sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Jackie Stewart: "o que eu teria feito diferente"

Em entrevista à revista Car And Driver, o tricampeão de Fórmula 1 fala sobre sua dificuldade de aprendizagem, sua campanha para a segurança dos pilotos, e a confusão que se tornou a Jaguar Racing.

Parabéns por entrar no Hall of Fame da Indy.

Obrigado. Isso é muito bom. Eu não ganhei a corrida em 1966, obviamente, mas eu estava liderando apenas duas voltas, com oito voltas para o final, quando a bomba de óleo pifou. Eu ainda terminei em sexto lugar e ganhei o Rookie of the Year, eu ainda tenho o troféu. É um dos poucos que guardei.

Ford 1.0 Ecoboost


A Ford divulgou na última sexta-feira (23) um vídeo que mostra detalhes do funcionamento do motor 1.0 Ecoboost. O bloco, de apenas três cilindros, com injeção direta de gasolina, e sobrealimentado por um turbocompressor, gera força equivalente a de um motor 1.6 aspirado a gasolina, e consome menos que um 1.0 litro. A fábrica informa potência de 120 cv e torque de 17,3 kgfm entre 1.300 e 4.000 giros.

No vídeo, é possível observar o trabalho de cada parte do bloco Ecoboost, principalmente os sistemas modernos, como o duplo comando variável de válvulas e a bomba de óleo de compressor variável. A Ford também ressalta que as duas correias principais trabalham imersas no óleo, deixando o motor mais suave e silencioso. O bloco 1.0 Ecoboost chega ao mercado europeu já em 2012, com duas faixas de potência: 100 CV e 120 CV.

CORE Autosport LMPC - Road America - Gunnar Jeannette - Onboard


quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Uno Mille EP Extra Power. O melhor da categoria ficou ainda melhor.


BMW explica a origem de seu logotipo


A história da BMW tem mais de 90 anos, quando começou a fazer motores de avião até construir motos e carros. O vídeo acima nos mostra a história e as origens do emblema.

A verdade, como se vê, é bem mais simples do que o mito. O logotipo possui as cores da bandeira do estado da Baviera e é inspirado na empresa antecessora, Rapp. Acredita-va se que o logotipo representa uma hélice, já que a BMW começou desenvolvendo motores de avião antes de fazer motos e carros.

Ferrari 458 Italia - Laguna Seca Raceway - Onboard


quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Ford Mustang. The legend lives. (With Steve McQueen)


Ferrari 458 Challenge - Circuit de Spa-Francorchamps - Rory Bertram - Onboard


Dodge Viper ACR SRT - Nürburgring Nordschleife - Dominik Farnbacher - Onboard - 7:12.13


Dodge Viper SRT10® ACR Reclaims Production Car Lap Record at Nürburgring with 7:12.13

* Veteran GT driver Dominik Farnbacher pilots street-legal, 600-horsepower 2010 Dodge Viper SRT10 ACR (American Club Racer) to new record lap at the world's most demanding road course - the famed 12.9-mile Nürburgring Nordschleife (north course)

* Chrysler Group's SRT (Street and Racing Technology) group teams up with Viper Club of America and ViperExchange by Tomball Dodge team for record-setting run

* Viper ACR adds to its growing list of benchmark lap times at famous road courses

September 27, 2011 , Auburn Hills, Mich. - The Chrysler Group's Street and Racing Technology (SRT) team made history on Sept. 14, 2011, at the famed Nürburgring Nordschleife as their ultimate, street-legal, track-ready car - the Dodge Viper SRT10® ACR - recaptured the production car lap record with a 7:12.13 elapsed time.

With no 2011 model-year Dodge Viper cars being produced, SRT joined forces with the Viper Club of America and the ViperExchange by Tomball Dodge team from Tomball, Texas, which supplied two brand-new 2010 Dodge Viper ACR's off their showroom floor for the record-setting effort.

"We're extremely proud to set the lap record for a second time at the famed Nürburgring Nordschleife," said Ralph Gilles, President and CEO - SRT Brand and Motorsports, Chrysler Group LLC. "Our team returned to Germany knowing we'd left some time on the track when we set our first lap record, so this effort shows the incredible depth and capability the Viper ACR has by running a full 10 seconds faster than we did in 2008."

