Amanhã, do Sistema RBS, por duas vezes, na categoria Cantor Regionais e Troféu Guri.

Rui apresentou programas nas rádios: FM Cultura (Um Bom Dia Meu Rio Grande) e Festança Rural na rádio Rural. Em televisão esteve à frente do Mateadas na TV Assembléia e atualmente comanda o Paralelo Sul, aos domingos na TVE e Estrada do Sul na Rádio Rural.

Htaccess direto ao ponto

Os arquivos .htaccess oferecem um meio de fazer mudanças nas configurações do diretório. Um arquivo contendo uma ou mais diretrizes de configurações é colocado em um diretório em particular. Enquanto isso as diretrizes se aplicam para aquele diretório e todos os seu subdiretórios subseqüentes. No geral, se usa arquivos .htaccess quando você não tem acesso ao arquivo de configuração principal do servidor.

Confira o modelo abaixo que apresenta uma coleção de dicas para otimização de performance, de fácil entendimento e manipulação. Este modelo não prescreve nenhuma filosofia, apenas auxilia o desenvolvimento.

# Fontes de Kroc Camen: camendesign.com/.htaccess
# Adaptação de Leonardo Moreira: leonardomoreira.com.br/htaccess

RewriteEngine on

# Definindo o idioma. Recursos como x-webkit-speech (http://migre.me/46mS9) usam o idioma padrão.
DefaultLanguage pt-BR

# Se você usa uma index page diferente do padrão do servidor, defina abaixo:
DirectoryIndex main.html

# Definindo o fuso horário do servidor
SetEnv TZ America/Sao Paulo

# Remove assinatura do servidor
ServerSignature Off

# Exibe 404 para uma reescrita se uma pasta de mesmo nome não existir
Options -MultiViews 

# Impede de navegar em pastas sem um documento padrão (index)
Options -Indexes

# Para habilitar a navegação no diretório use:
# Options +Indexes

# Página 404
ErrorDocument 404 /404.html

# Previnindo acesso
<filesmatch ".(htaccess|htpasswd|ini|phps|fla|psd|log|sh)$"="">
 Order Allow,Deny
 Deny from all
</filesmatch>

#
# Forçando a última versão do IE, em vários casos quando ele poderia voltar ao modo IE7
# Use ChromeFrame se estiver instalado
#

<IfModule mod_setenvif.c>
  <IfModule mod_headers.c>
    BrowserMatch MSIE ie
    Header set X-UA-Compatible "IE=Edge,chrome=1" env=ie
  </IfModule>
</IfModule>

#
# É preciso informar os proxies alterações de conteúdo baseado em UA
#
<IfModule mod_headers.c>
  Header append Vary User-Agent
</IfModule>

#
# Permite o acesso de todos os domínios para as web fontes.
#

<FilesMatch ".(ttf|otf|eot|woff|font.css)$">
  <IfModule mod_headers.c>
    Header set Access-Control-Allow-Origin "*"
  </IfModule>
</FilesMatch>

# Forçando a codificação
AddDefaultCharset utf-8
AddCharset utf-8 .html .css .js .xml .json .rss

#
# Filetypes adicionais
#

# video
AddType video/ogg                      ogg ogv
AddType video/mp4                      mp4
AddType video/webm                     webm

# Servindo SVG do jeito certo. Necessário para webfonts SVG no iPad
# twitter.com/FontSquirrel/status/14855840545
AddType     image/svg+xml              svg svgz
AddEncoding gzip                       svgz

# webfonts
AddType application/vnd.ms-fontobject  eot
AddType font/truetype                  ttf
AddType font/opentype                  otf
AddType font/woff                      woff

# variados
AddType image/vnd.microsoft.icon       ico
AddType image/webp                     webp
AddType text/cache-manifest            manifest
AddType text/x-component               htc
AddType application/x-chrome-extension crx

AddType application/rss+xml .rss
AddType text/remarkable  .rem
AddType text/plain  .do # “to.do” files

# Compressão gzip
<IfModule mod_deflate.c>

  # html, txt, css, js, json, xml, htc:
  AddOutputFilterByType DEFLATE text/html text/plain text/css application/json
  AddOutputFilterByType DEFLATE text/javascript application/javascript application/x-javascript
  AddOutputFilterByType DEFLATE text/xml application/xml text/x-component

  # webfonts e svg:
  <FilesMatch ".(ttf|otf|eot|svg)$" >

    SetOutputFilter DEFLATE
  </FilesMatch>

</IfModule>

#
# Fazendo cache de recursos com Expires HTTP
# Lembre-se de assumir controle de versão com cache-busting
#
# Ex. <script src="master.js?20100608"></script>
#
# Mais detalhes em: stevesouders.com/blog/2008/08/23/revving-filenames-dont-use-querystring/
#

<IfModule mod_expires.c>
  Header set Cache-Control "public"
  ExpiresActive on

  ExpiresDefault                          "access plus 1 month"
  ExpiresByType text/cache-manifest       "access plus 0 seconds"
  ExpiresByType text/html                 "access plus 0 seconds"

  # Dados
  ExpiresByType text/xml                  "access plus 0 seconds"
  ExpiresByType application/xml           "access plus 0 seconds"
  ExpiresByType application/json          "access plus 0 seconds"

