Mostrando postagens com marcador Mika Pauli Häkkinen. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Mika Pauli Häkkinen. Mostrar todas as postagens

Make the right choice and stay in control. Join The Pact to never drink and drive. Johnnie Walker. (With Mika Häkkinen)


JOHNNIE WALKER® Serves Up Clear Statement on Responsible Drinking Through New Glass Car Film

SAO PAULO, November 22, 2013 /PRNewswire/ --

If you need to be reminded about the fragility of human life, just watch a Formula 1 race car made entirely of JOHNNIE WALKER whisky glasses shattering into a million pieces, says Carolyn Panzer, Director of Corporate Social Responsibility for Diageo, makers of the world's No. 1 Blended Scotch Whisky.

The Glass Car is a new flagship film launched today for Join The Pact, a global campaign to gather one million commitments to never drink and drive. Inspired by the fragility of glass, the 90-second film imagines a race car made of 1,750 glasses. Beautiful and powerful, yet so easily shattered, the glass car symbolises the importance of always making the right choices and staying in control.

Vencedor de concurso ganha chance de pilotar um Fórmula 1


Dezessete finalistas da competição "Drive of a Lifetime", realizado pela Johnnie Walker, visitaram a sede da equipe de Fórmula 1 e da marca automotiva, e participaram de um evento de três dias, organizado pela Palmer Motorsport, que incluiu preparações física e mental, além de pilotagens em monopostos e carros de passeio.

Durante esse tempo, foi testada a capacidade de todos os concorrentes para, no último dia, o melhor deles ser escolhido para ocupar o assento do McLaren MP4/23, carro com o qual Lewis Hamilton conquistou o título de 2008. Djordje Simic, o vencedor, ganhou a oportunidade de pilotar o carro.

"Isto, realmente, foi a chance de uma vida inteira! É uma tremenda honra para mim ter a oportunidade de pilotar um carro de Fórmula 1. Sempre foi um sonho para mim pilotar um F1 da McLaren, e me sinto orgulhoso de poder mostrar aos jurados da competição que teria o controle e a habilidade necessárias para tal", disse Djordje.

"Estou realmente impressionado com Djordje, pelo que demonstrou a bordo do carro. Pôs muito bem em prática as instruções recebidas durante os três dias da competição. Estava um pouco preocupado com Simic e o carro, mas Djordje foi melhorando a cada volta e, no final, sua performance estava consistente e rápida”, disse Lewis Hamilton.

“Pilotar um carro de Fórmula 1 é muito difícil, mas Djordje foi muito bem para uma primeira vez”, disse Mika Häkkinen.

Lotus Exos Type 125: um F1 para os que têm dinheiro, querem ser pilotos, mas nunca tiveram uma oportunidade




O Lotus Exos Type 125 é um monoposto inspirado nos bólidos da Fórmula 1. Pesa 650 Kg, possui um motor Cosworth V8 3.5 que produz 650 CV a 10.300 RPM, com o recurso push-to-pass, que aumenta o número de giros em 500 RPM durante alguns segundos. A transmissão é semi-automática com borboletas atrás do volante, como num F1 moderno. O monocoque e a suspensão são de fibra de carbono, e os freios, feitos de um composto de carbono e cerâmica.

O carro pode ser pintado com uma das várias combinações disponibilizadas pela Lotus, incluindo o amarelo e a combinação verde-amarelo. Somente 25 unidades do Lotus Exos Type 125 serão produzidas, ao preço de um milhão de euros, cada uma. O veículo pode rodar por até 4.500 Km antes de necessitar manutenção básica.



"É um carro muito fácil de pilotar e manter. Você não precisa de um grande número de pessoas para fazer o carro andar, caso você queira trazê-lo à pista e ter um track day com ele", disse Stephen Wright, da Lotus Motorsports.

Quem comprar o Lotus Exos Type 125 fará parte do clube de proprietários da Exos, que organizará eventos para ajudar seus membros a desenvolver sua capacidade de pilotagem. Estes eventos podem contar com a participação de pilotos que já passaram pela ou ainda estão na Fórmula 1, como Mika Häkkinen e Jarno Trulli.



O Lotus Exos T125 será construído em Norfolk, Inglaterra, e as primeiras dez unidades serão entregues no outono de 2011, e os restantes, no inverno seguinte.