quarta-feira, 31 de março de 2010

Ford Maverick: um carro contra a rotina e contra os altos custos de manutenção.



Scuderia Ferrari: Behind The Scenes

A Ferrari leva você para conhecer os bastidores da equipe de Fórmula 1, mostrando o trabalho nos carros antes, durante e após os Grandes Prêmios.



Caso queira, você pode conferir o vídeo em italiano, sem tradução simultânea:


Between the Lines - Stone Temple Pilots

A rádio 99.9 KISW disponibilizou em seu site o single inédito do Stone Temple Pilots, Between The Lines. Ouça-a no player abaixo:




Between the Lines é também o nome do novo trabalho da banda, que deve chegar às lojas no dia 25 de maio. Além da faixa-título, o album terá mais 11 canções:

01. Between The Lines
02. Take A Load Off
03. Huckleberry Crumble
04. Hickory Dichotomy
05. Dare If You Dare
06. Cinnamon
07. Hazy Daze
08. Bagman
09. Peacoat
10. Fast As I Can
11. First Kiss On Mars
12. Maver

terça-feira, 30 de março de 2010

Ford Maverick GT. Fórmula Ford contra a rotina.



Stock Car Brasil - Autódromo José Carlos Pace - Thiago Camilo - Onboard



À caça dos campeões

Dougie Lampkin, a bordo de sua motocicleta de trial, vai atrás dos últimos campeões da Fórmula 1, Jenson Button e Lewis Hamilton. Este vídeo é parte do teaser promocional do Goodwood Festival of Speed, que será realizado de 2 a 4 de julho de 2010, e terá a presença dos pilotos ingleses da McLaren.


segunda-feira, 29 de março de 2010

Ford Maverick. O que todo homem precisa é de um pouco de beleza, de um outro tanto de potência e de uma boa dose de classe.



A História do Automobilismo Brasileiro - Curva do S Especial - SPEED Channel - Capítulo 8


Confira os outros capítulos da série:

Capítulo 1 - O Início
Capítulo 2 - Anos 30
Capítulo 3 - Interlagos (Autódromo José Carlos Pace)
Capítulo 4 - Carreteras
Capítulo 5 - Anos 50 e 60
Capítulo 6 - Mil Milhas Brasileiras
Capítulo 7 - Carros e Personagens Históricos (Parte 1)
Capítulo 8 - Carros e Personagens Históricos (Parte 2)
Capítulo 9 - Categorias do Automobilismo Brasileiro
Capítulo 10 - Museu do Automobilismo Brasileiro

TechArt oferece pacote Retrofit para os Shift Paddles do câmbio PDK da Porsche




Quem adquiriu um Porsche com o câmbio de dupla embreagem Porsche Doppelkupplung (PDK) e não gostou das borboletas para troca de marchas, situadas atrás do volante, podem agora resolver este "problema": basta comprar outro volante, ao custo de 490 dólares, que possui Shift Paddles no formato "tradicional", semelhante ao encontrado em carros das marcas Ferrari e Lamborghini. Por enquanto, este volante, criado pela marca de Stuttgart, só pode ser adquirido para os novos modelos 911 Turbo e Boxster Spyder.



Quem possui um carro mais antigo, também com câmbio PDK, pode adquirir um outro volante, este, criado pela TechArt, com trocadores de marcha feitos de plástico, mas pintados na cor prata, para parecerem que são produzidos com metal. Este volante custa o equivalente a 650 dólares, mais taxas.

Topless Drag Race! Audi vs. BMW vs. Infiniti vs. Lexus

A Motor Trend fez um desafio nada convencional: colocou um modelo de cada marca para disputar uma competição diferente, no qual sequer os motores dos carros são ligados!



Ah, claro, é qual deles abre a capota mais rápido!

domingo, 28 de março de 2010

sábado, 27 de março de 2010

Fuja do trânsito com a nova Honda CB-125S. É a melhor coisa que você pode fazer.



Lewis Hamilton é pego fazendo "zerinhos" nas ruas de Melbourne e é multado




Lewis Hamilton foi pego e multado pela Victorian Police de Melbourne, perto do circuito de Albert Park, depois de praticar manobras perigosas na frente de um posto policial, localizado nas proximidades da curva 13 do circuito que sedia o GP da Austrália.



O carro foi apreendido por 48 horas, e o piloto inglês terá que comparecer ao tribunal em data a ser marcada, a fim de dar satisfações sobre o ocorrido.

Iron Maiden: Rock In Rio é relançado "em lata"

A ST2 Music anunciou esse mês o relançamento do DVD do Iron Maiden no Rock In Rio em 2001.

A nova versão vem com um encarte especial e embalado em uma lata para colecionador. A informação da ST2 é de que o ítem é uma edição limitada.

O conteúdo continua sendo o mesmo, o DVD 1 mostra o show explosivo de mais de duas horas, filmado por 18 câmeras e editado por Steve Harris. O DVD 2 traz entrevistas com os membros da banda, galeria de fotos e os famosos Easter Eggs. Em Dolby Digital 5.1 e DTS Surround Sound.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Honda CB-500. Liderança internacional.



Michael Schumacher fala sobre o Mercedes GP MGP W01

A heptacampeão da Fórmula 1 Michael Schumacher fala sobre as mudanças técnicas desde a última vez que disputou um GP, em 2006.