  # Feed RSS
  ExpiresByType application/rss+xml       "access plus 1 hour"

  # Favicon (não pode ser renomeado)
  ExpiresByType image/vnd.microsoft.icon  "access plus 1 week" 

  # Imagens, vídeo, audio;
  ExpiresByType image/gif                 "access plus 1 month"
  ExpiresByType image/png                 "access plus 1 month"
  ExpiresByType image/jpg                 "access plus 1 month"
  ExpiresByType image/jpeg                "access plus 1 month"

  ExpiresByType video/ogg                 "access plus 1 month"
  ExpiresByType audio/ogg                 "access plus 1 month"
  ExpiresByType video/mp4                 "access plus 1 month"
  ExpiresByType video/webm                "access plus 1 month"

  # Webfonts
  ExpiresByType font/truetype             "access plus 1 month"
  ExpiresByType font/opentype             "access plus 1 month"
  ExpiresByType font/woff                 "access plus 1 month"
  ExpiresByType image/svg+xml             "access plus 1 month"
  ExpiresByType application/vnd.ms-fontobject "access plus 1 month"

  # CSS / jScript
  ExpiresByType text/css                  "access plus 1 month"
  ExpiresByType application/javascript    "access plus 1 month"
  ExpiresByType text/javascript           "access plus 1 month"
</IfModule>

#
# Estamos usando HTTP Expires, não precisamos do ETag, desativar!
#
FileETag None

# Permite que cookies sejam enviados por iframes (somente IE). Descomentar para usar.
#
# <IfModule mod_headers.c>
#   <Location />
#     Header set P3P "policyref="/w3c/p3p.xml", CP="IDC DSP COR ADM DEVi TAIi PSA PSD IVAi IVDi CONi HIS OUR IND CNT""
#   </Location>
# </IfModule>

# no-www, retira o "www" e redireciona.
<IfModule mod_rewrite.c>
  RewriteCond %{HTTPS} !=on
  RewriteCond %{HTTP_HOST} ^www.(.+)$ [NC]
  RewriteRule ^(.*)$ http://%1/$1 [R=301,L]
</IfModule>

iMasters

sábado, 23 de abril de 2011

Feliz Páscoa



Francês - JOYEUSES PÂQUES
Tcheco - VESELE VANOCE
Alemão - SCHÖNE OSTERN
Espanhol - FELICES PASCUAS
Italiano - BUONA PASQUA
Macedônio - SREKEN VELIGDEN
Inglês - HAPPY EASTER
Grego - KALO PASKA
Chinês - FOUAI HWO GIE QUAI LE
Árabe - EID-FOSS'H MUBARAK
Croata - SRETUN USKRS
Húngaro - BOLDOG HUSVETI UNNEPEKET
Polonês - WESOLYCH SWIAT
Sueco - GLAD PASK
Holandês - GELUKKIG PAASFEST
Norueguês - GOD PASKE
Turco - MUTLO (eller Hos) PASKALYA
Português - FELIZ PÁSCOA

2012 Lexus LFA Road Trip


domingo, 17 de abril de 2011

Valmet sabe como trabalhar a nossa terra.


Size Matters: Truck Gymkhana


Mike Ryan, dodecacampeão da Pikes Peak Hill Climb, tentou imitar Ken Block e fez sua própria "Gymkhana", mas não foi com um carro, mas com um caminhão!

Com um Freightliner Cascadia, com pintura da Gulf, impulsionado por um motor de 1.950 CV e 3.400 lb-ft de torque e pneus Michelin feitos à mão, Mike realizou manobras na base marina americana em El Toro, California, mesmo local onde Ken Block já realizou suas peripécias.

Stock Car Brasil by Reiza Studios - New Simulator Video


sábado, 16 de abril de 2011

Gran Turismo 5 Full Review by Inside Sim Racing


Killed Myself When I Was Young: a vintage crash compilation


Letra de "Lucy in the sky with diamonds", de John Lennon, vai a leilão


A letra manuscrita por John Lennon da canção "Lucy in the Sky with Diamonds" será levada a leilão, em mais uma das muitas peripécias envolvendo essa música dos Beatles. A casa de leilões Profiles in History disse na quarta-feira que espera obter mais de US$ 200 mil pela folha de papel contendo o esboço da letra. O leilão está marcado para o mês que vem em Beverly Hills.

O papel contém as primeiras versões da canção, e um esboço mostrando quatro pessoas em uma sala com cortinas nas janelas.

Quando a canção foi lançada, no álbum "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band" (1967), ouvintes e a mídia especularam que a música fazia uma alusão mal disfarçada à droga LSD, por causa das iniciais de "Lucy", "sky" e "diamonds". Lennon sempre contestou essa tese, embora sabidamente tenha experimentado drogas. O artista dizia que só mais tarde percebeu a coincidência com as iniciais.

Como Lennon e outros já explicaram, a inspiração veio do filho dele, Julian, que era criança na época e fez um desenho de uma colega de classe chamada Lucy. Julian teria mostrado o desenho ao pai e dito: "Essa é a Lucy no céu com diamantes".

Uma britânica chamada Lucy Vodden, cujo sobrenome de solteira era O'Donnell, revelou em 2007 que havia inspirado a canção. Ela morreu em 2009.

O Globo

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Um Rover de 27 litros!


