domingo, 29 de novembro de 2009

Alain Prost Drives the Dacia Duster V6 Racer



Virginia International Raceway - KTM X-Bow - Onboard



Hard Disc em formato de carro




Que tal um dispositivo de backup ou armazenamento portátil de dados com um disco rígido extra poderoso e com formato de um carro? O acessório, vendido na internet, é oferecido com memória de até 640 GB e na escala 1:18, no site Flashrods, que também disponibiliza outros hard disks com formato de carros e que custam a partir de US$ 210. Entre a variedade de modelos estão os hot rods, de estilo retrô.

Cachorro fica faceiro com volta de seu dono



sábado, 28 de novembro de 2009

XTR Carchip Porsche Cayman X-Wide




A XTR Carchip, preparadora de Berlim, pegou o Porsche Cayman S e o transformou em um carro de corrida, pelo menos, na aparência.

Batizado como X-Wide, o carro recebeu um kit de carroceria que inclui para-lamas extra largos, difusores dianteiros, saias laterais, espelhos retrovisores em fibra de carbono, um enorme e ajustável spoiler traseiro, rodas BBS RS aro 18 com cubo central (roda é presa por apenas uma porca), aro polido e raios dourados.

A proposta "pronto para as pistas" não compromete o conforto interno. No habitáculo, permanecem itens como ar-condicionado digital e sistema de som, que recebem a companhia de bancos Recaro GT3, com cintos de seis pontos, tudo envolto em uma gaiola de proteção.

O fato de o motor boxer 3.4 de seis cilindros ter recebido apenas um novo chip para a unidade de controle eletrônico parece frustrante, apenas o suficiente para elevar discretamente a velocidade máxima de 277 km/h para 285 km/h. Mas, se os 320 CV de potência e 37,7 kgfm de torque parecem pouco, pode esperar. A XTR Carchip não se limita aos chips, e trabalha em um estágio mais brutal de preparação, com dois turbos. Uma receita que deve alcançar os 861 CV de potência.



2010 Porsche 911 Turbo



E o cara do Corcel gritava sem parar...


- Cada um paga o seu! Cada um paga o seu! Cada um paga o seu!







Se beber, não dirija.

Se for bater, pelamordedeus, que não seja numa Ferrari!

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Uma imagem

Lucas Di Grassi testa novo modelo de capacete aerodinâmico.

O piloto brasileiro diz que o ganho pode chegar a 2 décimos por volta.





É bom que funcione mesmo, pois ficou feio pra cacete.

Se a moda dos penduricalhos na Fórmula 1 pegar no Kart...

Os patrocinadores agradecem pelo espaço aumentado para publicidade...

rFactor - Kartódromo de Canasvieiras - 125cc

Uma volta virtual no Kartódromo de Canasvieiras, localizado em Florianópolis, Santa Catarina, que sediará o Desafio Internacional das Estrelas, neste final de semana.

Esta pista tem peculiaridades que nunca tinha visto em um kartódromo, como dois cotovelos, e em sequência, que tem de ser negociados a menos de 40 Km/h, além de uma série de curvas que lembra as que formam a curva 8 do Istambul Park Circuit.

BMW homenageia Alessandro Zanardi

Alessandro Zanardi mostra como funciona o mecanismo adaptado no veículo com o qual competiu no WTCC: acelerador no volante, freio no pé direito, no lugar do acelerador, câmbio com botão que aciona a embreagem.

Além disso, Mario Thiessen, diretor esportivo da marca bávara, concedeu ao italiano a oportunidade de pilotar um Fórmula 1 adaptado.


Um final de semana com Alessandro Zanardi

Acompanhe como é um final de semana de prova no World Touring Car Championship com Alessandro "Alex" Zanardi. Apesar do terrível acidente na CART, em 2001, que amputou suas pernas, Alex não desistiu da ideia de continuar competindo, e encontrou na mais importante categoria de carros de turismo do automobilismo mundial a sua oportunidade.

Com um carro adaptado, no qual o acelerador é comandado no volante, o pedal do freio está colocado no lugar do acelerador, e a embreagem é acionada na alavanca de câmbio, o italiano competiu na WTCC de 2005 a 2009, além de ter sido campeão italiano em 2005. Depois de se retirar da categoria, Alex pretende participar dos Jogos Paraolímpicos de 2012.


Quer usar a nova interface do Google?




Simples! É só acessar a página do Google em inglês (www.google.com). Caso seu navegador de internet redirecionar para a página em português, clique no link "Google.com in English" no rodapé.

Depois, é só copiar e colar na barra de endereços a seguinte porção de código abaixo:

javascript:void(document.cookie="PREF=ID=20b6e4c2f44943bb:U=4bf292d46faad806:TM=1249677602:LM=1257919388:S=odm0Ys-53ZueXfZG;path=/; domain=.google.com");

Lembrando que só funciona na página do Google em inglês.

A nova interface está ainda em fase de testes, e o Google ainda não sabe quando a mesma estará disponível de forma automática. Esse novo layout lembra um pouco o Bing, só sem a presença de imagem de fundo.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Uma imagem



Andreas Nikolaus 'Niki' Lauda dirige um Mercedes-Benz W196 no Nürburgring Circuit

Review de CD - Good Blood Headbanguers - Massacration

Os puristas do heavy metal devem estar enlouquecidos, afinal, os humoristas do grupo Hermes & Renato estão lançando o segundo álbum do Massacration, sucessor de “Gates of Metal Fried Chicken of Death” (2005). “Mas já acabou a graça desta piada, não?”, podem opinar alguns, prestes a roer os cotovelos de tanto ódio. Quem já assistiu aos episódios inéditos do programa dos caras na MTV, no entanto, sabe que eles continuam afiadíssimos em suas paródias musicais (vide o hilariante reggae do Artesanation, por exemplo).

E sabemos que, com fãs de rock pesado em sua formação, a sátira metálica do Massacration é o ponto alto do trabalho dos caras. Afinal, eles conhecem os clichês tão bem quanto eu e você. Por que não deixar os sujeitos continuarem a brincadeira, então? Agora imagine isso produzido pelo Roy Z. Temos então um álbum de rock-comédia do qual é possível rir e com o qual é possível bater cabeça para valer...se você for um banger com senso de humor, é claro.