ViperExchange team owner and longtime Viper enthusiast Ben Keating, also was instrumental in securing veteran GT driver Dominik Farnbacher to drive the Viper ACR to the new record lap. Keating and Farnbacher previously teamed up at the 24 Hours of Daytona in 2011.

The street-legal Viper ACR is factory-equipped and tuned for outstanding track performance with coil-over racing dampers that are adjustable for both damping and ride height. The shocks are two-way factory adjustable without removing the wheels - a timesaver at any track configuration - and they include a large range for compression and rebound adjustment. Aerodynamics are also adjustable via carbon-fiber rear wing with seven-position stanchions and an adjustable front splitter.

SRT's first official visit to the Nürburgring took place in August 2008 when the newly launched 2008 Dodge Viper ACR came to Germany with driver Tom Coronel and established a new production car lap record time of 7:22.1, a record that stood through much of 2011.

As a result of their original trip to Nürburgring, SRT engineering implemented a few specific improvements to get even more speed out of the record-setting supercar.

For the 2010 model year, the Viper ACR received a shorter fifth gear ratio (changing from 0.74 to 0.80) for improved high-speed acceleration and higher straightaway speeds. This helped achieve higher speeds down the front straightaway of Döttinger Höhe and past the Antonius Bridge on the Nürburgring course. The rear-wing profile and end plates also were redesigned to further optimize the vehicle aerodynamics and improve yaw downforce, which allowed greater speeds through the high speed turns such as Schwedenkreuz. A new short-throw shifter also came in 2010 models for enhanced driver control and quicker shifts.

The hot-lap testing was spread over two days. On Sept. 12, the track was completely wet at the beginning of the four-hour session. By the final hour, the track was mostly dry but peak performance was limited due to a few remaining damp areas at the Bergwerk corner and Fuchsröhre and Wippermann areas. The best lap of the day was a 7:15.6 at the end of the session. By Sept. 14, a clear weather pattern allowed the track to dry and gave the team good conditions for the Viper ACR's final lap of 7:12.13.

The Viper ACR holds benchmark lap times at the following road courses:

* Autobahn Country Club, Joliet, Ill. 2:37.70
* Buttonwillow Raceway Park, Buttonwillow, Calif. 1:55.70
* Gingerman Raceway (1.88-mile original course), South Haven, Mich. 1:26.70
* Grattan Raceway, Belding, Mich. 1:22.70
* Laguna Seca Raceway, Salinas, Calif. 1:33.90
* Miller Motorsport Park (3.05-mile outer loop), Tooele, Utah 1:59.90
* Monticello Motor Club, Monticello, N.Y. 2:26.37
* MotorSport Ranch (3.1-mile full course), Cresson, Texas 2:19.00
* Nelson Ledges Road Course, Garrettsville, Ohio 1:08.90
* New Jersey Motorsports Park, Millville, N.J. 1:28.08
* No Problem Raceway, Belle Rose, La. 1:16.90
* Nürburgring Nordschleife, Nürburg, Germany 7:12.13
* Putnam Park, Mount Meridian, Ind. 1:12.60
* Sebring Full Course, Sebring, Fla. 2:19.47
* Spring Mountain (2.2-mile layout), Pahrump, Nev. 1:45.40
* Texas World Speedway, College Station, Texas 1:47.56
* Top Gear USA (El Toro), Irvine, Calif. 1:22.00
* Virginia International Raceway (3.27-mile full course), Alton, Va. 2:00.63
* Willow Springs Raceway, Rosamond, Calif. 1:26.00

Dodge Viper ACR

The Viper ACR remains the ultimate purpose-built, street-legal, track-ready car since its introduction in 2008.

Powered by the venerable 8.4-liter, V-10 engine with 600 horsepower and 560 lb.-ft. of torque, the Viper ACR offers extreme performance, including 0-60 mph acceleration in less than 4 seconds, quarter-mile time in the mid 11-second range and 0-100-0 mph in 11 seconds flat.

The four-wheel independent suspension features high-performance aluminum control arms and knuckles, KW suspension with two-way adjustable competition coil-over shock absorbers with remote reservoirs.

The aerodynamic package features a carbon fiber "fanged" splitter in front and adjustable carbon-fiber wing with seven-position stanchions that allow up to an amazing 1,000 pounds of downforce at 150 mph. Lightweight forged aluminum wheels, two-piece slotted brake rotors and Michelin Pilot Sport Cup tires round out the ACR package.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Nuevo Volkswagen Golf GTI. La leyenda regressa. De 0 a 100 km/h en 6,9 segundos.