O Fifth Gear entrevistou Charlie, proprietário de um Rover SD-1 1981 que atingiu mais de 270 Km/h em um teste de reta. O motor instalado no carro foi herdado de um avião Spitfire, da Segunda Guerra Mundial, que possui 24 cilindros, 27 litros de capacidade cúbica, 600 CV de potência e 680 quilos de torque!

Verdades não tão conhecidas sobre programação

Este artigo é a tradução de um excelente texto escrito por David Veksler, no qual ele conta o que sua experiência como programador lhe ensinou.

O texto original pode ser encontrado aqui.

A tradução segue abaixo:

* Um programador gasta cerca de 10% a 20% do seu tempo escrevendo código. Normalmente escreve entre 10 e 12 linhas por dia, que estarão presentes no produto final independentemente do seu nível de perícia ou experiência. Bons programadores gastam cerca de 90% do seu tempo pensando, pesquisando e experimentando maneiras de encontrar a solução ótima. Os programadores ruins gastam quase 90% do tempo debugando e fazendo alterações muitas vezes aleatórias na tentativa de "fazer funcionar".

* Um bom programador é dez vezes mais produtivo do que um programador comum. Um excelente programador é entre 20 e 100 vezes mais produtivo do que um convencional. Não é um exagero. Estudos desde os anos 60 têm mostrado isso consistentemente. Um mau programador não é só improdutivo - além de não concluir o trabalho com êxito, gera dores de cabeça e trabalho extra para outras pessoas consertarem.

* Excelentes programadores gastam pouco do seu tempo escrevendo (código que de fato estará no resultado final). Os programadores que gastam muito do seu tempo escrevendo provavelmente não estão encontrando e utilizando soluções existentes para problemas antigos. Bons programadores são ótimos em reconhecer e em reutilizar padrões comuns e não têm medo de refatorar seu código constantemente, a fim de atingir a solução ótima. Programadores ruins escrevem código que falha em integridade conceitual, não-redundância, hierarquia e padrões, tornando complicada a refatoração, fazendo com que seja mais fácil jogar fora todo o trabalho e recomeçar.

* Software, como qualquer coisa, obedece às leis da entropia. Contínuas mudanças levam ao desgaste do software e de sua integridade conceitual planejada originalmente. A entropia é inevitável, no entanto, programadores que falham ao estabelecer a integridade conceitual criam sistemas que se desgastam tão rapidamente, que muitas vezes se tornam inúteis e caóticos demais mesmo antes de serem concluídos. Possivelmente, o motivo mais comum para falha em projetos é o rompimento da integridade conceitual devido à entropia descontrolada (o segundo mais comum é a entrega de um produto diferente do que o cliente esperava). A entropia desacelera exponencialmente o desenvolvimento e é o principal motivo para deadlines desesperadoras.

* Um estudo realizado em 2004 revelou que 51% dos projetos falham ou irão falhar em alguma funcionalidade importante e que 15% simplesmente vão falhar como um todo, o que é um grande avanço desde 1994, quando 31% dos projetos falhavam criticamente.

* Embora muitos softwares sejam desenvolvidos em equipe, não se trata de uma atividade democrática. Geralmente somente uma pessoa é responsável pelo “design” do sistema e o resto do time o completa com detalhes.

* Programar é um trabalho pesado. É uma atividade mental intensa. Bons programadores pensam sobre seu trabalho 24/7. Eles escrevem seu código mais importante no chuveiro, sonhando etc., porque o trabalho mais importante é feito longe do teclado. Projetos não são concluídos mais rapidamente gastando mais tempo no escritório ou adicionando pessoas novas ao projeto.

"Um excelente operário pode ser duas ou até três vezes mais produtivo que um operário comum, já um bom programador pode fazer com que seu trabalho seja mais do que 10 mil vezes mais produtivo do que um programador comum" Bill Gates

iMasters

2012 Ferrari FF - First Drive Review - Car And Driver


quinta-feira, 14 de abril de 2011

Caparo T1 driven by Mika Hakkinen for Autocar


Fuja das fraudes nas campanhas de links patrocinados

É fato mais que consumado que uma campanha bem feita de links patrocinados pode gerar uma renda líquida mensal maior do que sua empresa tem hoje e que a mesma ação deixa o nome do seu negócio sempre em evidência.

Mas é necessário ter alguns cuidados para fugir de concorrentes desonestos, que podem tentar fazer com que seu dinheiro escorra por ralo abaixo, clicando impunemente nos links de sua empresa.

São situações quando seu anúncio é exposto na internet e clicado pelo concorrente da área onde presta serviço, com o objetivo de fazer com que você gaste todo seu orçamento sem ter, no entanto, qualquer retorno de mídia.

Ou, ainda pior, quando seu anúncio é exposto na rede de parceiros e o próprio parceiro clica nos anúncios que são apresentados no seu site com o objetivo de receber parte da receita proveniente da sua campanha.

No primeiro caso, o seu concorrente tem uma faca de dois gumes, assim como também fica à disposição de suas atuações no mercado. Sabendo que é uma lista definida e limitada, muitas das empresas que tentam burlar regras acabam sendo descobertas e banidas do sistema. Ou seja, ao utilizar-se de meios ilícitos, ela será punida.