A trupe de Detonator adotou um visual muito mais glam/hard, trocando o couro, os espinhos e as correntes por calças de oncinha e zebrinha bem apertadinhas – mais Poison e menos Judas Priest, apenas para deixar claro. Os temas das canções continuam sendo, na falta de uma palavra melhor, “inusitados”. Afinal, estamos falando de músicas sobre dogões de rua com suas dezenas de ingredientes (”Hammercage Hotdog Hell”) ou sobre a chegada da dor de barriga (“Bad Defecation”). Mas a sonoridade ficou ainda mais pesada do que no disco anterior, possivelmente cortesia da produção de Roy Z (Judas Priest, Bruce Dickinson) e da direção artística de Renato Tribuzy.

Basta reparar nas guitarras do primeiro single, “The Mummy”. Tá certo que a letra se guia pelo inglês macarrônico do mestre do brega Falcão, que faz uma participação especial cantando quase uma versão metal de “Black People Car”. E Detonator faz uma introdução com “Tumbalacatumba”, da Vovó Mafalda. Mas veja: a pegada da guitarra, em especial no riff de abertura, tem até um quê de Iron Maiden (senhores, esta é a deixa para vocês pegarem suas foices e tochas).

O novo material de “Good Blood Headbanguers” também deu ao Massacration uma coleção de faixas na medida certa para cantar em shows, com coraizinhos épicos irresistíveis como os de “Sufocators of Metal” e “The Fire, the Steel, the Heavy & the Money”. Na melhor tradição do Manowar, eles fazem ainda diversas saudações ao mundo do heavy metal. A faixa-título é, à sua maneira peculiar, uma homenagem aos fãs, digamos que a “Army of Immortals” do Massacration. Em “The Big Heavy Metal”, eles estabelecem o que seria do dia do metal, com direito até a cantar “parabéns a você”. E “The Hymn of Metal Land” é o hino da nação metálica, para todos cantarmos marchando enquanto seguimos as instruções de Detonator: “mão no peito, mão no saco, mão na xoxota”.

O melhor momento de “Good Blood Headbanguers”, no entanto, é a balada “The Bull”, a primeira da carreira do grupo. Na melhor tradição Reginaldo Rossi, o vocalista declama a dor de cotovelo de uma traição, nos proporcionando o que talvez seja a primeira música assumidamente “dor de corno” da história do heavy metal. E com direito até a diversas menções ao chamado Big Richard que lhe roubou a mulher de sua vida. Simplesmente genial.

Veja bem, se você prefere manter a sua cara de malvadão, dizendo que é um headbanger true que na aceita este tipo de diversão, faça o seguinte: não ouça. Não assista aos clipes. Não leia qualquer notícia a respeito. Aliás, o que você está fazendo lendo este texto mesmo?

Quanto ao resto do mundo do metal, que sabe rir de si mesmo e entende o que é uma diversão sem pretensões, “Good Blood Headbanguers” é o presente ideal para este final de ano. Reúna os camaradas e compartilhe umas boas risadas. Não é disso que a vida é feita, afinal?

PS: Antes que alguém pergunte e/ou se apresse para corrigir, a grafia do título do CD é mesmo “headbanguers”, com um U no final da palavra original, que seria corretamente “headbangers”. O motivo? Prometo que vamos tentar descobrir e avisamos vocês. :-)

E você? O que achou do novo álbum do Massacration? Comente no fórum abaixo.

Line-up - Personagens:
Detonator – Vocal
Blondie Hammet – Guitarra
Headmaster – Guitarra
Metal Avenger – Baixo
Jimmy Hammer – Bateria

Line-up - Músicos:
Bruno Sutter – Vocal
Fausto Fanti – Guitarra
Marco Antonio Alves – Baixo
Felipe Fagundes e Adriano Silva – Backing vocals
Fernando Lima – Bateria (convidado)

Tracklist:
Hammercage Hotdog Hell
The Mummy
Sufocators of Metal
The Bull
The Fire, the Steel, the Heavy & the Money
The Big Heavy Metal
Bad Defecation (The Bost Thunder)
Good Blood Headbanguers
Massacration
The Hymn of Metal Land

Whiplash

Laguna Seca Raceway - Dodge Viper SRT10 ACR 2010 - Onboard - 1:33.944 Lap Record - The Driver's View



quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Laguna Seca Raceway - Dodge Viper SRT10 ACR 2010 - 1:33.944 Lap Record!



Charger Connect: recarregue a bateria de seu celular enquanto pedala

Charger Connect
José Vanderlei Taques, o mesmo inventor do Multiply and Charge Suspension, criou um dínamo, instalado na roda traseira da bicicleta, que permite que qualquer celular tenha sua bateria recarregada enquanto o ciclista pedala.

O Charger Connect é o primeiro equipamento adaptado em bicicleta que carrega qualquer aparelho celular, usando o cabo carregador original do aparelho.
Charger ConnectCharger ConnectCharger ConnectCharger ConnectCharger Connect
Além disso, Taques também criou um farol com sinalizador, que utiliza a energia elétrica gerada pelo mesmo dínamo, e um kit tuning (pelamordedeus!).

Até o momento, este produto não está disponível para compra.

Volkswagen Polo I-Motion, com câmbio automatizado ASG



terça-feira, 24 de novembro de 2009

Ford Fiesta S2000 rally car



MCS (Multiply and Charge Suspension): amortecedor-gerador para recuperação de energia




Segundo cálculos, para cada 10 litros de combustível gasto, apenas 3 litros são aproveitados na propulsão e 7 são utilizados nos sistemas eletro-eletrônicos do veículo, sendo a maior parte desperdiçados.



José Vanderlei Taques observou que o trabalho dos amortecedores e da suspensão poderia gerar energia elétrica para acionar componentes de um veículo. Assim, ele criou o MCS (Multiply and Charge Suspension), um amortecedor eletromagnético que transforma o movimento da suspensão em energia elétrica, para posterior utilização em dispositivos do veículo, ou para suavizar o amortecimento dos impactos na suspensão.