Porsche 911 GT3 RS - Porsche Experience TV

Veja o novo Porsche 911 GT3 RS sendo conduzido ao limite na pista de testes da marca alemã, localizada próximo ao circuito de Silverstone. E ainda, uma comparação do novo modelo com os históricos carros da linha RS.


quinta-feira, 25 de março de 2010

Uma imagem


Adrian Sutil nada com tubarões no Aquário de Melbourne

Já não basta enfrentar os "tubarões" da Fórmula 1? Como já dizia o Pica-Pau, "o que esses homens ricos não fazem por uma emoção?"

Honda CB-500. Para o homem silencioso.



GM's full-windshield HUD technology

A General Motors mostra sua tecnologia para o desenvolvimento de um sistema instalado no para-brisas dos carros, ou Heads Up Display, que permite a mostragem de informações, detecção de objetos, percepção de movimentos e sensações do motorista.


Zenvo ST1 Teaser

O Zenvo ST1 é um carro dinamarquês com um motor 7.0 V8 de 1104 CV. Somente 15 unidades serão disponíveis, ao preço de 1,1 milhão de dólares cada um.


quarta-feira, 24 de março de 2010

O mundo já testou. Agora é sua vez. Honda.



Jenson Button pilota um Holden Commodore V8 Supercar, Jamie Whincup pilota o McLaren MP4/23




Em um evento patrocinado pela Vodafone, nesta terça-feira (23), Jenson Button pilotou um Holden Commodore da V8 Supercars Australia, o mais importante campeonato da Austrália, e ficou bastante entusiasmado com a experiência.

Aproveitando a ocasião, Jamie Whincup, o campeão da temporada 2009 da V8 Supercars Australia, e piloto do Holden Commodore pilotado por Jenson Button, tirou a poeira do McLaren MP4/23, realizando uma condução satisfatória para uma primeira vez num bólido de F1.

Raul Seixas: O Inicio, o Fim e o Meio


Com direção de Walter Carvalho e Evaldo Morcazel, "O Início, o Fim e o Meio" aborda a vida de Raul Seixas, através de depoimentos antigos do cantor e atuais de familiares e amigos, como Paulo Coelho e Caetano Veloso, além de material cedido por Kika Seixas, ex-esposa do cantor.

Foi gravado em Salvador, onde Raul nasceu, e em São Paulo, Rio de Janeiro, Suíça e Estados Unidos. O documentário é previsto para ser lançado nos cinemas no segundo semestre deste ano.

segunda-feira, 22 de março de 2010

A História do Automobilismo Brasileiro - Curva do S Especial - SPEED Channel - Capítulo 7


Confira os outros capítulos da série:

Capítulo 1 - O Início
Capítulo 2 - Anos 30
Capítulo 3 - Interlagos (Autódromo José Carlos Pace)
Capítulo 4 - Carreteras
Capítulo 5 - Anos 50 e 60
Capítulo 6 - Mil Milhas Brasileiras
Capítulo 7 - Carros e Personagens Históricos (Parte 1)
Capítulo 8 - Carros e Personagens Históricos (Parte 2)
Capítulo 9 - Categorias do Automobilismo Brasileiro
Capítulo 10 - Museu do Automobilismo Brasileiro

2010 Mobil 1 12 Hours of Sebring Highlights


Intro




Practice Crashes




Race Start




Incredible battle for the lead in LMP1 and GT2




Jan Magnussen 3 Wide Pass on Jamie Melo




Race Onboards




Dirk Werner goes off




Corvette Racing Pit Stop Disaster




J. R. Hildebrand Crash




Porsche 997 GT3 RSR Team Falken Tyre Failures




Wolf Henzler Porsche 997 GT3 RSR loses a tyre




David Murry goes off




Scott Sharp Ferrari F430 GT2 On Fire!




Last Lap




Race Final - Andy Priaulx




Race Final - Bill Auberlen




Race Final - Dirk Werner



Final Results

domingo, 21 de março de 2010

The Runaways: liberada primeira cena do filme

Uma cena do filme The Runaways foi divulgada pela MTV norte-americana.

O vídeo mostra a intérprete de Bella Swan sentada na cama, vestindo apenas camiseta e calcinha, e tocando o hit I Love Rock N' Roll.


sexta-feira, 19 de março de 2010

Volkswagen Golf. Don't be cheap when it comes to make a wish.



Uma imagem



Por que só nós precisamos usar capacete para esquiar?

Good Enough - Tom Petty and The Heartbreakers

Ouça a música Good Enough, do Tom Petty and The Heartbreakers, que fará parte do seu novo album, Mojo.

O álgum será lançado no outono e será enviado na íntegra para cada fã que comprar um ticket online para a turnê do verão de 2010 da banda.


quinta-feira, 18 de março de 2010

Ferrari 599 HY-KERS explicado em animação 3D




A Ferrari mostrou no Salão de Genebra um híbrido baseado na Ferrari 599 GTB Fiorano, o HY-KERS, que consiste de baterias de íon de lítio, do motor V12 e do câmbio de sete marchas com dupla embreagem originais do veículo.

O motor elétrico trifásico de alta voltagem, que pesa 40 Kg, é capaz de produzir 100 CV de potência, e pode ser utilizado para impulsionar o veículo sem a ajuda do motor a combustão, por alguns quilômetros, na condução urbana, para economizar combustível. No modo híbrido, atua como um sistema de recuperação de energia cinética (KERS), carregando as baterias nas frenagens, e provendo força extra à transmissão, no pressionamento de um botão, para ultrapassagens e situações que exigem maior aceleração.

Um módulo eletrônico dedicado gerencia toda a parte de controle do uso em conjunto do motor elétrico e do motor à combustão, além de controlar o power steering e o sistema de ar condicionado, através de um gerador acoplado ao motor V12.