Já pela campanha atrapalhada pela rede de parceiros, o problema passa a ser mais sério. Qualquer internauta que possua um blog ou um site em empresas oficiais de mídia pode criar softwares que entram na página da sua empresa e clicam sobre os links, fazendo com que pequena parte da receita gerada vá para essa rede de parceiros.

Os dois problemas, porém, podem ser facilmente identificados e resolvidos por um consultor de links patrocinados, que cuidará para que sua campanha não seja prejudicada por interesses alheios e para que sejam punidas as empresas que tomam atitudes irregulares.

O mais importante é dar um rumo definido, um foco à sua campanha de marketing digital, procurando, por exemplo, cadastrar frases com pelo menos duas palavras-chave, tornando o site praticamente blindado aos vários tipos de fraude. Tome cuidado, porém, com palavras-chave que sejam óbvias demais, facilitando a quebra desse sistema.

É necessário, também, ter um sistema "antifraude". Um dos mais conhecidos é o ClickAuditor. O melhor, nesse caso, é contar sempre com a ajuda de um profissional especializado, para que você não caia nas mãos de prestadores de serviço que utilizem sua preocupação em defender sua empresa como um meio de simplesmente te tirar dinheiro.

Outra precaução que pode ser tomada é a análise do log de visitas do site da sua empresa. Essa seção lista por endereços de IP os principais visitantes da página na internet. Em seguida, é necessário que você disponibilize os endereços de IP com mais de 50 visitas por mês para o Adwords para que eles verifiquem se os cliques não correm o risco de serem fraudulentos. O sistema mais conhecido é o Webtrends. Verifique se sua empresa de hospedagem disponibiliza esse sistema para você.

O importante é manter sua empresa competitiva no mercado e, em hipótese alguma, clicar nos anúncios de seus concorrentes. Pode manchar não só toda sua campanha desenvolvida de forma séria, como também evidenciar o nome da sua empresa em uma lista de concorrentes desleais. Apesar de alguns toques "simples" descritos na coluna, o ideal é deixar toda sua campanha de links patrocinados à disposição de um consultor de links patrocinados. Além de mais eficiente, você verá sua empresa lucrar sem ter metade da dor de cabeça que teria se tentasse entrar sozinho nessa empreitada.

iMasters

"LEFT FOUR AND A HALF AFTER CREST!"


Kym Illman e a navegadora Kirrilee Gentleman estavam correndo uma etapa do Targa Tasmania 2011, com um Mitsubishi Evo IX. Prestes a realizar uma curva, o carro ficou sem freios e escapou da pista a 190 Km/h, com as rodas no ar durante 35 metros.
"Sorry."

quarta-feira, 13 de abril de 2011

2012 Nissan GT-R vs. Ferrari Enzo at Nürburgring Nordschleife


Por que as faculdades de tecnologia deixaram de ser atraentes para os jovens?

No início dos anos 90, o curso de Ciência da Computação era um dos mais disputados nas universidades brasileiras. Nos últimos anos, no entanto, a situação se inverteu, com uma drástica redução no número de candidatos que disputam uma vaga nas faculdades relacionadas à tecnologia. O motivo? A falta de interesse dos jovens por seguir uma carreira nesse setor.

Uma das explicações para esse fato deve-se à própria disseminação do uso de recursos tecnológicos. "Os jovens que estão entrando no mercado de trabalho hoje já nasceram com acesso à internet e ao celular. Assim, eles acham que dominam a tecnologia e não enxergam tudo o que existe por trás para que as coisas funcionem", pontua Sérgio Sgobbi, diretor de Educação e Recursos Humanos da Brasscom (Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação).

Da mesma forma, Roberto Mayer, vice-presidente de Relações Públicas da Assespro (Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação), atribui o esvaziamento das universidades a uma falsa impressão dos estudantes de que não há muito mais o que fazer no setor. "O fato de estar numa Lan House, com um iPhone no bolso, cria uma sensação de intimidade com a tecnologia, mas é uma visão parcial", afirma.

Mayer lembra que quando olham apenas para o uso cotidiano da tecnologia, as pessoas esquecem de que existe uma sofisticação cada vez maior dos sistemas e dos recursos de TI utilizados pelas empresas. "O Bradesco e o Itaú empregam mais desenvolvedores do que Microsoft e Oracle, por exemplo", ressalta o especialista da Assespro. Ele lembra ainda que, por conta dessa demanda, atualmente, existem cerca de 120 mil vagas de trabalho abertas no setor que não são preenchidas por falta de mão-de-obra e, se a situação se mantiver, esse número pode chegar a 200 mil posições até 2013.

Não à toa, as entidades que representam a área de tecnologia preparam iniciativas específicas voltadas a estimular o interesse pela carreira no setor. A Assespro acaba de nomear um diretor-adjunto de Recursos Humanos para comandar um projeto voltado a criar materiais didáticos para escolas de ensino médio. O objetivo é que os professores utilizem essas informações para ensinar conceitos básicos de TI (tecnologia da informação) no colegial.

Outra ação da entidade é desenvolver uma cartilha para explicar o setor de tecnologia e todas as oportunidades, que "possa ser usado por qualquer pessoa interessada ou que queira fazer uma palestra", explica Mayer.