Chamado popularmente como KERS Cargo, o MCS fica preso entre a suspensão e o chassi do veículo, sendo constituído por um gerador próprio e capaz de converter peso, potencia e energia a partir de 60 km/h.



O MCS pode converter até 80% do peso em energia elétrica. Taques está testando o sistema em sua picape Dodge RAM 2500 e destaca, como exemplo, um caminhão médio de 17 toneladas, equipado com o sistema. Segundo o inventor, o MCS poderia converter, a 60 km/h, energia equivalente a 133 kW (180 CV), praticamente a potência do caminhão.



Assim, o MCS pode acabar sendo uma grande vantagem para veículos híbridos dotados de baterias de níquel ou lítio, que poderiam armazenar a energia elétrica para ser depois utilizada pelo motor elétrico, no percurso urbano, em entregas e serviços.

Praticamente qualquer utilitário dotado de suspensão elevada e chassi, como a Dodge RAM do inventor, poderá receber o MCS. José Taques comenta que, se cada um dos 1,4 milhões de caminhões e utilitários que rodam pelo país adotasse o MCS, poderiam produzir em um ano, energia elétrica equivalente a 10 hidrelétricas de Itaipu.

Luca di Montezemolo atolando uma Ferrari em Valencia



domingo, 22 de novembro de 2009

RIDE24: Endurance para ciclistas

Assim como em Le Mans, o Reino Unido também tem sua corrida de bicicletas com 24 horas de duração. A RIDE24, em sua segunda edição, que será realizada nos dias 19 e 20 de junho de 2010, pretende reunir 60 equipes de 4 ciclstas. A competição será realizada no Dunsfold Aerodrome, a famosa pista de testes do programa Top Gear.

A organizadora do evento, Sarah Stevenson, disse que a corrida de 2009 foi um teste de popularidade, que 25 equipes participaram, a maioria delas patrocinada por bancos, e isso foi importante para a corrida. Além disso, relatou que alguns participantes são praticantes de ironman e maratonas, e que a prova de 24 horas foi bem mais difícil.

Mais detalhes, no site oficial do evento.


O gol mais rápido do mundo

O jogador Nawaf Al Abed, de 21 anos, protagonizou um lance, na Copa Príncipe Faisal bin Fahad, que entrou na história do futebol mundial. O jovem atacante chutou com extrema força e precisão assim que o árbitro apitou para dar início à partida. Marcou o gol mais rápido já registrado em partidas profissionais, quando, aos dois segundos de jogo, abriu o placar para o Al Hilal contra o Al Shoalah.


sábado, 21 de novembro de 2009

Uma imagem


Nico Rosberg passa na frente do pitlane da Toyota

Foi assim, durante oito anos, que a Toyota viu seus oponentes passarem por ela, sem os enxergar direito. Sai da Fórmula 1 sem conquistar uma vitória sequer. Totalmente injustificável, mediante a quantidade de dinheiro investida pela marca na equipe.

Fiat 500 Abarth Trophy


sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Donington Park decreta falência

A Donington Ventures Leisure Ltd., empresa que detém os direitos sobre de Donington Park, declarou sua bancarrota. A empresa está mergulhada em dívidas, adquiridas após a última tentativa de aumentar o financiamento para a remodelação completa do circuito, para sediar o Grande Prêmio da Inglaterra de 2010 por 17 anos.

A Begbies Traynor está trabalhando no processo de recuperação da Donington Ventures Leisure Ltd., e Nigel Price, parceiro da Begbies, está esperançoso de que a empresa será comprada, objetivando sediar o Grande Prêmio da Inglaterra de 2011. "Estamos procurando um comprador para o negócio e a potencial oportunidade de trazer a Fórmula 1 à região de Midlands, financiando o trabalho que precisa ser realizado para o circuito. Ele ainda permanece numa localização fantástica, ao lado de um aeroporto e das auto-estradas principais, e precisa de pessoas de visão para realizarem o sonho de novamente sediar um GP de F1 em Donington Park e que tenham interesse em conversar com as partes interessadas."

O Donington Park Motor Racing Circuit é de propriedade da Wheatcroft & Sons Ltd., empresa criada por Tom Wheatcroft, que morreu no início deste mês. A Donington Ventures Leisure Ltd. assinou um contrato de arrendamento de 150 anos em 2007. Se nenhum comprador foi encontrado a propriedade do circuito poderá retornar para a Wheatcroft.

Autocar's Steve Sutcliffe drives a F1 car

Steve Sutcliffe, repórter da revista Autocar, auxiliado pelo piloto Jenson Button, pilota um carro da Honda Racing F1 Team, chegando perto dos tempos marcados pelo piloto inglês.






Birra Moretti Zero: 0% Alcohol, 100% Beer



quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Como será o carro de amanhã?

Os carros deverão ser mais eficientes, econômicos e pouco poluentes. Este é um caminho sem volta para as fabricantes. Para os engenheiros, fica o desafio: encontrar as melhores e mais viáveis soluções para alcançar esse objetivo.

Durante a exposição do Congresso da SAE Brasil (Sociedade de Engenheiros da Mobilidade), as empresas que fornecem as tecnologias para as montadoras mostraram as principais novidades para os próximos anos.

A tecnologia Start-Stop, desenvolvida pela Bosch, pode reduzir em até 10% o consumo de combustível de um veículo. Assim que o motorista para o carro em um semáforo ou congestionamento, o motor é desligado automaticamente e religa quando o condutor aciona o pedal da embreagem e engata a primeira marcha. Para isso, o carro recebe sensores e adaptações no motor de partida.

O sistema Start-Stop já equipa muitos carros na Europa, como Audi A3, VW Golf, o novo Citroën C3 e uma série de modelos. Segundo a Bosch, até 2013, a tecnologia estará presente em 85% da frota europeia. No Brasil, os carros nacionais devem receber o sistema daqui a dois anos. Por enquanto, o único inconveniente é o ar-condicionado, que também é desligado com o motor, fator que pode incomodar os consumidores das grandes cidades, que passam boa parte do tempo no trânsito. Mas a Bosch afirma que já estuda alternativas para o problema.