McLaren MP4-12C




A McLaren apresenta oficialmente o MP4-12C, com a presença de Lewis Hamilton e Jenson Button na apresentação do carro. Com o novo supesportivo, houve também a inauguração da nova fábrica, uma renovada cadeia de distribuição e um novo nível de serviços aos clientes.

Os detalhes do novo MP4-12C impressionam! É o primeiro modelo do gênero a ser fabricado com estrutura feita totalmente de fibra de carbono, material leve e resistente, usado na Fórmula 1. O carro chega com uma série de atributos: o motor V8 3.8 biturbo de 600 CV a 8.500 RPM e 599 Nm de torque a 3.000 RPM vem acoplado ao câmbio sequencial de sete marchas SSG (Seamless Shift Gearbox) com controle de largada.



Outro item revolucionário do carro é a suspensão ativa Proactive, que promete aliar o conforto de um sedã com uma estabilidade jamais vista em um supercarro, com três níveis de ajuste: esportiva, normal e confortável. Outro item exclusivo é o sistema de freio com a mesma eletrônica usada no MP4/12 de Fórmula 1, que faz a distribuição da força de frenagem de maneira que o carro saia de frente em situações extremos, evitando saídas de traseiras, mais difíceis de serem controladas.

O McLaren MP4-12C terá dezessete opções de cores disponíveis para o exterior, que poderão ser combinadas com uma série de outras tonalidades do interior. Além disso, serão oferecidos diversos acessórios, como apêndices aerodinâmicos, pinças de freio, entre outros.



Entre os equipamentos de série haverá sistema de navegação por satélite, comandos por voz, e acesso à internet sem fio. A previsão é de que as primeiras unidades do modelo serão entregas no início do ano que vem.

2010 Tesla Roadster Sport vs. 2011 Porsche Boxster Spyder


Movido à Pilha vs. Clássico Alemão!


quarta-feira, 17 de março de 2010

BBC Formula 1 Intro 1996

Era a última transmissão da BBC Sport. Em 1997, os direitos de transmissão seriam repassados para a ITV Sport. O ar de lamentação do apresentador era levemente amenizado com a possibildade de um inglês, Damon Hill, conquistar mais um título de pilotos na Fórmula 1 para a Inglaterra.

Uma imagem

Em comemoração aos 60 anos da Fórmula 1, foi realizada uma reunião com os campeões da categoria ainda vivos. Com exceção de Nelson Piquet e Kimi Raikkonen, todos estão na foto abaixo.



Da esquerda para a direita:

Na primeira fila: Fernando Alonso, Sir Jack Brabham, Michael Schumacher, Emerson Fittipaldi, Lewis Hamilton, Mika Hakkinen e Damon Hill.

Ao centro: Niki Lauda, Keke Rosberg, Mario Andretti, Sir Jackie Stewart, Alain Prost, Jacques Villeneuve e John Surtees.

Sentados, abaixo: Alan Jones, Nigel Mansell, Jody Scheckter e Jenson Button.

Acho que Jody Scheckter não gostou da ideia de sentar do lado de Bernie Ecclestone, está até olhando atravessado para o fotógrafo!

segunda-feira, 15 de março de 2010

Nelson Piquet Jr. explica o funcionamento dos controles do volante de um Fórmula 1



A História do Automobilismo Brasileiro - Curva do S Especial - SPEED Channel - Capítulo 6


Confira os outros capítulos da série:

Capítulo 1 - O Início
Capítulo 2 - Anos 30
Capítulo 3 - Interlagos (Autódromo José Carlos Pace)
Capítulo 4 - Carreteras
Capítulo 5 - Anos 50 e 60
Capítulo 6 - Mil Milhas Brasileiras
Capítulo 7 - Carros e Personagens Históricos (Parte 1)
Capítulo 8 - Carros e Personagens Históricos (Parte 2)
Capítulo 9 - Categorias do Automobilismo Brasileiro
Capítulo 10 - Museu do Automobilismo Brasileiro

Hyper PRO Racer




Os australianos da Hyper PRO desebvolveram uma espécie de "Superkart", combinando peso mínimo e alta potência. Com um motor Yamaha 450 WR e um câmbio sequencial de cinco marchas, o conjunto pesa apenas 160 Kg, um pouco mais que a motocicleta de enduro, de onde vem o motor.

Além disso, o veículo vem com uma estrutura tubular, que forma a "gaiola", aprovada pela FIA. Os acessórios e partes externas do Superkart, como os amortecedores Ohlins em alumínio, discos de freio e calipers de alumínio, são montadas diretamente no chassis.



O resultado, de acordo com a Hyper PRO, é um bólido que pode realizar uma volta em um circuito mais rapidamente que um carro australiano de corrida (com exceção de um V8 Supercar) e um pouco mais lentamente que um Gran Turismo de produção. O preço também é maior: o Hyper PRO Racer S sai por 29.500 dólares, e a versão de Hillclimbing Hyper PRO Racer R, por 35.500 dólares.


domingo, 14 de março de 2010

Destaques do Salão de Genebra 2010


Koenigsegg Agera




Porsche 911 GT3 R Hybrid




Porsche 918 Spyder Hybrid Concept




Porsche Cayenne




Lamborghini Gallardo LP570-4 Superleggera




Ferrari 599 HY-KERS Hybrid Concept




Bentley Continental Supersports




Bentley Continental Flying Star by Carrozzeria Touring Superleggera




Bugatti Galibier




Morgan Roadster Sport




Lotus Elise




Lotus Evora 414E Hybrid Concept




Aston Martin Cygnet




MINI Countryman




Audi A1




Audi A1 E-Tron




Alfa Romeo Giulietta




Renault Wind




Hyundai i-flow




Industry Analysis with Michelle Krebs




Highlights


rFactor - F1 1990 – Monza Preview Video - AGS-JH24B - Gabriele Tarquini



sexta-feira, 12 de março de 2010

A Globo e a Virgin: "It's only business!"