A Brasscom também desenvolveu ações para atrair jovens profissionais. Para isso, está firmando parcerias com entidades de ensino em todo o país para formação de técnicos na área de TI. Um dos primeiros resultados da iniciativa foi a criação de um curso de TI, em parceria com o Senai/SP.

Olhar Digital

Ferrari 458 Italia Challenge - Onboard - Autodromo Nazionale di Monza - Stefano Gai


segunda-feira, 11 de abril de 2011

Como ter um tráfego qualificado no seu e-commerce

Quando se decide apostar no crescimento do comércio eletrônico, abrindo uma loja virtual, busca-se ter um empreendimento de qualidade e sucesso. No entanto, para vender os produtos ou os serviços na web e conseguir destaque no mercado virtual, nada é tão fundamental como possuir bons consumidores.

Na conquista pelos clientes, não é qualquer tipo de divulgação que atrai os consumidores corretos para sua loja online. Pois é natural, no tráfego inicial, haver perfis de consumidores que não coincidem com o público-alvo que sua loja virtual precisa ter, devido à segmentação que você escolheu trabalhar.

Por isso, é de grande importância que a loja virtual possua um tráfego de visitantes qualificados, ou seja, potenciais consumidores realmente interessados nos produtos ou nos serviços dispostos para a comercialização. Dessa forma, as negociações online são efetivadas com maior sucesso, afinal, a loja atinge o público correto.

Para conquistar um tráfego qualificado para sua loja virtual, é preciso investir em marketing digital focando o seu público. Isso é possível com campanhas de Links Patrocinados (SEM) – através da compra de palavras-chave, da busca orgânica de SEO (Otimização para sites de busca) e por meio das mídias sociais com descontos e promoções, envolvendo os consumidores.

Um tráfego qualificado é tão importante que é capaz de auxiliar na conquista de novos clientes para a loja virtual, pois uma vez que há clientes fidelizados, o marketing boca-a-boca gera grandes resultados, atraindo clientes com o mesmo padrão de perfil, ou seja, consumidores realmente interessados em sua loja.

Boas vendas!

iMasters

domingo, 10 de abril de 2011

O Valmet é econômico em tudo. Até em pátrias. Finlândia e Brasil.


Certificação vale mais do que faculdade para entrar no mercado

Qual o melhor caminho para entrar no mercado de TI? Ter uma ou várias certificações técnicas. Hoje, esse tipo de capacitação vale mais até do que um diploma universitário na hora de muitas companhias do setor de tecnologia contratarem um novo profissional, segundo Sérgio Sgobbi, diretor de Educação e Recursos Humanos da Brasscom (Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação).

"Isso acontece porque as empresas são avaliadas por padrões internacionais, que exigem um certo número de profissionais certificados", justifica Sgobbi, que completa: "Assim, ter certificações pode ser um diferencial para entrar no mercado."

O diretor da Brasscom alerta, no entanto, que se ter um ou mais certificados garante a contratação, isso não representa uma garantia de evolução na carreira de TI. A formação universitária continua a ser um fator determinante para quem quer ter sucesso nesse mercado. Mais do que isso, os profissionais de tecnologia têm de estar dispostos a buscar um conhecimento e uma capacitação constantes para se manterem no setor.

As exigências de conhecimento específico em TI, por sinal, têm sido recompensadas com salários acima da média de outros setores da economia. Sgobbi cita que uma pesquisa de 2007 do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), ligado ao Ministério do Trabalho e Emprego, apontava que, enquanto a remuneração média dos brasileiros era de R$ 938,00, no setor de tecnologia ela atingia R$ 2.025,00. "Se trouxermos esses valores para os dias de hoje, o valor deve saltar para cerca de R$ 3.000,00", calcula o executivo.

A valorização dos profissionais está ligada, entre outros fatores, ao déficit de pessoas qualificadas nesse mercado. Uma pesquisa da Softex projeta que, em 2011, existirão cerca de 92 mil vagas abertas no Brasil, em empresas de software e de serviços de tecnologia, que não serão preenchidas por falta de profissionais preparados para preenchê-las, e esse número só tende a aumentar.

Olhar Digital

Porsche Carrera GT Loading Fail


sexta-feira, 8 de abril de 2011

The 21st Century Beetle. Coming this fall.


2012 Chevrolet Corvette Centennial Edition


A Chevrolet comemorará seu centenário lançando uma versão especial de um ícone da marca: o Corvette Centennial Edition. Não será apenas um carro, ele estará disponível na forma de pacote de upgrades, seja para a versão básica, Z06 ou ZR1, e tem como principais características a pintura Carbon Flash Metallic, gráficos satin-black, e rodas Centennial.

Além disso, o carro atualizado vem com o Magnetic Selective Ride Control, pinças de freio na cor vermelha, e identificações exclusivas na carroceria. No habitáculo, a equipe de design da Chevrolet colocou estofados com couro negro, contrastando com a costura com linha vermelha, assentos com microfibra de camurça e encostos de cabeça em relevo.

Para promover o veículo, a Chevrolet venderá um Z06 Centennial Edition no famoso leilão Barrett-Jackson, em West Palm Beach, Florida, amanhã, 9 de abril. O lucro obtido será revertido para para instituição de caridade Austin Hatcher Foundation for Pediatric Cancer.


Piloto fantasma


Durante uma prova da World Superbike, em Donington Park, dois pilotos colidiram no meio da curva e foram ao chão. Um terceiro piloto também caiu, mas sua motocicleta continuou andando!