Entre outras tendências, que podem ser vistas no vídeo abaixo, painel de instrumentos digital e configurável, rodas de policarbonato para carros e motos, uso da fibra de bananeira, sistema de propulsão diesel-álcool para tratores e o primeiro caminhão elétrico desenvolvido no país, uma parceria da Iveco com a Usina de Itaipu. O modelo é um Daily, equipado com motor elétrico de 40 kW (54 CV) de potência nominal, com capacidade de carga de até 2,5 toneladas. A autonomia é de 100 quilômetros e a velocidade máxima é limitada a 70 km/h. O segundo protótipo está previsto para o início de 2010.


Infineon Raceway - Audi R8 V10 - Onboard



Drfiting Com Carroça



quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Uma imagem



A Buell constrói sua última motocicleta, uma Lightning XB12Scg

Doce sobre rodas




Com o Natal se aproximando, uma coencessionária holandesa da Porsche decidiu criar uma versão especial do 911 Carrera S coberta com chocolate. A Porsche Centrum Gelderland utilizou 175 quilos de chocolate ao leite para envolver todo o carro, além de alguns quilos de chocolate branco para as lanternas e outros detalhes.



A extravagante demonstração foi a maneira da concessionária seguir uma tradição do país, que envolve escrever cartas em chocolate para celebrar o dia de São Nicolau. O esportivo não sofreu nenhum dano para passar pela transformação, e ficará exposto até o dia 25 de dezembro. Depois da data, todo o chocolate será retirado e doado.

Nürburgring Circuit - Lexus LFA Supercar - Onboard



segunda-feira, 16 de novembro de 2009

domingo, 15 de novembro de 2009

Como controlar o câmbio de 18 marchas de um caminhão

A alavanca de câmbio tem dois botões que acionam cinco diferentes relações de marchas, permitindo que o caminhão tenha uma caixa de 18 velocidades. Estes botões são o "Range" (A) e o seletor (B), ambos com as opções HI e LO.



Abaixo, um diagrama mostrando as posições dos botões e da alavanca para cada uma das 18 marchas da caixa de câmbio.



Passo 1: Com o dedo indicador, posicione o botão "Range" em LO, e com o polegar, posicione o seletor em LO.

Passo 2: Acione o pedal da embreagem, até o final do seu curso, e engate a marcha LO, trazendo a alavanca totalmente para a esquerda e para trás.

Passo 3: Solte o pedal da embreagem. O caminhão começará a se locomover, a uma velocidade de aproximadamente 2 Km/h.

Passo 4: Posicione o seletor em HI, aperte ligeiramente o pedal da embreagem e o solte, e o câmbio estará em LO HI.

Passo 5: Posicione o seletor em LO. Aperte ligeiramente o pedal da embreagem, posicione a alavanca na posição "neutro", solte o pedal da embreagem e o aperte novamente. Este movimento é chamado "double-clutch". Posicione a alavanca na posição 1/5 e solte o pedal da embreagem. Pronto, a primeira marcha está engatada.

Passo 6: Repita o processo das etapas 4 e 5 para selecionar as marchas 1 HI, 2 LO, 2 HI, 3 LO, 3 HI, 4 LO, e 4 HI.

Passo 7: Com o seletor em LO, posicione o botão "Range" em HI. Faça um "double-clutch" e coloque a alavanca na posição 1/5. Agora, a marcha 5 LO está engatada.

Passo 8: Repita o processo para engatar as marchas 5 HI, 6 LO, 6 HI, 7 LO, 7 HI, 8 LO e 8 HI.



Simples, não? E eu já achei difícil, quando tinha nove anos, dirigir pela primeira vez o trator do meu pai, que tem "só" oito marchas...

Rockingham Motor Speedway - SEAT Ibiza Cupra - Onboard


Volkswagen Scirocco R vs. Ford Focus RS



sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Ford Maverick. Pergunte quanto custa, não quanto vale.



Elizabeth Lambert, a mulher de Sandro Goiano



rFactor - Historic GT & Touring Cars 2.0 - Ferrari 250 GTO & Porsche 904 Previews




Toyota quer vender o TF110 para equipes estreantes




A Toyota irá oferecer o TF110, seu carro de Fórmula 1 para 2010, a equipes estreantes. Como está de saída da categoria, a equipe nipônica quer ver seu modelo disputando provas na temporada que vem.

Por enquanto, duas equipes estão interessadas no bólido, Manor e USF1. Rumores falam que as duas querem, além de comprar o projeto, adquirir peças e equipamentos da antiga equipe. Manor e USF1 devem ser as únicas interessadas, já que a Sauber/Qadbank vai entrar no lugar da BMW e utilizar os carros que a equipe bávara desenvolveu para 2010.

Já a Campos e a Lotus vão utilizar chassis feitos pela Dallara e Aerolab. A Aerolab, especialista em aerodinâmica, irá produzir o seu primeiro carro de F1 em conjunto com a Proton, dona da Lotus.

Rockingham Motor Speedway - Renault Sport Clio 200 Cup - Onboard



quinta-feira, 12 de novembro de 2009

A discussão entre Jarno Trulli e Adrian Sutil, na conferência de imprensa do GP de Abu Dhabi



Dodge encerrará a produção do Viper em 2010


Ralph Gilles, CEO da Dodge, decidiu, em conjunto com a Chrysler, que não produzirá mais unidades do Viper a partir de julho de 2010. Até lá, apenas 500 unidades serão produzidas, e estas, segundo Gilles, serão as mais especiais do modelo, concebido pela marca em 1992, com a colaboração de Émerson Fittipaldi. A justificativa para cessar a produção do Viper se deve à valorização do modelo, que não deveria sofrer alterações que culminariam em uma nova geração do carro. Gilles não forneceu detalhes sobre o que de tão especial haverá nestas 500 unidades que serão produzidas até julho de 2010.