Depois de ler os textos publicados Por que a Globo anda chamando a Virgin de Manor? e Todos os Nomes (2), veio-me uma reflexão que me inspirou a redigir este texto, que diz respeito de como a Globo trata a questão de falar os nomes ou "apelidar" as equipes que participam da categoria máxima do automobilismo.

A resposta a esta pergunta disfarçada de frase está em uma nota publicada meses atrás, quando a Unisul de Joinvile suspendeu o seu programa dedicado ao volei, mencionando a Globo como uma das culpadas. A Unisul chegou a sugerir que, no ato do acordo entre a Federação de Volei e a Globo, houvesse uma cláusula que obrigasse a menção do nome real das equipes durante as transmissões.

A resposta da emissora ao comunicado da Unisul, acaba explicando, formalmente, a sua decisão, que já é algo até tradicional:

Os critérios que orientam as decisões das equipes de Jornalismo e de Esportes da Globo, de citar e exibir marcas, atendem a uma finalidade: ajudar o público a reconhecer a existência de fronteiras entre editorial e comercial, além, é óbvio, de resguardar, legitimamente, o modelo de viabilização da TV aberta, cujo sustento deve advir exclusivamente da comercialização dos intervalos e de outros formatos comerciais.

Do ponto de vista editorial, a citação indiscriminada de marcas comerciais por parte de narradores, comentaristas e repórteres poderia induzir o público a erro de julgamento quanto a independência, isenção e integridade que estes profissionais obrigatoriamente devem manter com relação a equipes e eventos esportivos. Por isso, mesmo considerando que o mercado esportivo evoluiu muito nas últimas duas décadas, a TV Globo nunca abriu mão deste princípio editorial, sem, entretanto, deixar de cumprir o dever de informar.

A Globo considera que a visibilidade natural proporcionada aos patrocinadores de equipes e eventos, em transmissões e reportagens, por si só agrega valor às marcas e gera ganhos de imagem para as empresas investidoras no esporte, dado o imenso alcance de público da televisão aberta.

Além do propósito de apoiar o esporte, o expediente de utilizar marcas comerciais para dar nome às equipes e patrocinar ostensivamente projetos esportivos visa, evidentemente, à obtenção da chamada "mídia espontânea" – as empresas querem a citação gratuita das suas marcas, evitando adquirir espaço comercial para expor seus produtos ou serviços.

Agora, por que o canal resolveu extrapolar justamente na Virgin? A resposta pode estar em uma nota da Veja:

"Dono de negócios tão variados quanto uma empresa aérea, uma gravadora de discos, e uma equipe de Formula 1, o inglês Richard Branson, do grupo Virgin, quer comprar uma rede de academias de ginástica no Brasil. Ela seria incorporada pela Virgin Active, cujas 170 unidades em seis países já têm 900.000 clientes. Na semana passada, Branson enviou um emissário para sondar empresas brasileiras do setor. Os alvos selecionados por Mark Field, diretor de novos negócios da Virgin Active, são a A! Body Tech, Companhia Athletica, Bio Ritmo e Monday. Branson gostaria de concretizar a operação ainda no primeiro semestre."

O ponto chave da questão está no fato de o patrocinador/comprador de uma equipe de F1, vôlei, basquete e afins, cujos jogos/corridas/partidas estão sendo transmitidas/veiculadas pela Globo, não estar em uma área de atuação diretamente ligada ao esporte em questão.

Exemplos:

- A própria Virgin, que comprou o espólio da F1 da Manor Motorsport, que trabalha em várias áreas de atuação, menos, e somente agora, no automobilismo, mas nunca trabalhou SOMENTE com automobilismo.

- A Salonpas, que fabrica medicamentos para tratamento de contusões, batidas e outros ferimentos. De certa forma, poderia estar ligado diretamente ao esporte, afinal de contas, tratamentos submetidos por estes atletas é algo bastante corriqueiro. No entanto, como os produtos da Salonpas são direcionados ao público em geral, não "merece" menção da Vênus Platinada.

Exemplos, poderia citar vários, mas os dois acima já servem para demonstrar como o chamado "departamento comercial" da RGT atua. Se a empresa não trabalha exclusivamente com carros e automobilismo, não é "exposta gratuitamente" por ela nas transmissões.

Pode também ser uma questão de "potencialidade": a Red Bull patrocina competições e esportes dos mais variados tipos, portanto, não se interessam em comprar espaço publicitário da Globo. Por isso ela não é mencionada pela RGT. Já as fabricantes de automóveis, como a Renault, que compra espaço da própria F1 da emissora, já é mencionada, por fazer parte do "pacote". Mas, e as outras, que não anunciam? Aí está: elas são um "cliente em potencial", e são mencionadas com o intuito de tentar vender espaço maior para elas.

Se não fosse assim, Ferrari, McLaren, Williams, Renault, Toyota e BMW teriam que ser "apelidadas".