Carro mais antigo em funcionamento vai a leilão


O carro mais antigo do mundo em funcionamento será leiloado em outubro nos Estados Unidos. Construído em uma época anterior à indústria automotiva, o modelo foi fabricado em 1884 a mando do francês Conde de Dion, que, em sua própria homenagem, batizou o veículo de De Dion Bouton et Trepardoux Dos-a-Dos Steam Runabout.

O triciclo recebeu um tanque capaz de armazenar até 40 litros de combustível, garantindo uma autonomia de cerca de 32 km, além do motor a vapor alimentado por carvão. Com velocidade máxima de 60 km/h, o modelo foi o vencedor de uma das primeiras corridas de automóveis, realizada em 1894.

Em 127 anos de existência, o De Dion só teve quatro proprietários. Segundo a RM Auctions, empresa responsável pelo leilão, a expectativa é que o próximo dono desembolse entre US$ 2 milhões (R$ 3,745 milhões) e US$ 2,5 milhões (R$ 4.681 milhões) para levar a raridade para casa.

Henry Catchpole drives Mini Countryman WRC


segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Always great to make friends. The new Kawasaki Ninja ZX-6R. 136 PS RAM Air.


Audi R8 GT - Laguna Seca Raceway - Onboard


2011 Frankfurt Auto Show Highlights


Audi S7




Audi S8




Bentley Continental GTC




BMW M5




Ferrari 458 Italia Spider




Ford Fiesta ST




Ford Focus ST




Ford Evos Concept




Honda Civic




Infiniti FX50 Sebastian Vettel




Jaguar C-X16




Lamborghini Gallardo LP570-4 Super Trofeo Stradale




Land Rover DC100 Concept




Lotus Exige S




Maserati Kubang concept




Mazda CX-5




Mercedes-Benz C-Coupe AMG DTM




Mercedes-Benz M-Class




Mercedes-Benz SLS AMG Roadster




Porsche 911




SEAT IBL Sports Saloon Concept




Skoda MissionL




Volkswagen Beetle R




Volkswagen Up!


sábado, 24 de setembro de 2011

Ford Maverick. Um passo à frente. (Comercial de lançamento)


2011 Goodwood Revival - Aston Martin DB4GT - Tom Alexander and Christian Horner - Onboard


Lexus LFA Nürburgring Edition - Nürburgring Nordschleife - Onboard - 7:14.64


Lexus LFA achieves a 7minute 14.64 seconds lap time on the Nürburgring Nordschleife

* Lexus LFA Nürburgring package achieves a class leading Nürburgring Nordschleife lap time of 7:14.64, driven by LFA race and test driver Akira Iida.

* 50 from a total LFA production run of 500 will feature the track-focused Nürburgring package

* The LFA Nürburgring package features enhanced aerodynamic performance, tuned suspension and a maximum power of 420 kW/571 DIN hp

On August 31st 2011, Lexus undertook a performance check with the Lexus LFA Nürburgring Package, a two-seater supercar, at the Nürburgring (Rhineland-Pfalz, Germany).

Scheduled for production in 2012, the LFA Nürburgring Package has been optimized to deliver higher performance on the track, with a number of modifications made to the standard LFA. The LFA Nürburgring package is included in the limited 500 production run of the LFA.

The Nürburgring package includes a carbon fibre reinforced plastic (CFRP) front spoiler and fixed rear wing to enhance aerodynamic performance. The LFA Nürburgring Package also comes with track tuned suspension and custom wheels to improve maneuverability and stability. Compared to the standard LFA's output of 412 kW (560 PS), the output of the LFA Nürburgring package has been raised to 420 kW (571 PS).

On the Nürburgring Nordschliefe (North Loop), where the LFA was extensively developed, professional race driver and LFA test driver, Akira Iida recorded a lap time of just 7:14.64. The tires used during the performance evaluation were Bridgestone Potenza RE070 tires which are the standard road legal specification for this LFA.

Mr. Dr. Schmidt , the COO of the Nürburgring Automotive GmbH stated ‘‘For us, it is always very special when a car is developed to meet the needs of the Nürburgring-Nordschleife.

It shows us that the Nordschleife still is of particular importance for the automotive industry and that it still radiates a tremendous fascination. Lexus met the challenge Nordschleife by developing the Lexus LFA Nürburgring package.