Com a "aposentadoria" do Viper, Gilles revelou que um novo modelo será criado pela Dodge, com seu lançamento previsto em 2012. Além disso, o Viper servirá de base para os novos colegas de trabalho italianos, oriundos da Fiat, que comprou a Chrysler, na construção do carro. Ainda por cima, a Fiat também é dona da Ferrari, o que pode trazer ainda mais inspiração para o design e concepção do novo carro da Dodge.

The Drink vs. Drive Challenge

Michael Schumacher e Salvatore "The Maestro" Calabrese mostram, de maneira inusitada, que bebida e direção não combinam. O heptacampeão da Fórmula 1 acelera um Maserati na pista enquanto o bartender tenta criar um coquetel.


Rockingham Motor Speedway - Porsche Cayman S - Onboard



quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Introdução ao Kart: Parte 6


Depois de treinar, é hora de ingressar em uma corrida, tentar ultrapassar ou não tomar mais de uma volta de vantagem.

Um jogo de pneus novos não é necessariamente uma boa ideia para um novato. Sua alta aderência torna mais difícil sentir as reações do kart e torna a condução muito mais desgastante. Se possível, coloque um jogo de pneus usados, mas não muito gastos. Você vai economizar dinheiro e não estará desperdiçando borracha, você pode ainda não ter experiência para conduzir um kart com pneus novos.

Com pneus velhos, o processo de realizar curvas é o seguinte:
  • Dosar a frenagem, para não rodar
  • Realizar a curva
  • Acelerar
  • Realizar um "power-slide"
  • "Driftar" praticamente


Com pneus novos:
  • Frear forte se perder a trajetória
  • Prender a respiração
  • Realizar a curva
  • Retomar a aceleração, dosando o pedal diretto
  • Retomar o controle do kart na reta
  • Sentir o "vento na cara"

Antes e depois de cada prova ou treino, vários itens precisam ser verificados no kart, como pressão dos pneus, carga da bateria da central que registra, entre outros itens, a mistura de combustível e os tempos de volta, apertar parafusos e porcas, verificar os freios, pedais, cabos e outras partes móveis, nível de óleo, combustível e água, se o motor tiver radiador.

Confira os outros episódios da série:

Introdução ao Kart: Parte 1
Introdução ao Kart: Parte 2
Introdução ao Kart: Parte 3
Introdução ao Kart: Parte 4
Introdução ao Kart: Parte 5
Introdução ao Kart: Parte 6

Rockingham Motor Speedway - Noble M600 - Onboard



Bêbada, motorista americana telefona para o 911 e denuncia a si mesma

Definitivamente, nunca pretendo dirigir alcoolizado. Mas tenho que admitir que é um assunto complicado. Como você está suposto a dizer que você está bêbado se o seu julgamento já está comprometido? Bem, uma mulher poderia dizer claramente que pelo menos alguém na rua estava bêbado, mas ela acabou se entregando.

Maria Strey, 49 anos, residente em Wisconsin, Estados Unidos, discou 911 para denunciar um motorista embriagado na estrada. Acabou se entregando, dizendo que o bêbado era ela mesma. Teve até a gentileza de encostar e esperar a polícia chegar. Segundo a Associated Press, Strey tinha uma porcentagem de álcool no sangue que era o dobro do limite legal.


terça-feira, 10 de novembro de 2009

Tamara Ecclestone: "Jenson Button não merece ser campeão"

Tamara Ecclestone, a filha de Bernie Ecclestone, disse, na abertura do clube de membros Mayfair "The Red Room", que Jenson Button não é merecedor do título de pilotos da temporada 2009 da Fórmula 1.

"Jenson perseguiu este título por dez anos e nunca havia chegado perto. De repente, ele pega um carro bom e conquista o título. Só ganhou seis corridas, todas no início da temporada. Se todos tinham o mesmo carro, definitivamente, Button não teria ganho este campeonato. Lewis Hamilton é melhor piloto que Jenson Button e é uma pessoa agradável."

Suspeita-se que a animosidade de Tamara contra Jenson é resultado de uma entrevista que ela teria realizado com ele, quando Ecclestone era repórter da Sky Sports. "Ele atendeu o celular no meio da entrevista e eu pensei: 'Cara, eu estou sentada aqui, o que você está fazendo?'"

Para a moça, o piloto da Brawn só levou o caneco, pois tinha um carro superior para vencer o compatriota Lewis Hamilton. A 'bronca' de Tamara está no fato de que um verdadeiro campeão não deve ser decidido com um quinto lugar, assim como Button fez no GP Brasil, com uma etapa de antecedência.

Ela perdeu uma boa chance de ficar quieta...

SEMA 2009 Highlights



Rockingham Motor Speedway - Nissan 370Z - Onboard



segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Sebastian Vettel faz "zerinhos" com um Fórmula 1 em programa de TV ao vivo



BMW M3 GTS




A BMW mostra os primeiros detalhes do M3 GTS, modelo mais voltado à competição do M3 Coupé. Disponível na cor laranja, com rodas de 19 polegadas, pneus dianteiros 225/35 e traseiros 285/30, freios dianteiros com seis pistões e traseiros com quatro pistões, além de suspensões ajustáveis com molas pintadas de amarelo.

No interior do veículo, os elementos que se destacam são o santo-antônio atrás dos bancos concha, o extintor de incêndio no lugar do ar condicionado e o sistema para corte emergencial da ignição. O veículo pesa 1.490 Kg, 190 a menos que o M3 Coupé.



As primeiras vendas do BMW M3 GTS estão previstas para maio de 2010, com preços a partir de 115 mil euros, sem impostos. Supõe-se que o motor que equipará o veículo será um 4.4 V8 de 450 CV, com transmissão de sete marchas com dupla embreagem.


Rockingham Motor Speedway - Mitsubishi Evo X FQ-400 - Onboard



Bugatti Veyron, Audi R8, Porsche GT3 RS, Lamborghini Gallardo Superleggera e Aston Martin V12 Vantage



domingo, 8 de novembro de 2009

Ford Pampa 4x4: o picape que chega lá



Ultima GTR720 bate o recorde da pista de testes do Top Gear

O Ultima GTR720 bateu o recorde da pista de testes do programa automobilístico britânico Top Gear, em "off", sem a presença de Jeremy Clarkson e os outros integrantes. O tempo marcado na volta rápida foi de 1:09.90, oito décimos abaixo do tempo marcado pela Ferrari FXX exclusiva de Michael Schumacher, feita a partir da Ferrari Enzo.