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Senna: mais do mesmo, menos do essencial


Eu fiz a pré-compra do DVD, esperei quase um mês pela sua chegada. A expectativa depositada no documentário sobre Ayrton Senna, um dos maiores e mais carismáticos pilotos da história da Fórmula 1, ficou um pouco frustrada pela falta de componentes essenciais para uma maior compreensão da sua carreira.

A começar pela sua história nas categorias de base, depois de subir do Kart para as Fórmula Ford 1600 e 2000, e na Fórmula 3 britânica, duelando com Martin Brundle por espaços nas pistas de asfalto. Depois, na Fórmula 1, falhou em mencionar a atuação patética que Ayrton teve no GP da Austrália de 1985, onde andou em todas as partes do circuito, inclusive, embaixo de uma arquibancada.

Além disso, deixaram de ser citadas a chegada em Jerez de la Frontera, com apenas 14 milésimos de vantagem para Nigel Mansell, uma das menores diferenças de chegada da história da Fórmula 1, os duelos com Nelson Piquet, na Hungria, Jean Alesi, em Detroit, Nigel Mansell, em Mônaco, e Alain Prost e Michael Schumacher, em Silverstone.

O que senti assistindo ao filme é que parece que tentaram passar uma imagem de um Ayrton Senna indefectível, sem defeitos. Mas, quem conhece bem a carreira dele, sabe que não foi bem assim. Até 1988, em Mônaco, quando bateu na saída da Portier, a cinquenta segundos de Alain Prost, e foi direto a seu apartamento, que ficava a poucos metros da pista, sem dar satisfações, demonstrava ali uma personalidade um tanto difícil de lidar, um piloto afoito, que não sabia medir as consequências de uma pilotagem apressada, mesmo estando a tantos metros de distância do rival mais próximo.

Naquele momento, Ayrton Senna sofreria um grande sacolejo em sua carreira. "Acordou" para a realidade, descobrindo que nunca seria campeão com essas atitudes, apesar da tremenda velocidade. Acabou vencendo o campeonato daquele ano, com atuações ao volante que fizeram muitos esquecerem a patetice que cometeu perto do túnel de Monte Carlo.

É claro que o filme tem as suas qualidades. A começar pelas imagens inéditas: da reunião entre Jean-Marie Balestre, Alain Prost e Ayrton Senna, depois do Grande Prêmio do Japão de 1989, filmada da frente do pódio, das imagens de arquibancadas, mostrando de um outro ângulo o acidente que matou Roland Ratzemberger, e os momentos com a família nos bastidores.

Apesar da tentativa de Asif Kapadia e Manish Pandey em produzir algo único, ambos falharam ao não reproduzir momentos cruciais da carreira de Ayrton, como os mencionados acima. A impressão que tenho do filme é que mais parece um "Ayrton Senna para quem nunca ouviu falar".

No entanto, o registro é válido, sobretudo para quem não é brasileiro ou não vivenciou a relação da ferrenha torcida com Ayrton Senna, e sempre buscou compreender melhor a paixão desse povo pelo piloto, um povo que sofria na época com um período de inflação monetária estratosférica, várias mudanças de moeda, problemas sociais e políticos, e que encontrava nas manhãs de domingo um dos raros momentos de alegria.

We are looking forward to the competition in 2011. Racing is a state of mind. Mercedes-Benz. (With Michael Schumacher, Nico Rosberg and Mika Hakkinen)


Ferrari FF review by Autocar


terça-feira, 5 de abril de 2011

Flávio Alcaraz Gomes (25/05/1927 - 05/04/2011)

Flávio Alcaraz Gomes nasceu em Porto Alegre, em 25 de maio de 1927. Seu avô, Joaquim Alcaraz, foi um dos primeiros diretores do jornal Correio do Povo. Formou-se em direito pela Faculdade de Direito da UFRGS em 1949, e foi estudar na Sorbonne, em Paris, entre 1950 e 1952.

Ao voltar para Porto Alegre, começou a trabalhar como repórter de polícia do jornal Folha da Tarde, jornal vespertino da Companhia Jornalística Caldas Júnior. Como repórter, atuou na Copa do Mundo de 1958 e na Copa do Mundo de 1970. Cobriu o sequestro pelos tupamaros do cônsul do Brasil no Uruguai. Também atuou na Guerra do Vietnã como correspondente no Oriente Médio e Europa.

Flávio ajudou a fundar a Rádio Guaíba e comandou o programa Guerrilheiros da Notícia na emissora. Alcaraz ainda apresentou os programas Fórum e Guerrilheiros da Notícia na antiga TV Guaíba. Até setembro de 2007, ele possuía uma coluna diária no jornal Correio do Povo. Atualmente, apresentava o programa Guerrilheiros da Notícia na TV Pampa.

Entre os livros escritos por Alcaraz está "Diários de um Repórter", "Morrer por Israel", "Um Repórter na China" e "Prisioneiro 30.310".

Flávio é um dos maiores nomes do jornalismo do Rio Grande do Sul. Uma das vozes mais ouvidas entre os gaúchos até os dias de hoje, fez coberturas jornalísticas históricas e publicou livros onde narra sua trajetória como repórter e suas vivências.