The lap time driven demonstrates impressively that Lexus have done an excellent job in matching the challenges of the track with the needs of an exclusive sports car.

This is an outstanding result for Lexus and a reassurance of the excellent work done. We are very delighted by this."

Haruhiko Tanahashi, LFA Chief Engineer stated "Since 2004 in the spring and summer of every year we have conducted development tests for the LFA at Nürburgring Nordschleife. The LFA Nürburgring package is the compilation of our extensive testing programme and we have appreciated the opportunities to utilise the Nürburgring Nordschleife to strengthen and develop the LFA into the vehicle it is today. The development team's obsession, Iida-san's concentration and good course conditions all led to achieving this record".

Commenting on the result Iida-san said "We are delighted with this achievement. Our ongoing development of the LFA and our recent outings at the Nürburgring 24h race have enabled us to continued to tune the vehicle. The result with the LFA Nürburgring package shows the cars ultimate performance and agility. This is a first activity of its type for Lexus and the constant effort of the team has brought this fantastic result".

The Lexus LFA supercar was first shown at the 41st Tokyo motorshow. The development took place over a period of ten years and was an indispensable step for Lexus, and its future models. The first model of the new generation Lexus, the new GS shows the new direction for the brand in terms of bold, dynamic styling, precise handling and innovative technology. The full hybrid GS 450h will be shown for the first time at Frankfurt motorshow on the 13th September.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Chevrolet Monza. A nova relação entre o homem e a máquina.



Monza. Este é o carro do ano. Direção hidráulica, vidros elétricos e quinta marcha opcionais. Estilo e aerodinâmica para desempenho com economia. Depois de dirigir o Monza, você nunca mais será o mesmo.

Os cinco principais erros em campanhas de QR Code

Confira os principais pontos levantados por Matthias Galica, CEO da ShareSquare

QR codeRelativamente nova, a tecnologia de QR Codes ainda gera dúvidas quanto a seu uso. Pensando nisso, um dos especialistas na área decidiu compilar os cinco piores erros em um artigo publicado originalmente pelo site Mashable. Confira abaixo os principais pontos levantados por Matthias Galica, CEO da ShareSquare. O artigo completo pode ser acessado aqui.

1. Não testar o código

Ainda que pareça óbvio, é comum que empresas não testem o código 2D em diversos smartphones e em vários aplicativos leitores da tecnologia antes de lançar uma campanha, afirma Galica. Um dos casos nacionais mais recentes virou notícia no Mobilepedia.

2. Não ir direto ao ponto

O Qr Code deve proporcionar resultados rápidos ao usuário. Ao invés disso, algumas empresas ainda criam várias etapas até que o consumidor chegue ao objetivo. Um dos exemplos apontados por ele é a ação criada pela artista Yun Li para a revista __.

3. Enviar o usuário para um site feito para desktop

O código 2D está rodando perfeitamente, não tem problemas de conexão, mas se o usuário for direcionado a uma página feita para telas grandes, afirma Galica, a chance de a campanha falhar é de 99.9%. A recomendação do especialista é investimento em sites móveis baseados em HTML 5, pois estes criam uma sensação de ser um aplicativo nativo do smartphone, tornando a ação muito bem sucedida.

4. Colocar anúncios com QR onde não há sinal

Algo muito importante, de acordo com o especialista, é saber onde os anúncios para ter acesso aos códigos vão estar alocados. Recentemente, a Tesco realizou uma campanha aparentemente bem sucedida no metrô da Coréia. Porém nos Estados Unidos a Red Bull tentou fazer o mesmo, no entanto não havia sinal 3G nas estações.

5. Cuidado com os “prêmios”

O quinto e último erro que Galica afirma poder existir merece muita atenção, pois anunciantes ao querer dar prêmios a quem acessar o código tem que ser cuidadosos.

“Será que uma versão digital do anúncio pode ser considerada uma recompensa?”, questiona o CEO já respondendo que não. O melhor, afirma o especialista, é oferecer um conteúdo exclusivo com fotos e vídeos, cupons de descontos ou integração com redes sociais.

ProXXIma

Ariel Atom engine explodes during Västerås Street Racing


sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Volkswagen Geração 1989. Você conhece, você confia.