Ah, mas aí você vai perguntar: e durante a "guerra dos pneus", porque a Globo chamava a Michelin de "fabricante francesa" e a Bridgestone de "fabricante japonesa"? Isso faz parte de um "lobby" das filiais brasileiras das duas marcas de pneus, que não querem ter associadas possíveis derrotas nas pistas da F1 com os resultados das vendas da segunda-feira. Isso se reflete também na Stock Car. Quem produz o chassi tubular e a mecânica dos carros é a Giaffone Motorsports, as marcas apenas colocam a "bolha". Nenhuma marca quer disputar contra a outra, mas, ao mesmo tempo, associa suas vitórias aos anúncios publicitários.

É justamente pelo contrário que campeonatos de turismo são um tremendo sucesso. Por exemplo, na Alemanha, com a Deutsche Tourenwagen Masters, e na Austrália, com a V8 Supercars, onde os carros são padronizados, claro, mas quem constroi os carros são as marcas que participam, e, assim como no caso do difusor, em 2009, tem que achar uma "carta na manga" para criar um carro mais rápido que os dos adversários, criando, assim, uma competição saudável.

Assim, a Globo é, ao mesmo tempo, responsável e vítima da situação. Assim como qualquer emissora de TV aberta, vive exclusivamente de anúncios pagos. Um anúncio de trinta segundos no começo do "Fantástico" custa o equivalente a um milhão de reais. Ou vocês acham que é barato comprar um espaço no satélite, para que qualquer pessoa aponte uma antena parabólica para receber o sinal?

Depois de tudo isso, eu não me admiro com isso. Fico mais apavorado com o fato que aconteceu no programa "Auto Esporte" de 21/02: falaram, numa retrospectiva da carreira de Michael Schumacher na F1, que Kimi Raikkonen foi o campeão da temporada 2005. Pelo jeito, o "departamento esportivo" da Globo está mais perdido que o seu "departamento comercial".

Agora eu penso: será que já não era tempo da Record tentar novamente comprar os direitos de transmissão da F1 da Globo? Na primeira tentativa, Bernie não quis, por conta da visibilidade do mercado brasileiro. Mas agora é diferente: com os direitos de transmissão dos Winter Olympic Games de Vancouver assegurados, e TRANSMITIDOS, pela Record, além da exclusividade na TV aberta dos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres, as chances de conseguir a F1 são maiores.

Keep in mind, FOM!

Uma imagem



Você vai se arrepender do que disse de mim lá no site da Fórmula 1, seu moleque!


Q: How is it for you to race against somebody who is almost double your age?

SV: When I look in my mirror and see whatever kind of car or colour or helmet, I don’t see if the guy’s old or not - it does not make any difference. What he is bringing to the table is a huge amount of experience - and experience comes with age. He’s not 20 anymore but I don’t think that’s a problem. Life is not over when you are 40!


Tradução


Fórmula 1: Qual a sensação de disputar corridas contra alguém que tem quase o dobro da sua idade?

Sebastian Vettel: Quando olho no espelho e vejo qualquer carro ou cor de capacete, eu não vejo se o piloto é velho ou não, para mim, não faz a menor diferença. O que está em jogo é a experiência, que é adquirida com a idade. Ele não tem mais vinte anos, mas não acho que isso seja um problema. A vida não acaba aos quarenta!

Mercedes GP MGP W01 - Michael Schumacher - Onboard - Bahrain International Circuit



A asa traseira do McLaren MP4/25, explicada em detalhes




A asa traseira da McLaren MP4/25 passou ontem na inspeção da FIA e é considerada legal pelo regulamento, desta forma, pode ser "copiada" pelas outras equipes, caso seja um artefato que demonstre eficiência.

O vídeo, da Gazzetta Dello Sport, explica o conceito. A "barbatana de tubarão" possui um canalizador de ar, que vai da entrada de refrigeração do motor até a parte superior da asa traseira. Nas partes de maior velocidade do circuito, esta parte é responsável por "retirar" um pouco do ar que vem diretamente na asa traseira, diminuindo o downforce gerado e, consequentemente, arrasto, possibilitando uma maior velocidade final em reta.

Isto pode ser importante em circuitos como o do Bahrain, palco da estreia da temporada 2010 da Fórmula 1, no qual há quatro grandes retas e setores com muitas curvas de baixa velocidade.

Haviam suspeitas de que o controle do fluxo de ar pelo artefato pudesse ser controlado pelo piloto, gerando uma parte móvel não permitida pelo regulamento (a única possível são os flaps da asa dianteira).

Bud Light: Don't Twist Before Drink



quarta-feira, 10 de março de 2010

Ricardo's Ethanol Boost Direct Injection Engine

A Ricardo desevolveu um modelo experimental de um motor, chamado EBDI, sigla para Ethanol Boost Direct Injection. O marca promete maior economia de combustível com o propulsor 3.2 V6 flex, mas com os mesmos 660 lb-ft de torque encontrados no motor GM Duramax 6.6 V8 diesel.


Homem do Tempo sofre ataque de pelicano!



terça-feira, 9 de março de 2010

Under Great White Northern Lights, do White Stripes, pode ser ouvido em streaming antes de ser lançado nas lojas

O novo trabalho do White Stripes, Under Great White Northern Lights, foi disponibilizado para streaming gratuito antes de ser lançado oficialmente.

O disco ao vivo só chegará às lojas no próximo dia 16, mas já pode ser ouvido na íntegra através do site National Public. Este novo trabalho de Jack e Meg White sairá em CD e disco de vinil, contendo 16 músicas gravadas durante a turnê do White Stripes pelo Canadá em 2007.

Além do disco, será lançado também um DVD contendo um documentário com o mesmo nome, trazendo imagens da turnê. O filme recebeu excelentes críticas de importantes jornais e revistas especializadas, além de indicações em festivais internacionais de cinema.


