Kyle Petty: "o que eu teria feito diferente"

Neto do Lee, filho do Richard, pai do Adam, Kyle Petty faz parte da "realeza" da NASCAR. Parou de competir em 2008, mas continua na categoria, desta vez nos bastidores, trabalhando para angariar fãs. Ele concedeu entrevista à revista Car And Driver, onde fala sobre isso e toda sua carreira atrás do volante.
Kyle Petty
O que é mais difícil ao se transmitir uma corrida?

Ser honesto. Falar o que sente. Meu mundo inteiro estava dentro dessa cerca no campo, mais conhecido como garagem. Todos os outros pilotos, proprietários e membros da equipe? Conversamos abertamente. Se alguém fizesse algo estúpido, apenas dizíamos na garagem. Só que dizer isso na garagem e dizer isso em uma transmissão para milhões de pessoas são coisas inteiramente diferentes.

Transmitir uma corrida é tão recompensador quanto participar dela?

Nada é tão recompensador quanto pilotar. Quando você tem quatro, cinco, seis ou sete anos de idade, e decide que é o que você quer fazer, é por causa das corridas, não dos comerciais. Não é sobre ter um casarão ou um avião. Seu sonho é pilotar. Nada vai superar seu sonho.

Qual é o segredo de um grande rabo de cavalo?

Está no elástico.
Kyle Petty Ponytail
O senhor já se sentiu como se os fãs quisessem matá-lo?

Já senti que eles quisessem brigar comigo mas não me matar. Eu estava certo de que queriam lutar.

O campeonato está superestimado? Os fãs realmente só se preocupam com as corridas?

Nunca pensei nisso até 2016, quando Jimmie Johnson estava indo para a sétima vitória, e meu pai disse: "você sabe, em todos os anos que eu corri, houve apenas um ano que, quando chegou a isso, nós corremos por um campeonato". E isso foi em 1979, entre ele e Darrell Waltrip. "Todos os outros anos, apenas tentamos ganhar tantas corridas quanto pudéssemos. E se ganhássemos todas as corridas, ganhamos o campeonato". Então, na opinião dele, ganhar corridas foi o maior negócio. O campeonato foi um subproduto das corridas vencedoras. Agora é quase o contrário. As pessoas competem para ganhar campeonatos. Eu não acho que ele possa envolver sua cabeça em torno disso.

É esta uma razão por que a NASCAR está encolhendo agora?

Talvez seja parte disso, mas não há uma única resposta. Há talvez dez ou quinze respostas. Seria esta uma décima-quinta? Provavelmente diria que sim. Também há um motivo que as corridas possuem horas de duração e a capacidade de atenção dos "millenials" não é longa. Também passamos por um estágio onde o negócio cresceu e cresceu, e encontrou seu ápice novamente. Esta é a base que temos para construir. Há muitos fatores que fazem parte nisso.

Hoje é diferente para os jovens pilotos que na sua época?

Sim. E deixe-me dizer uma coisa: dou graças a Deus que era diferente. Quando eu comecei, era um mundo totalmente diferente que quando Richard Petty, David Pearson, Cale Yarborough e Benny Parsons estavam correndo. É um carro totalmente diferente, é um tempo totalmente diferente. As coisas sempre mudam.

O senhor tem um carro de corrida favorito?

Um carro nunca foi realmente um carro. Um carro, antes de tudo, era uma coleção de diferentes peças que foram montadas juntas. Nunca tive ligação emocional com alguma coisa mecânica como um carro.
Adam Petty
Seu filho Adam morreu enquanto treinava para a corrida de New Hampshire em 2000. Isso faz o senhor pensar em desistir de correr?

Não. E isto é do fundo do meu coração. Isto me leva de volta a Level Cross, North Carolina. A maioria das pessoas da comunidade na qual eu cresci, e não era nem uma cidade, apenas um estádio, um corpo de bombeiros voluntário e um posto de gasolina e todos conversavam um com o outro. Quando eu cresci lá, haviam fazendeiros de tabaco, laticínios, suínos e frango. Isso é tudo que alguém fez. Fui para a escola com crianças que se tornaram fazendeiras de terceira ou quarta geração. Acabamos de ter carros de corrida. Quando cresci, eu era um piloto de automóveis de terceira geração. Crescemos em volta de carros de corrida. E isso foi incrivelmente generoso para o meu avô, e uma ótima maneira de ele providenciar sua família. Meu pai veio e fez coisas que nenhum outro piloto já havia feito. Eu segui seus passos. Então veio Adam. E acidentes acontecem. Então, você olha para ele e pergunta: "o que fazemos agora"? E fizemos o que sempre fizemos. Assim como os agricultores locais. Quando vem um ano ruim e uma safra falha, ou algo trágico acontece na fazenda, você não para de cultivar. Simplesmente não paramos de correr. Isso mudou o negócio e mudou minha vida. A trajetória do que eu teria sido ou poderia ter sido e onde eu estava indo naquele momento. Adoro esse esporte, meu pai ama este esporte, e meu avô fez tudo. E ninguém teve um amor por isso como Adam tinha.

Há alguma coisa que o senhor teria feito diferente?

Todos os dias que eu tive na vida, exceto um, foram bons dias. Eu gostaria de mudar esse dia, mas eu ainda gostaria que tudo isso levasse para onde eu estou agora.

Ron Dennis: "o que eu teria feito diferente"
Ben Collins: "o que eu teria feito diferente"
Mario Andretti: "o que eu teria feito diferente"
Ari Vatanen: "o que eu teria feito diferente"
Jackie Stewart: "o que eu teria feito diferente"
Richard Hammond: "o que eu teria feito diferente"
Danica Patrick: "o que eu teria feito diferente"
Jim Hall: "o que eu teria feito diferente"
Hans-Joachim Stuck: "o que eu teria feito diferente"
Stirling Moss: "o que eu teria feito diferente"
Peter Brock: "o que eu teria feito diferente"
Don Panoz: "o que eu teria feito diferente"
Roger Penske: "o que eu teria feito diferente"
Adrian Reynard: "o que eu teria feito diferente"
Ron Howard: "o que eu teria feito diferente"
James Glickenhaus: "o que eu teria feito diferente"
Nick Mason: "o que eu teria feito diferente"
A. J. Foyt: "o que eu teria feito diferente"
Walter Röhrl: "o que eu teria feito diferente"
Kyle Petty: "o que eu teria feito diferente"
Giampaolo Dallara: "o que eu teria feito diferente"
Matt LeBlanc: "o que eu teria feito diferente"
Hermann Tilke: "o que eu teria feito diferente"

Nenhum comentário:

Postar um comentário