Arrinera Supercar


A Arrinera mostra alguns vídeos e fotos de seu protótipo de supercarro. Com estilo a la Lamborghini, o carro polonês tem chassi tubular de aço, carroceria de carbono e Kevlar e rodas de liga leve de 19 polegadas na dianteira e 20 polegadas na traseira. O interior é elegantemente decorado com tapeçaria de couro premium, fibra de carbono, bancos de alumínio e um sistema de imagem termal.

O motor é oriundo do Chevrolet Corvette ZR1, 6.2 litros V8, que produz 638 CV de potência e 819 Nm de torque. A Arrinera planeja lançar o modelo em 2012 na Europa, China, Oriente Médio e Estados Unidos.

2011 Porsche 911 GT3 RS - Laguna Seca Raceway - Onboard


quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Toyota. Maneja confiado.


Race Fuel vs. Road Fuel


Em um experimento nunca antes tentado na Fórmula 1, verificou-se se um carro de Fórmula 1 pode ser tão rápido ao se trocar o combustível de competição pelo combustível de alta octanagem vendido nos postos de abastecimento.

É necessário um remapeamento da injeção eletrônica para que o motor, quando utilizar combustível comum, possa render exatamente o mesmo que usando o combustível desenvolvido especialmente para a Fórmula 1, mas a dúvida que ficará no ar é: quantos litros a mais o tanque precisa armazenar para que o carro possa completar uma corrida?

Volkswagen introduz sistema de desativação de cilindros em seu motor 1.4 TSI


A Volkswagen introduziu um novo sistema de desativação de cilindros para seu motor 1.4 TSI. É a primeira vez que um sistema deste tipo é aplicado em um propulsor de quatro cilindros.

No motor 1.4 TSI, dois dos quatro cilindros são desligados quando a força exigida é de mínima à média, através de uma alteração no posicionamento dos comandos de válvulas. A desativação pode resultar em uma economia de até 0,6 litros a cada 100 km, quando combinada com um sistema stop-start.

A economia resultante pode ser ainda maior em certos modos de condução. Por exemplo, à uma velocidade constante de 50 km/h em terceira ou quarta marcha, pode-se poupar até um litro a cada cem quilômetros.

O sistema de desativação de cilindros entra em ação quando o motor 1.4 TSI está operando entre 1.400 e 4.000 RPM e o torque entre 25 e 75 Nm, além de verificar, através de sensores, o comportamento do motorista com o pedal do acelerador.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Volkswagen Golf GTI 20th Anniversary commercial shot by the director of "Born To Race"


V8 Cricket Bowling Machine

O Top Gear Australia começou a quarta temporada em grande estilo. Depois do liquidificador inventado pelo pessoal do Top Gear britânico, o pessoal da terra dos aborígenes criou uma máquina lançadora de bolas de críquete com um motor Holden V8!

O resultado? Bom, Even Page tentou rebater, mas...

Cavalo defeca ao vivo no SBT



Isso que é ver merda na televisão!

domingo, 11 de setembro de 2011

Toyota Corolla 2.0 Dual VVT-i Flex. Dirigir é incrível.


Mobilidade é fundamental para o sucesso das redes sociais

As redes sociais são uma característica da nossa geração. Não há como imaginar o futuro sem elas, há a necessidade dessa troca de informações. As pessoas criam perfis, compartilham seus gostos e sua rotina. Ficam "viciadas" na rede, mas depois a abandonam ou trocam por outra. Esse é um processo natural e não há como mudar esse ciclo. Já existem muitas redes e outras tantas estão por vir. E estas devem estar atentas às mudanças no perfil dos usuários para obter sucesso.

As pessoas buscam rapidez e mobilidade, e é isso que as redes sociais que virão devem oferecer. De acordo com um estudo realizado pela Teleco, o acesso à internet feito por dispositivos móveis cresceu 138%, no Brasil, em 2010. As pessoas usam seus aparelhos móveis para realizar as mais diversas funções e entre elas está o acesso às redes sociais. Cerca de 30% dos usuários atualizam seus perfis por smartphones e tablets.

É sabido que nenhuma rede de relacionamento é eterna, como nada é. Elas aparecem, atraem milhões de pessoas e depois são esquecidas. Existem diversas atualmente, mas algumas se destacam, como é caso do Orkut e do Facebook, por exemplo. O Orkut já está perdendo espaço há algum tempo, e o Facebook talvez já tenha iniciado esse processo.