Seu avô, Joaquim Alcaraz, foi um dos primeiros comandantes do Correio do Povo. Ele montara um estaleiro importante em Porto Alegre, o Estaleiro Alcaraz, cujos altos lucros possibilitaram que emprestasse a Caldas Jr. o dinheiro necessário para que seu recentemente criado diário não fosse à falência antes de completar uma década.

Joaquim, durante a revolução de 1930 fizera os 3 primeiros tanques de guerra do Brasil, montando-os em cima de tratores. Ele era o encarregado das oficinas do Correio do Povo, comprou a máquina Marinoni, que era a mais moderna rotativa na época (em 1927), o que ajudou o jornal a se consagrar como o de maior qualidade do Rio Grande do Sul e um dos melhores do país.

Quando o fundador Caldas Jr. morreu, seu avô assumiu o comando. A irmã dele, Dolores Alcaraz Caldas, casada com o Caldas Jr., ficara desamparada, então ele tocou o Correio do Povo e entregou-o engrandecido ao herdeiro, seu jovem sobrinho Breno Caldas, pai de Flávio, filho de Joaquim, também foi um dos diretores, chefiando a publicidade da Folha da Tarde e depois como diretor de circulação do Correio do Povo.

Flávio começou como repórter de polícia do jornal Folha da Tarde, vespertino de Porto Alegre, da Companhia Jornalística Caldas Jr., dirigida por seu primo, Breno Caldas. Depois de ter concluído o curso de Direito, foi estudar na Sorbonne, em Paris, nos anos de 1950, 51 e 52. Já formado em Direito em 1949, participou de uma excursão da Faculdade a alguns países da Europa, de navio, em terceira classe, por 17 dias, ao lado de imigrantes que voltavam decepcionados com a América do Sul.

Voltou para Porto Alegre e começou a trabalhar no principal jornal do Estado de Rio Grande do Sul e da Companhia Jornalística Caldas Júnior, o Correio do Povo. Em 1957 a Caldas Jr. fundou a Rádio Guaíba e Flávio foi ser seu primeiro diretor comercial. Em 1958 foi cobrir a Copa do Mundo na Suécia. Devido aos relacionamentos que tinha, conseguiu a façanha de montar um circuito exclusivo para o Rio Grande do Sul da PTT-e Post, Telegraph and Telephone, grande organização de comunicações da Europa.

Em 1967, foi ao Vietnam cobrir a guerra, convidado pelo governo americano para visitar o Vietnam do Sul. A caminho do Vietnam, em escala no aeroporto de Roma, viu as manchetes dos jornais que diziam que o presidente do Egito, Gamal Abdel Nasser tinha decretado o bloqueio do Golfo de Acaba, o que significaria a asfixia de Israel. Deduziu que a guerra seria iminente. Naquela ocasião se encontrava na faixa de Gaza, numa zona mantida pela ONU, uma tropa de 500 soldados oriundos do Rio Grande do Sul, os "boinas azuis", então concluiu que a notícia estava lá.

Em Roma, conseguiu um visto, e se deslocou ao Cairo. Dali mandava 3 matérias diariamente para o Correio do Povo e Folha da Tarde, além de boletins para a Rádio Guaíba. Foi um dos poucos jornalistas que teve perguntas respondidas pelo presidente do Egito, numa entrevista coletiva da qual participaram 350 repórteres. Cada um teve o direito de submeter três perguntas, que poderiam ou não serem escolhidas para serem respondidas. Das mais de mil perguntas foram selecionadas 30. Destas, duas foram de Alcaraz Gomes. O serviço era em inglês e submetido à censura.

Depois disso, mandou um telegrama cifrado para o Correio do Povo dizendo: "Sigo Bom Fim", que foi interpretado como "sigo para Israel", pois o Bom Fim, bairro de Porto Alegre, é conhecido como residência de grande número de famílias de origem judaica. Pegou um avião até Atenas, fez a triangulação e desembarcou em Tel Aviv. Aí viu que o povo estava em armas. Imediatamente se credenciiou e já no dia seguinte foi para o front de Golan, contratando um fotógrafo que bateu duas fotografias, que foram mandadas para Porto Alegre via radiofoto.

Antes, no Cairo, tinha entrevistado o major Breno Vignolli, que era gaúcho e tinha sido seu companheiro de moleque na rua Ernesto Alves. Ele era filho de um ex-chefe de polícia do RS, Darci Vignolli. A radiofoto custou 150 dólares, que era uma fortuna na época. Foi a primeira divulgada na imprensa do Brasil. Elas chegaram na véspera do dia em que a guerra começou, junho de 1967. Todo o mundo dizia que Israel seria varrido da terra.

Tendo servido no Exército Brasileiro como voluntário e depois de ter observado os dois exércitos, o israelense e o egípcio, ousou escrever em um artigo que a guerra vai sair e Israel irá vencê-la em operação relâmpago. Foi a manchete da Folha da Tarde que lhe rendeu vários prêmios de jornalismo.

Quando voltou à Porto Alegre foi trabalhar em todos os meios da Caldas Jr., atuando como repórter e comentarista dos jornais Correio do Povo e Folha da Tarde e da rádio Guaíba AM.