Versão moderna do "banco da sogra"


Aerofoil Fail

BMW. Joy is Futureproof.



domingo, 7 de março de 2010

Leonardo (?/?/? - 07/03/2010)




O cantor regionalista gaúcho Jader Moreci Teixeira, mais conhecido como Leonardo, foi um músico, cantor e compositor de música regional gaúcha.

Antes da carreira musical, Leonardo trabalhou como palhaço de circo, com o nome de "Zé Sabugo".



Leonardo era autor de músicas como "Céu, Sol, Sul, Terra e Cor" (eleita música-símbolo do Rio Grande do Sul por voto popular), "Viva a Bombacha", "Batismo de Sal" e "Tertúlia", música que ganhou o troféu Calhandra de Ouro da Califórnia da Canção Nativa de Uruguaiana.


Speed Merchants: 1972 World Sportscar Championship



Review de DVD - Orgulho, Paixão e Glória - Metallica

O DVD "Orgulho, Paixão e Glória – Três Noites na Cidade do México", como o próprio título diz, registra a passagem da banda pela Cidade do México, onde se apresentou em 3 shows lotados no Estádio Foro Sol, em 04, 06 e 07 de junho de 2009, mostrando uma compilação dos melhores momentos desses concertos. Aqui em terras tupiniquins, o material foi lançado inicialmente apenas em sua versão mais simples, um DVD único com 19 faixas, trazendo entrevistas e cenas de bastidores entre as músicas. No entanto, existem outras versões lá fora: DVD e Blu-Ray, DVD e mais 2 CDs, DVD duplo e mais 2 CDs, sendo que os CDs trazem as mesmas músicas do DVD simples original e a versão em DVD duplo com o segundo disco trazendo mais 16 músicas (você não leu errado) pinçadas das variações de setlist que a banda faz a cada apresentação. O disco lançado no Brasil apresenta configurações de som em PCM Stereo e DTS 5.1, com legendas em inglês, português e espanhol. O encarte é um livrete com algumas fotos da banda, o track list e informações técnicas sobre a equipe[bb] de produção.

O material inicia com imagens de fãs oriundos de todas as partes do México, além de outros países, eufóricos com a iminência de assistir a uma apresentação ao vivo dos "Four Horsemen", após um período de 10 anos de ausência da banda no país. Quem esteve nos shows da banda no Brasil encontra nesse registro uma apresentação bem próxima do que foi conferido em Porto Alegre e São Paulo recentemente, com palco, efeitos pirotécnicos e até mesmo interação com o público semelhantes ao que aconteceu por aqui. As diferenças maiores ficam no setlist, que traz algumas modificações a cada show.

Após a clássica introdução "The Ecstasy Of Gold", James e cia atacam seu público com uma tríade composta simplesmente por "Creeping Death", "For Whom The Bell Tolls" e "Ride The Lightning". Desnecessário dizer que, a essa altura, além de provocar vários entorses na audiência, a banda já estava com o jogo praticamente ganho. Não bastasse isso, na sequência emendam com "Disposable Heroes" e "One", esta última precedida de um show de pirotecnia, com explosões e fogos de artifício. O caçula "Death Magnetic" é representado nesse DVD por "Broken, Beat & Scarred", "All Nightmare Long" e "The Day That Never Comes". Há espaço ainda para canções da ‘fase dos Loads’, representada por "The Memory Remains", além de sucessos como "Sad But True" e "The Unforgiven". As músicas escolhidas para representar o fim da primeira parte dos shows formam uma sequência excelente, com "Master Of Puppets", "Fight Fire With Fire", "Nothing Else Matters" e "Enter Sandman". No bis, "The Wait", cover do Killing Joke, abre espaço para os clássicos "Hit The Lights" e "Seek and Destroy".

A banda optou por intercalar alguns blocos da apresentação com imagens de backstage, entrevistas e inúmeros depoimentos de fãs, onde todos exaltam a relação de devoção que têm para com o grupo. Com isso, são geradas desde imagens constrangedoras até outras emocionantes. Podemos acompanhar a trajetória de fãs desde suas casas até o local da apresentação, ver declarações explícitas de amor ao Metallica, assistir a partes de entrevistas coletivas do conjunto e cenas exclusivas no melhor estilo "behind the scenes". É curioso, por exemplo, observar a ascendência que Lars Ulrich tem sobre os demais integrantes da banda, ao influenciar na escolha das mudanças que ocorreriam no setlist poucos minutos antes de uma das apresentações. Engraçado também ver a assistente de produção correndo para imprimir o setlist definitivo, já que a banda resolvia mudá-lo a cada 10 minutos. E mais, pode-se conferir a emoção de alguns fãs sortudos ao encontrar os ídolos para assinaturas de autógrafos e pose para fotos.

A edição do material é frenética, com cortes para outra imagem em sequência impressionante, em alguns momentos até lembrando algumas das edições que Steve Harris faz para os DVDs do Iron Maiden. No entanto, aqui, o ritmo atordoante das músicas combina bem com a agilidade extrema da edição. Até porque a captação sonora do espetáculo e das músicas em si é uma coisa assustadora. Guitarras, baixo e, sobretudo, bateria com o volume absolutamente no talo, fazendo com que você se sinta como um dos felizardos presentes bem em frente ao palco do Foro Sol durante os shows. Há um excesso de imagens da plateia durante a apresentação que pode até incomodar de início. Entretanto, são essas filmagens que melhor ilustram a relação de total comprometimento dos fãs com James e cia. Pode-se até criticar a ausência de extras propriamente ditos no material, já que os tais extras seriam essas imagens que a banda intercala entre as canções. Contudo, o que vale nesse registro (e que certamente foi a intenção da banda) é justamente mostrar o frenesi da passagem do METALLICA pelo México e, acima de tudo, dar ao mundo uma amostra do que o grupo é capaz de fazer quando se coloca sobre um palco.