A próxima rede social que virá, porque certamente aparecerá outra, deve ter foco na mobilidade. O Brasil foi apresentado às redes sociais em 2004 por meio do Orkut, que ainda é a mais popular no país. Naquela época, os dispositivos móveis ainda não eram uma realidade, como acontece hoje. E assim como o acesso à internet por aparelhos móveis está crescendo, os usuários do Orkut têm ficado cada vez menos tempo nas páginas do site.

Dados da comScore mostram que, em março deste ano, houve queda 30,9% no tempo médio de navegação por usuário no Orkut. Muitos acreditam que essa perda de espaço tenha acontecido em consequência da migração dos usuários para o Facebook. Eu acredito que as propostas são diferentes e as redes poderiam ser usadas em paralelo, mas o acesso ao Orkut por aparelhos móveis não é nem um pouco amigável, e essa é a principal causa da perda de usuários.

Que esse exemplo sirva de lição para as redes sociais que surgirem. Cada vez mais, os próximos Mark Zuckerberg devem investir na facilidade de acesso por aparelhos móveis. Afinal, ninguém quer perder tempo, e as pessoas aproveitam o trânsito, a espera pelo almoço e qualquer minutinho ocioso para verificar seus perfis. Se a interface não for amigável o insucesso é certo.

Outra prova de que o investimento em mobilidade é fundamental é o crescimento da venda de smartphones. A The Nielsen Company divulgou que 23% dos celulares em uso nos Estados Unidos são smartphones. Em 2009, eram 16%. A queda no número de usuários do Facebook nos Estados Unidos poderia ser associada ao aumento do número de smartphones.

A rede social criada por Mark Zuckerberg caiu de 155 milhões para 149 milhões de usuários somente nos Estados Unidos. Mas, apesar da baixa, o Facebook oferece um bom acesso por meio dos aparelhos móveis. Acredito que essa perda de espaço seja mais pela saturação das pessoas do que pela dificuldade de acesso.

No Brasil, ainda vai demorar um pouco para que o Facebook comece a perder espaço. Aqui, a rede continua em expansão. Mas esse é um processo natural, visto que o Facebook está perdendo usuários nos países onde se popularizou primeiro - Estados Unidos, Canadá e Reino Unido -, e está crescendo nos países em que chegou depois - México, Índia, Argentina e Brasil.

As redes sociais vieram para ficar. Orkut, Facebook, Twitter, LinkedIn, Myspace e tantas outras fazem parte do cotidiano das pessoas. Não é por acaso que as empresas têm usado as redes sociais para se relacionar e para atrair clientes. Há a necessidade de ter amigos e de trocar informações por meio dos perfis. Quem pretende ter sucesso com as redes de relacionamento, como o Mark Zuckerberg, tem que investir em mobilidade.

No Brasil, a venda de tablets e smartphones só aumenta. As pessoas dão preferência para os smartphones em vez dos celulares comuns. Com a chegada de fábricas desses produtos ao país, assim como a diminuição dos impostos, o consumo aumentará muito e ainda neste ano. Dados da IDC estimam que em 2011 a venda de smartphones deve crescer 55%.

Para acompanhar o aumento na venda dos dispositivos móveis, a tendência é que até o final deste ano o número de usuários de banda larga móvel seja de 32 milhões no Brasil. Já os de banda larga fixa serão 17 milhões, segundo a Teleco. Os números mostram que quem não investe em mobilidade, seja em redes sociais ou qualquer outro serviço, vai perder espaço.

iMasters

BMW 1 Series M Coupé - Laguna Seca Raceway - Onboard


sexta-feira, 9 de setembro de 2011

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Chevette Jeans. Forte, valente, 15 quilômetros por litro.


E-mail marketing: qual mailing usar?

Utilizar campanha de e-mail marketing é uma forte arma para uma empresa aumentar suas vendas, comunicar suas novidades com seu público, oferecer conteúdo de qualidade e fazer pesquisa online, mas muitos não sabem aproveitar essa ferramenta e pensam que o que vale é a quantidade de disparos realizados.

Se o que valesse mesmo fosse a quantidade de envios, independente da procedência da lista ou, até mesmo, do público receptor da informação, seria muito fácil. Era só uma empresa poder comprar uma mega lista, dessas que vemos a todo momento disponível para venda na internet, e ganhar muito dinheiro. Mas as coisas não são tão simples assim.