Como se não bastasse, o Ultima GTR720, que tem motor Chevrolet V8 de 720 CV, é perfeitamente legal para circular nas ruas, ao contário da Ferrari FXX de Michael Schumacher, que é de uso exclusivo em pista. Como não havia ninguém da pista responsável por cronometrar a volta, o controle dos tempos foi baseado em dados de GPS, o que garantiu a perfeita aferição do tempo marcado pelo piloto.

Rockingham Motor Speedway - Mercedes-Benz E63 AMG - Onboard



2010 Porsche 911 Turbo no Autódromo Fernanda Pires da Silva (Circuito do Estoril)



sábado, 7 de novembro de 2009

F1 2009 Season Review

A temporada 2009 da Fórmula 1 ganha destaque na história do automobilismo: uma equipe estreante conquista os campeonatos de pilotos e de construtores, a ameaça de desligamento da FOTA com a FOM, o "Singaporegate", a volta dos pneus slicks, as polêmicas do "difusor duplo" e do KERS, as demissões de Sébastien Bourdais e Nelson Piquet Jr., o acidente de Felipe Massa, a volta nada triunfal de Luca Badoer, a condução pífia de Giancarlo Fisichella, a estreia nada animadora de Abu Dhabi no calendário da F1, a corrida presidencial da FIA, as despedidas da Honda, BMW e Toyota, dentre outros fatos que tornarão este ano inesquecível para os aficionados pela categoria, serão descritos em maiores detalhes ao longo deste post, além de vídeos mostrando imagens da temporada 2009 da Fórmula 1.

A Brawn GP, cuja história é parecida com a da figura mitológica Fênix, ressurgiu das cinzas da Honda, faz dobradinha na primeira prova do ano, na Austrália, repetindo o feito das equipes Mercedes-Benz, March e Wolf, que conquistaram dobradinhas em suas provas de estreia, respectivamente, em 1954, 1970 e 1977.

Além disso, possibilita a Jenson Button vencer seis das sete primeiras provas da temporada e a Rubens Barrichello subir ao ponto mais alto do pódio dos GPs da Europa, em Valência, e da Itália, em Monza, além de permitir ao piloto inglês administrar as últimas provas do calendário para conquistar, com uma prova de antecedência, o seu primeiro título na Fórmula 1, além de ajudar sua equipe a obter o título de construtores.

A equipe comandada por Ross Brawn venceu oito provas, conquistou quatro dobradinhas e obteve 15 pódios. Jenson Button cria mais uma estatística na Fórmula 1: é a primeira vez que dois ingleses conquistam títulos de pilotos de forma consecutiva.

Quase que de forma inevitável, o ano de 2009 da Fórmula 1 começava com controvérsias. A começar pela volta dos pneus slicks, pela estreia do Kinetic Energy Recovery System (KERS), que gerou muitos gastos, numa época de corte de custos, e não surtiu grande efeito. As mudanças e limitações na aerodinâmica, além da possibilidade de alterar o ângulo de ação da asa dianteira pelo piloto, foram criadas para tentar aumentar a quantidade de ultrapassagens. Em vão. A temporada foi morna com relação a este quesito.

A proibição dos períodos de testes ao longo da temporada foi imposta para diminuir ainda mais os custos operacionais das equipes. Isto fez com que Brawn GP, Toyota e Williams, fazendo uma interpretação inteligente do regulamento, tivessem a ideia de criar uma espécie de "difusor duplo", que incrementava o efeito aerodinâmico do ar que passa embaixo do veículo, obtendo maior downforce na parte traseira, aumentando a performance do veículo. Isto gerou protestos por parte das equipes BMW Sauber, Red Bull Racing e Renault, indeferidos pela FIA. As outras equipes tiveram que correr atrás de uma solução semelhante no decorrer da temporada, a maioria delas sem sucesso, pois os carros eram "mal nascidos".

A única equipe que conseguiu fazer frente à Brawn GP em algumas provas, principalmente, na segunda parte da temporada, foi a Red Bull Racing, que com seu RB5, bem projetado por Adrian Newey, tinha melhor performance em baixas temperaturas, o "calcanhar de Aquiles" do BGP 001. A equipe das latinhas de energético conseguiu seis vitórias, quatro dobradinhas e dezesseis pódios.

As maiores equipes da Fórmula 1 sofreram no início da temporada. O McLaren MP4-24 e o Ferrari F60 tinham pouco downforce. Situação semelhante viveu a Renault, com seu R29. A sorte da equipe é que contavam com Fernando Alonso, que "carregou o piano" com maestria, conquistando alguns pódios.

A BMW foi, sem sombra de dúvidas, a maior decepção da temporada. Depois de abandonar do desenvolvimento do BMW Sauber F1.08, impossibilitando a Robert Kubica disputar o título de 2008, e concentrando-se em produzir o F1.09, não criou um carro competitivo, disputando a rabeira do grid durante praticamente todo o campeonato, embora parecesse promissora na primeira prova, até que o piloto polonês envolveu-se em um acidente com Sebastian Vettel.

O "Liargate", assim chamado o fato ocorrido com Lewis Hamilton, que mentiu aos comissários da prova da Austrália, dizendo que Jarno Trulli não permitiu que o piloto inglês o ultrapassasse, depois que o piloto italiano saiu da pista, na penúltima curva do circuito, quando o grid estava correndo sob a intervenção do Safety Car, e o piloto inglês obter a posição do italiano, devolvendo a ultrapassagem em seguida. No entanto, conversas registradas pelo rádio confirmaram que Martin Whitmarsh disse para Lewis Hamilton manter sua posição. A história ocasionou a demissão do diretor esportivo da McLaren, Dave Ryan.