Dentre as músicas, chama a atenção que as novas canções de "Death Magnetic" se encaixam muito bem entre os clássicos oitentistas da banda. No entanto, os destaques maiores ainda continuam sendo alguns dos clássicos eternos dos thrashers da Bay Area, como a abertura com "Creeping Death" e a essencial "Master Of Puppets", talvez essa o ponto mais alto de todo show que o grupo faça.

Lars Ulrich não faz mais as mesmas linhas que gravou em estúdio, mas encontrou soluções simples e eficientes para continuar ditando o ritmo da banda e, dessa forma, não deixa a peteca cair na execução das músicas. O ‘novato’ Robert Trujillo já mostra segurança e um bom entrosamento com os demais músicos. Kirk Hammett continua solando com competência. Sobre James Hetfield, fica evidente que perdeu muito da agressividade na voz, porém encontrou um caminho eficaz nas mudanças que fez para poder continuar cantando algumas músicas, o que fica mais claro principalmente naquelas onde precisa forçar mais o vocal ou lançar mão de mais agudos, como "Ride The Lightning", "Disposable Heroes" e "Hit The Lights". No entanto, sua performance está longe de comprometer a banda, principalmente se comparada com outras fases, inclusive recentes. Até pelo contrário, James é mais do que nunca o guia que leva a banda e o público para onde deseja, pois sua habilidade como frontman é o principal fator que permite ao Metallica ter a plateia na mão o tempo inteiro. E como guitarrista, James continua um animal selvagem, cada vez mais técnico, sem perder a brutalidade.

"Orgulho, Paixão e Glória – Três Noites na Cidade do México" mostra um Metallica claramente com lenha para queimar ainda. Um título mais do que adequado, já que é exatamente isso que se vê durante toda a execução do material, uma banda com orgulho de tudo o que conquistou, vivendo um momento de glória, atestado pela paixão de milhares de fãs. Se você assistiu a algum dos shows da ‘World Magnetic Tour’, com certeza sentirá uma ponta de saudades daquelas 2 horas na companhia de Hetfield, Hammett, Trujillo e Ulrich. Se não assistiu, está aí uma pedida perfeita para compensar um pouco a perda e ver que os ‘Four Horsemen’ estão mais vivos do que nunca.

Metallica: "Orgulho, Paixão e Glória – Três Noites na Cidade do México"
Universal Music

Tracklist:
The Ecstasy Of Gold
Creeping Death
For Whom The Bell Tolls
Ride The Lightning
Disposable Heroes
One
Broken, Beat & Scarred
The Memory Remains
Sad But True
The Unforgiven
All Nightmare Long
The Day That Never Comes
Master Of Puppets
Fight Fire With Fire
Nothing Else Matters
Enter Sandman
The Wait
Hit The Lights
Seek & Destroy

OBS: abaixo está o tracklist das outras versões conhecidas deste DVD

DVD/ Blu-ray
The Ecstasy Of Gold
Creeping Death
For Whom The Bell Tolls
Ride The Lightning
Disposable Heroes
One
Broken, Beat & Scarred
The Memory Remains
Sad But True
The Unforgiven
All Nightmare Long
The Day That Never Comes
Master Of Puppets
Fight Fire With Fire
Nothing Else Matters
Enter Sandman
The Wait
Hit The Lights
Seek & Destroy

CD 1
The Ecstasy Of Gold
Creeping Death
For Whom The Bell Tolls
Ride The Lightning
Disposable Heroes
One
Broken, Beat & Scarred
The Memory Remains
Sad But True
The Unforgiven

CD 2
All Nightmare Long
The Day That Never Comes
Master Of Puppets
Fight Fire With Fire
Nothing Else Matters
Enter Sandman
The Wait
Hit The Lights
Seek & Destroy

Versão com 2 DVDs e 2 CDs. (Tracklist do DVD 2)
That Was Just Your Life
The End Of The Line
Holier Than Thou
Cyanide
Blackened
Helpless
Trapped Under Ice
Turn The Page
The Prince
No Remorse
Fuel
Wherever I May Roam
Harvester Of Sorrow
Fade To Black
…And Justice For All
Dyers Eve

Whiplash

sábado, 6 de março de 2010

Nissan GTDI Engine




O novo lançamento da Nissan, o crossover compacto Juke, também estreará um novo motor projetado pela montadora japonesa. Chamado GTDI, pela denominação gasoline-turbocharged-direct-injected, é o primeiro motor da marca movido à gasolina, turboalimentado e com injeção direta.

Esse novo motor usa a mesma técnica adotada por Volkswagen, General Motors e Ford. O sistema de injeção trabalha em alta pressão, para gerar múltiplos pulsos de distribuição de combustível ao redor do pistão, a fim de obter uma melhor combustão e maior aproveitamento de combustível. Aliado ao sistema de comando de válvulas variável, com diferentes fases, tanto na admissão quanto na exaustão, estas características contribuem para que o motor 1.6 possa produzir impressionantes 188 CV de potência e 177 lb-ft de torque.

sexta-feira, 5 de março de 2010

Ferrari F10 - Felipe Massa - Onboard - Circuito de Jerez de la Frontera


Porsche 918 Spyder Hybrid Concept

A Porsche, para a surpresa de todos, revelou o 918 Spyder Hybrid Concept, no Salão de Genebra, mostrando que performance e respeito ao meio ambiente podem estar juntos no mesmo carro. O carro é capaz de rodar até 100 Km com apenas 3 litros de combustível e emitir 70 gramas de monóxido de carbono por quilômetro.