Para que uma campanha de e-mail marketing seja bem sucedida, esta deverá atingir o público que deseja consumir a informação contida naquela mensagem, caso contrário poderá oferecer, por exemplo, um curso online voltado ao profissional da saúde para um contador ou uma notícia voltada para educadores enviada para alunos.

As mailings devem ser bem organizadas com e-mails existentes e fidedignos, caso contrário o investimento, financeiro ou de tempo, não compensará e o resultado será insignificante. Podendo, em alguns casos, até prejudicar a reputação de um negócio.

São várias as formas de enviar uma campanha de e-mail marketing, sendo por malings próprias, de terceiros e compradas. Antes de escrever este artigo fiz alguns testes de envios por diversas listas e deixo uma análise breve de cada uma, com suas vantagens e desvantagens:

Mailing de terceiros

Mailing de terceiros é quando se compra disparos de e-mails para listas de associações, conselhos de classe, sindicato, editoras da área, além de blogueiros que oferecem esse serviço e que estejam ligados ao negócio de uma empresa. Enfim, são envios onde, normalmente, se paga pelos disparos, mas a empresa não toma posse daqueles contatos.

Essa forma de envio pode dar um bom retorno se a empresa contratada for séria e atualizar constantemente a sua lista. Porém é bom que se faça uma análise do custo benefício, da empresa e do retorno que o envio poderá proporcionar para o negócio. Dependendo do nicho e do serviço contratado, pode-se encontrar bons preços e obter um bom retorno.

Vantagens:

- O e-mail terá a “Assinatura” da empresa contratada. É como se a empresa ou blog contratado estivesse endossando o produto.
- O resultado é imediato.
- Investimento baixo (dependendo do nicho e da empresa contratada).
- Não é necessário estrutura para realizar os envios, uma vez que tudo é feito pela empresa contratada.
- Normalmente essas empresas pedem permissão para envios de materiais de parceiros - opt-in.

Observação: É interessante solicitar o relatório para a empresa contratada com o resultado dos envios.

Desvantagens:

- O resultado é apenas de curto prazo.
- A mailing da empresa pode estar desatualizada.
- Algumas empresas cobram um valor alto por envio de campanha.

Mailing comprada

Essa é a pior forma de enviar as campanhas de e-mail marketing, pois são listas compradas e que não são confiáveis. A empresa que adquire essa lista poderá usá-la como achar melhor e por tempo indeterminado, mas os donos dos dados não sabem da existência da empresa que a adquiriu seu contato.

Envios de e-mails para essas listas são considerados SPAM, pois a empresa que a adquiriu não solicitou o envio para os proprietários daqueles contatos. O mesmo acontece para as outras empresas que comprarem essa mesma lista.

Vantagens:

- Se pudéssemos falar em vantagens para gastar dinheiro e tempo com essas listas, seria que as listas são baratas e fáceis de conseguir, mas esse é o tipo de oferta onde o barato sai caro.

Desvantagens:

- O retorno é baixíssimo.
- A taxa de abertura e de clique é muito baixa.
- Se a lista está a venda, qualquer um pode comprar, logo aqueles contatos receberão diversos e-mails não solicitados e o seu será mais um e passará despercebido.
- As listas podem estar totalmente desatualizadas, com contatos inexistentes e informações não confiáveis.
- Esses contatos não solicitaram o envio de e-mails da empresa que comprou a lista (opt-in).
- O IP e o domínio da empresa podem ser prejudicados, pois os e-mails poderão ser denunciados e ir parar na lista negra - o que irá prejudicar as próximas campanhas.

Mailing própria

Essa é a melhor opção para envios de e-mail marketing, pois é uma lista construída pela empresa que irá enviar as campanhas - o que permite organizar os contatos de forma segmentada visando atingir a pessoa que tem interesse na informação enviada.

Com uma mailing própria, a chance de se ter um resultado bom é bem maior que as outras alternativas. Para que uma pessoa tenha interesse em fazer parte de uma lista, a empresa deve oferecer alguma coisa que desperte a atenção pelo conteúdo que será oferecido.

Algumas alternativas para as pessoas se cadastrarem em uma mailing é oferecer atrativos como, por exemplo, e-book gratuito, demonstrativo de um software, demonstrativo de um curso, promoções exclusivas para os assinantes daquela lista. Enfim, são várias as possibilidades para chamar a atenção de uma pessoa para sua mailing.