A temporada 2009 praticamente se resumiu em nove meses de discussões políticas, interrompidas por um final de semana de Grande Prêmio. Três "facções" se destacaram: a FIA, liderada por Max Mosley, a FOM, encabeçada por Bernie Ecclestone, e a FOTA, representando as equipes, liderada por Luca di Montezemolo. Depois de desavenças quanto às novas regras e à distribuição dos rendimentos de direitos comerciais, fizeram com que a Associação das Equipes tomasse uma medida drástica: desligar-se da Fórmula 1 e criar um campeonato paralelo em 2010. Acima de tudo, o que os diretores das equipes da Fórmula 1 queriam era que Max Mosley desistisse da candidatura à reeleição à presidência da FIA. Mosley desistiu, mas antes, com a ajuda de Bernie Ecclestone, resolveu o impasse entre a FOTA e a FIA.

O Grande Prêmio da Inglaterra começou a pôr em xeque o título de Jenson Button. A dobradinha da Red Bull, com Sebastian Vettel conquistando a vitória, e Rubens Barrichello completando o pódio, fazendo-lhe o candidato ao título que sempre dizia que era desde que foi anunciado como piloto da Brawn GP. Mark Webber vence sua primeira prova, na Alemanha, Lewis Hamilton vence na Hungria, a primeira de um carro com KERS, Rubens Barrichello, em Valência, e Kimi Raikkonen, na Bélgica. No entanto, não ameaçavam Jenson Button na tabela de pontuação, pois não tiveram regularidade no início do campeonato. Logo, Jenson Button, nesse período, fez apenas o "feijão com arroz" e pontuou o máximo possível para que a luta pelo título não se tornasse um sacrilégio no final da temporada.

Apesar disso, a performance de Button na segunda metade da temporada era motivo de observações. Considerando que, nas primeiras sete provas, Jenson Button marcou 61 dos 95 pontos que foram necessários para conquistar o título, nas sete seguintes, marcou apenas 23. E, em vez dos pontos serem somados às dezenas, vinham em unidades: três, quatro, dois, dois, oito, quatro.

Para a Red Bull Racing, faltava a consistência necessária para fazer frente à Brawn GP. Depois da vitória de Lewis Hamilton em Cingapura, a luta pelo título se concentrou entre Jenson Button, Rubens Barrichello, Sebastian Vettel e Mark Webber. O australiano foi o primeiro a deixar a disputa, depois de não marcar pontos depois do GP da Hungria, apesar de vencer o GP do Brasil. Mas as esperanças do alemão duraram mais tempo, depois da vitória no Japão, apesar do controverso drive-through no GP de Cingapura.

Apesar de tudo, com Rubens Barrichello não podendo acompanhar o ritmo de Mark Webber no GP do Brasil, além da péssima classificação no grid por parte de Sebastian Vettel, a tarefa de Jenson Button de conquistar o título de forma antecipada ficou mais fácil, apesar de se classificar apenas em décimo-quarto no dilúvio que se tornou o treino de classificação, no sábado. Fazendo uma corrida digna de um campeão, Jenson Button terminou a prova em quinto, garantindo o seu primeiro título de Fórmula 1 na carreira.

Encerrando a temporada, na inauguração do Yas Marina Circuit, em Abu Dhabi, Sebastian Vettel liderou outra dobradinha da Red Bull Racing, graças a um problema de freios sofrido pelo pole position, Lewis Hamilton.

A temporada da Ferrari foi irregular e quase trágica, e a equipe foi destaque nos noticiários especializados no esporte a motor. Felipe Massa foi atingido na cabeça por uma mola que caiu da suspensão traseira do carro de Rubens Barrichello, e teve que abandonar a temporada 2009 da Fórmula 1 após os treinos de classificação do GP da Hungria. Recuperou-se e vai disputar a próxima temporada. Na ausência do brasileiro, tornou-se impossível dizer se o trabalho de Kimi Raikkonen foi bom, depois que Luca Badoer e Giancarlo Fisichella simplesmente decepcionaram, disputando as últimas posições do grid com o carro de Felipe Massa.

Inclusive o possível retorno de Michael Schumacher foi considerado, para substituir Felipe Massa, mas o heptacampeão foi incapaz de recuperar a forma física, após ter sofrido uma lesão no pescoço enquanto corria com uma motocicleta de competição.

A silly season também destacou o anúncio da retirada da equipe BMW da Fórmula 1, deixando a Sauber em maus lençois, depois de não se engajar no novo Pacto de Concórdia, criado às pressas, depois do caso FIA vs. FOTA.

Kimi Raikkonen obteve uma vitória para a Ferrari, em Spa, depois de derrotar a surpresa daquele final de semana, Giancarlo Fisichella, que obteve a pole position para a Force India. O finlandês teve que fazer uso do KERS para ultrapassar o italiano e manter-se à frente, já que os motores Mercedes-Benz, que equiparam os carros da Force India em 2009, mostravam-se confiáveis e eficientes em pistas de baixo downforce. O sustituto de Fisichella, Vitantonio Liuzzi, esteve a caminho de um pódio na Itália, atrás somente dos pilotos da Brawn GP, mas um cardã quebrado impediu o italiano de prosseguir na prova.

Ainda em Spa, outro escândalo envolvendo a equipe Renault foi revelado. Depois de uma troca de pneus no qual a roda esquerda direita não foi devidamente presa ao eixo, o espanhol foi para a pista assim mesmo, culminando no desprendimento da roda do carro, isso uma semana depois da morte de John Surtees, 19 anos, piloto da Fórmula 2, depois que uma roda se desprendeu de um carro acidentado e atingiu a cabeça do filho de Henry Surtees. A equipe foi suspensa por uma prova. Coincidentemente, o próximo GP seria o da Europa, em Valência, na Espanha. Depois da apelação da Renault, e com a FOM temendo um esvaziamento das arquibancadas, em virtude da ausência de Fernando Alonso, a equipe francesa foi multada em apenas cinquenta mil dólares.