Correspondente internacional, escritor de sucesso, diretor de uma das rádios mais importantes de Porto Alegre, empresário bem sucedido. Tudo estava bem com Flávio Alcaraz Gomes. Até que um tiro, de madrugada, provocou a tragédia.

Ao chegar com o carro perto de sua casa, no Morro Santa Tereza, depois de um jantar com a esposa Maria Clara na casa de amigos, Flávio pegou sua espingarda e dirigiu-se à porta do motorista, pois a rua em que morava era escura. Suspeitara que o carro pudesse ser de algum agente do governo militar, querendo vigiar o jornalista. Ciente da relação privilegiada de seu primo e chefe Breno Caldas com a ditadura brasileira, resolveu enfrentar o suposto agente. De arma em punho, colada ao vidro do motorista, forçou-o à baixá-lo. Descobriu que se tratava de um jovem, tendo ao seu lado uma moça, ambos nus, aparentemente recentemente engajados em sexo.

Surpreso e nervoso, Flávio ordenou que se retirassem imediatamente da frente de sua casa e fosse procurar um motel. O jovem abaixou-se para pegar suas calças jeans, mas Flávio, ainda sob a adrenalina da situação, por um segundo achou que ele estaria pegando alguma arma para revidar e, fazendo um movimento brusco com sua espingarda, de cima para baixo, acidentalmente a disparou quando ela bateu contra a parte inferior da janela aberta. O jovem morreu na hora, com um enorme tiro à queima-roupa.

A notícia chegou rapidamente à redação do Correio do Povo. Da delegacia de polícia para a qual fora levado, Flávio ligou para o primo, diretor do jornal. Breno, ao contrário de suas expectativas, reagiu com fúria, sentindo-se traído, acusando Flávio de ser mimado, cheio de caprichos e consequentemente levado a esporros de violência quando não atendido em seus desejos. Breno considerou seu primo culpado pelo ocorrido e os jornais de sua empresa refletiram seu sentimento.

Todas as notícias sobre o assassinato foram publicadas com evidente teor contra seu ex-empregado (Breno o demitiu na mesma noite em que o crime foi cometido). Mas seu nome aparecia como Flávio Gomes, pois Breno se chamava Breno Alcaraz Caldas e não queria sujar o nome de sua mãe. Além de ter acabado com a vida de uma jovem, o tiro na madrugada fulminou tudo o que Flávio Alcaraz Gomes construíra em sua vida.

Vendo que um dos maiores nomes do jornalismo gaúcho estava desempregado e prestes a ser julgado e condenado à prisão, o antigo colega de empreitadas jornalísticas e comerciais, agora dono do jornal Zero Hora, da rádio Gaúcha AM e da TV Gaúcha, Maurício Sirotsky, resolveu convidá-lo para escrever uma coluna para o diário e fazer um programa semanal para a rádio, tudo de dentro de sua cela na cadeia. Foi o maior sucesso do final dos anos de 1970.

Depois de sua saída da prisão, Flávio seguiu com suas atividades na agora rebatizada RBS. Mas depois da morte de Maurício e as mudanças efetuadas pelo seu herdeiro, Nélson Sirotsky, Flávio resolveu deixar a empresa. Breno Caldas havia falido e já não era mais dono da Caldas Jr., que também perdera a liderança no mercado de mídia no início dos anos 1980. O novo dono, Renato Bastos Ribeiro, deu à Flávio um programa diário no horário nobre matinal da rádio Guaíba AM e um programa diário às 19 horas na TV Guaíba, o Guerrilheiros da Notícia.

Flávio foi fundador da Rádio Guaíba (1961) e, depois de trabalhar na RBS, voltou à emissora do Grupo Caldas Júnior, em 1988, ali trabalhando durante 19 anos. Durante o período que se prolongou até meados de 2007, sua carteira profissional năo foi assinada e os pagamentos eram sempre feitos em nome de uma empresa que o radialista, já durante a relaçăo profissional havida, teve que constituir.

O objetivo era reduzir encargos financeiros (FGTS, INSS etc) para a Rádio Guaíba. Quando a Rede Record comprou a empresa, Flávio se sentiu desprestigiado pelos novos donos por ter tido o horário de seu programa de rádio mudado para as 9 da manhã, quando a maioria dos ouvintes já está ocupado com suas tarefas e desligados de seus aparelhos. Por isso, Flávio entrou com uma ação na justiça contra a Record e em seguida transferiu seus programas para a rádio e TV Pampa.

Mercedes-Benz SLS AMG GT3 Walk-Around


rFactor - Prototype C – Jaguar XJR-5 Preview Video


domingo, 3 de abril de 2011

Mercedes-Benz C 63 AMG Coupé. Driving Pleasure.


Superchips Renault Sport Megane vs. Ford Focus RS


Gran Turismo 5 no Google Street View


A agência de publicidade russa SmartNewSolutions foi contratada pela Sony para criar um anúncio para o Gran Turismo 5. Eles optaram por um banner com 300 pixels de altura e 600 pixels de altura, e interativo, no qual é possível "dirigir" pelas ruas de roma usando os recursos do Google Street View.

Embora o resultado final não seja tão bom na prática quanto no conceito, ainda assim é divertido de "jogar" no anúncio, sentindo-se a bordo do Nissan GT-R. Veja o vídeo acima, explicando o case, além de visualizá-lo na prática, clicando neste link.