Vantagens:

- Boa taxa de abertura e de clique.
- Campanhas apresentam um bom desempenho.
- Resultado em médio e longo prazo.
- Permite a segmentação dos envios por preferências do público.

Desvantagens:

- É necessário tempo para se ter uma boa lista de contatos ou um alto investimento para atrair pessoas para participar da sua base de contatos.

Conclusão

No e-mail marketing tem que haver interesse do público em receber a informação de uma empresa. Por isso, é de extrema importância ter o aval das pessoas que irão receber seus e-mails (opt-in), ou, pelo menos, ter tido um contato prévio com os possíveis assinantes.

Outro ponto importante é a organização das listas de contato para atingir o público certo com a mensagem adequada. Use o bom senso e escolha o formato que melhor se encaixa para sua empresa. No final o resultado é positivo para todos.

iMasters

2011 Porsche Cayman R - Laguna Seca Raceway - Onboard


quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Vectra, uma nova categoria. Vectra, é você.


Jeremy Clarkson drives Lotus Exos Type 125


"I will drive RWB Porsches until I die!"


Shinji owns a RWB 964 named "Good Hills Speed". Like all RWB's customers, Shinji-san is passionate about his Porsches and is a very humble, fun and kind hearted person.

"Why do you like RWB?" Shinji made sure to tell us the most important key points of his car in English.

sábado, 3 de setembro de 2011

Não era você que sonhava em trabalhar com carro importado?

Peugeot. A marca do leão.

Nazi Grand Prix from 1930


Roda passageira


Durante a sessão de classificação para a etapa de Baltimore da American Le Mans Series, o piloto holandês Jeroen Bleekemolen tem problemas com a fixação da roda dianteira esquerda do seu Porsche e a perde numa área de escape.

Qual a providência tomada pelo piloto? A mais inusitada possível (ou não): ele desce do carro, busca a roda e a coloca dentro do carro, levando-a aos boxes, como se fosse uma passageira!

E o melhor de tudo é que ele conseguiu a pole position na categoria LMGTC, três décimos mais rápido que Leh Keen!

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Volkswagen Delivery Trucks. The right size for your needs.


Sua marca é útil?

Atualmente, a gente convive com a possibilidade infinita de escolher o que e como queremos consumir entre produtos e serviços

Percebe-se que o universo que nos ronda se torna mais complexo a cada dia, principalmente pelo motivo de haver inúmeros estímulos no qual somos, enquanto consumidores, expostos diariamente.

A complexidade se dá também pelo nosso perfil mais criterioso. Atualmente, a gente convive com a possibilidade infinita de escolher o que e como queremos consumir entre produtos e serviços. Infinitas marcas no PDV, infinitas mensagens publicitárias, infinitos formatos de publicidade e infinitas condições de preços. É um gigantesco leque de opções que, no final das contas, favorece bastante nós, consumidores.

Por conta dessa complexidade, as marcas que oferecem algo além da simples comunicação – aquela publicidade tradicional que apenas busca atrair a atenção para criar uma predisposição de compra – estão conseguindo melhores resultados.

Esse algo além pode ser muita coisa. Pode ser uma experiência, como também um serviço. Mas, seja qual for esse algo, ele deve vir acompanhado de alguma utilidade. Por que?

Vejamos o caso ilustrado pela imagem. Clique nela para visualizá-la em maior resolução.

Nele, em que a publicidade não só informa como também se coloca como útil para seu público, a marca de bebidas funcionais Vitamin Water (águas vitaminadas) deu a chance para as pessoas carregarem a bateria de seus dispositivos móveis e outros eletrônicos pessoais em peças de mídia exterior e OOH.

Além da experiência, podemos ver que existe uma grande coerência entre a marca, seu conceito e o serviço prestado. Ou seja, não adianta ser só diferente se o que a sua marca está oferecendo não consegue criar uma boa associação na cabeça do consumidor.

Esta entrega, muito mais baseada em uma atitude do que em uma mera filosofia, gera diferentes tipos de percepção sobre a marca. Percepções que constroem uma relação duradoura entre a marca e consumidor. E, no universo da complexidade, eficazes são esses estímulos que contenham relações reais, envolvimentos emocionais.

Marcas não podem oferecer aquilo que elas querem, mas o que os consumidores precisam.

proXXIma

2012 Lexus LFA