Contudo, outro escândalo é revelado: Nelson Piquet Jr., auxiliado pelo pai, Nelson Piquet, denunciou a Renault, depois de ser demitido da equipe, em julho, por manipular o resultado do GP de Cingapura de 2008, quando, na décima-quarta volta, o filho do brasileiro tri-campeão da Fórmula 1 bateu deliberadamente na curva 17, provocando a entrada do Safety Car. Fernando Alonso, que largou em décimo-quinto, e com pouco combustível, foi beneficiado, enrando no pit antes dos outros pilotos e pulando na frente, para conquistar a vitória. Flavio Briatore, chefe da equipe francesa, foi banido do esporte a motor, ao passo que Pat Symonds foi suspenso por cinco anos.

A Toyota, depois da pífia performance na primeira metade da temporada, conquistou um segundo lugar, com Timo Glock, em Cingapura, resultado conquistado também por Jarno Trulli no Japão, conquistando a quinta posição no campeonato de construtores. A BMW, depois do segundo lugar de Robert Kubica no Brasil e do quinto lugar de Nick Heidfeld em Abu Dhabi, conquistou o sexto lugar na pontuação por equipes, ultrapassando a Williams por 1,5 ponto. A Renault, depois de tudo que sofreu dentro e fora das pistas, ficou apenas em oitavo, e seu melhor resultado foi o terceiro lugar de Fernando Alonso, ironicamente, em Cingapura. Force India e Scuderia Toro Rosso ocuparam as últimas posições no mundial de construtores.

Quando Timo Glock bateu no treino de classificação para o GP do Japão, ficou impossibilitado de disputar as duas últimas provas da temporada. Kamui Kobayashi, campeão da GP2 Asia de 2009, substituiu o piloto alemão, e, com uma performance excepcional, conquistou um nono e sexto lugares, para tornar-se o "Novato do Ano".

Com o encerramento da temporada, as debandadas começaram. A começar pela Bridgestone, que não fornecerá mais pneus para a Fórmula 1 depois do encerramento da temporada de 2010. Depois, a Toyota anuncia sua saída imediata da categoria, o que já era suspeito, depois de liberar Jarno Trulli e Timo Glock para procurar outras equipes, e não confirmar Kamui Kobayashi, a surpresa do final da temporada, como titular da equipe, além de não fechar contratos de fornecimento de motores com alguma equipe, como a Williams, sua cliente em 2009. Assim como Honda e BMW, culpou a crise econômica mundial pela decisão.

Isso, em teoria, poderá abrir o caminho de Peter Sauber, e seu novo parceiro, Qadbak, para se juntar às quatro novas equipes que estão prestes a definir o grid de 2010: Lotus, USF1, Manor e Campos Meta. Entretanto, a participação dessas equipes, escolhidas em um processo de licitação aberto pela FIA, na metade de 2009, pode estar ameaçada. A USF1 sequer possui uma maquete para testes em túnel de vento. Mike Gascoygne, projetista da nova Lotus, está sendo denunciado pela Force India por compartilhar um projeto de carro da equipe de Vijay Mallya com a futura estreante.

Depois da estupenda performance da Brawn GP, é provável que a Mercedes-Benz concentre seus esforços em fornecer motores para a equipe de Ross Brawn, terminando a longa parceria com a McLaren.

Mais especulações apontam para Kimi Raikkonen, que, depois de ser demitido pela Ferrari depois do encerramento da temporada 2009, tem de fazer uma escolha: tira um ano sabático ou procura outra equipe, possivelmente a equipe de Woking. Se correr na Fórmula 1 em 2010, perde quase 5 milhões de euros que são de seu direito da Ferrari, como especificado em contrato. Uma ida para o Rally também é uma opção, e sempre foi o sonho do finlandês.

Algumas duplas já foram definidas para 2010: Felipe Massa e Fernando Alonso na Ferrari, Sebastian Vettel e Mark Webber na Red Bull Racing, Nico Hulkenberg e Rubens Barrichello na Williams, Jaime Alguersuari e Sébastien Buemi na Scuderia Toro Rosso. Timo Glock e Robert Kubica podem formar a dupla da Renault, isso se a equipe francesa continuar em 2010, o que será decidido pela cúpula da empresa. Nico Rosberg pode assumir o cockpit de um dos carros da McLaren ou da Brawn GP. Outros, como Nick Heidfeld, ainda não sabem se correrão na Fórmula 1 em 2010. Bruno Senna foi confirmado como um dos pilotos da Campos Meta. Pedro de la Rosa pode ser seu companheiro na equipe.

Com base no que aconteceu em 2009, é seguro sugerir que, na nova era de Jean Todt, sucedendo Max Mosley na presidenência da FIA, após uma vitória esmagadora contra Ari Vatanen, e o reabastecimento ser proibido, em 2010, tudo pode acontecer, inclusive provas mais emocionantes.

Rockingham Motor Speedway - Mazda MX-5 - Onboard



Ferrari 458 Italia: First Video Reviews







quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Uma imagem

Akio Toyoda, chefe da equipe Toyota F1, emociona-se ao anunciar o encerramento das atividades da equipe de Fórmula 1 e que tentará recolocar os funcionários dispensados no mercado de trabalho, especialmente os pilotos Kamui Kobayashi e Kazuki Nakajima.


Volkswagen encerra a produção do Golf Mk1 após 25 anos


A primeira versão do Volkswagen Golf surgiu em 1974, como uma substituição do Fusca. Foi vendido nos Estados Unidos com o nome Rabbit, tinha um motor 1.5 transversal, refrigerado à água, e produzia 70 CV de potência, e sua velocidade máxima era em torno de 150 Km/h. Já a versão GTI tinha um motor 1.8, com 90 CV de potência, transmissão e suspensão otimizadas para maior performance.

Apesar de, em 1984, a segunda versão do Golf (Golf Mk2) aparecer para o mundo, unidades do modelo Mk1 continuaram sendo vendidas como uma versão mais econômica, denominada Econo Golf ou CitiGolf.

Mais de 500 mil unidades do Golf Mk1 foram vendidas, com várias opções de motorização, de 1.1 a 1.8, combustível, como gasolina e diesel, e transmissões, manual de quatro ou cinco marchas, e automática.