Apesar dos números dignos de carros extremamente econômicos, a potência do carro não é pouca: 493 CV, gerados por um motor V8, mais 215 CV obtidos com três motores elétricos, o que gera um total de 708 CV disponíveis para o motorista, que pode acelerar o Porsche 918 Spyder Hybrid Concept da inércia aos 100 Km/h em apenas 3,2 segundos, e atingir a velocidade máxima de 320 Km/h.



A transmissão é Porsche-Doppelkupplungsgetriebe (PDK) de sete velocidades, e impulsiona as rodas traseiras. Já as rodas dianteiras são tracionadas pelos motores elétricos por meio de uma caixa de câmbio com relação fixa. Uma volta no Nürburgring Nordschleife foi realizada com este carro em menos de 7 minutos e meio, mais rápido que o Porsche Carrera GT.

Para alimentar os motores elétricos, o 918 Spyder Hybrid possui baterias de íons de lítio, um KERS (Kinetic Energy Recovery System), um botão push-to-pass nomeado E-Boost, para realizar ultrapassagens, e quatro modos de condução: o E-Drive, onde somente os motores elétricos atuam na locomoção do veículo, o Hybrid, que usa os motores elétricos e o a combustão em conjunto, o Sport Hybrid, ainda utilizando todos os motores, mas com o foco da condução do carro em performance superior, e o Race Hybrid, com o carro podendo ser levado ao limite.


Ferrari 599XX



quarta-feira, 3 de março de 2010

Fernando Alonso planeja criar equipe de ciclismo para disputar o Tour de France


Fernando Alonso e Carlos Sastre

O espanhol e bi-campeão de Fórmula 1 Fernando Alonso revelou que gostaria de criar uma equipe de ciclistas capaz de vencer o Tour de France. O piloto disse que um amigo o influenciou muito para que tivesse essa ideia: Alberto Contador.

"É um projeto para mim, um tipo de sonho que eu tenho porque sou apaixonado pelo ciclismo. No entanto, eu sei que não é facil criar uma equipe campeã a partir do zero. Você precisa de bons corredores, equipe técnica, muita preparação e, o mais importante, muitos patrocinadores. Então, eu acho que estamos no momento certo de começar um projeto como este, em razão da situação atual da economia mundial", disse o piloto da Ferrari ao jornal britânico Guardian.

Alonso, que revelou já ter participação de sessões de treino com o campeão olímpico Samuel Sanchez e alguns companheiros de equipe de Aberto Contador, ainda disse que não necessariamente aguardaria até o fim de sua carreira na Fórmula 1 antes de começar os trabalhos na equipe de ciclismo, devido ao fato do contrato de Contador com a Astana encerrar este ano. "Com certeza, se houver uma oportunidade, estarei muito interessado, e imagino que Alberto também", disse o piloto da Ferrari.

2010 Chevrolet Corvette Grand Sport Coupé



Cada um penhora o que pode... e o que tem!


Bonecas infláveis e kits de manutenção
Clique na imagem para ampliá-la

terça-feira, 2 de março de 2010

The Runaways: The Movie

O filme The Runaways é o longa que conta a trajetória da banda de mesmo nome, formada na década de 1970, cujas integrantes eram Joan Jett, Cherie Currie, Lita Ford, Sandy West e Jackie Fox, e foi inspirado no livro Neon Angel, de Cherie Currie, ex-vocalista do grupo. Kristen Stewart estará no papel de Joan Jett. Já no papel de Cherie, contracenará Dakota Fanning.

A banda tornou-se famosa por ser uma banda de Rock N' Roll composta somente por mulheres, mostrando que não só os homens conseguem fazer rock de qualidade. Entre suas canções mais conhecidas estão Cherry Bomb, Queens of Noise e Born To Be Bad. Em sua curta carreira, que durou até 1979, o grupo não ficou apenas nos Estados Unidos, fez turnê na Europa e também no Japão.

O filme acompanha a trajetória do grupo desde o começo em Los Angeles, passando por shows no Japão e até o breve romance entre Currie e Jett, que também participa da trilha sonora, como cantora solo.

The Runaways chega aos cinemas nos EUA no dia 19 de março. Dirigido por Flora Sigismondi, mais conhecida por seus trabalhos em vídeo-clipes de artistas como David Bowie, The Cure e Marilyn Manson, o filme certamente terá uma dinâmica de muita ação e emoção, ao som do melhor Rock N' Roll.



A lista de faixas da trilha sonora de The Runaways:

1. Nick Gilder – "Roxy roller"
2. Suzi Quatro – "The wild one"
3. MC5 – "It’s a man’s man’s man’s world"
4. David Bowie – "Rebel rebel"
5. Dakota Fanning – "Cherry bomb"
6. The Runaways – "Hollywood"
7. Dakota Fanning – "California paradise"
8. The Runaways – "You drive me wild"
9. Dakota Fanning & Kristen Stewart – "Queens of noise"
10. Kristen Stewart & Dakota Fanning – "Dead end justice"
11. The Stooges – "I wanna be your dog"
12. The Runaways – "I wanna be where the boys are (Live)"
13. Sex Pistols – "Pretty vacant"
14. Joan Jett – "Don’t abuse me"