Ari Vatanen: "o que eu teria feito diferente"

Em entrevista à Car And Driver, o finlandês campeão do Mundial de Rali e tetracampeão do Paris-Dakar reflete sobre a carreira que o levou das corridas à política.

Suas primeiras experiências com carros foram negativas, para dizer o mínimo.

Meu pai morreu em um acidente de carro, em 16 de outubro de 1960, quando eu tinha oito anos. Ele estava dirigindo seu primeiro carro, um Borgward. Ele estava muito orgulhoso do veículo, e estávamos a caminho do funeral de um amigo de meus pais, a 30 quilômetros de Tuupovaara, Finlândia, onde morávamos. Depois, minha mãe percebeu que estávamos equivocados sobre o funeral, que tinha realmente acontecido no dia anterior.

Por que o senhor acha que haviam muitos pilotos de rali finlandeses?

Esta "Flying Finn"? Eu não sei. Eu sempre digo, meio de brincadeira, que, para ser um piloto de rali, você precisa de um pé direito pesado e uma cabeça iluminada. Os finlandeses são pessoas muito teimosas. Você sabe, Stalin pensava que levaria a Finlândia em algumas semanas, em 1939, mas ele tentou por anos e nunca conseguiu. Teimosia funciona muito bem nos ralis, mesmo se as coisas dão errado ou você perde tempo, você não desista.

Um nome que esteve presente em seu início de carreira é David Richards, seu co-piloto e fundador da Prodrive. Estavam lá todos os indícios de seu espírito empreendedor?

Com certeza, muitos. David sempre foi muito ambicioso, e estava sempre à procura de novas oportunidades. Eu comprei alguns bons casacos de rali finlandeses, os têxteis adequados, porque as jaquetas da equipe eram daquelas terríveis sintéticas. A próxima coisa que vi foi que Davi importou-as para o Reino Unido!

O senhor quase morreu em seu Peugeot 205 T16 Grupo B no Rali da Argentina, em 1985. Aquela era foi maluca, certo?

Por quais definições era insana? Ele saiu do controle porque os carros eram tão propensos a pegar fogo. Os acidentes eram muito feios por causa disso. Sim, para as estradas públicas, os carros tornaram-se muito rápidos, mas o homem pode lidar com coisas incríveis, e para descobrir onde o limite é, você tem que ir muito longe e depois voltar. Isso é o que é o mundo.

O senhor levou 18 meses para se recuperar, e quebrou o recorde de Pikes Peak. O senhor não aliviou...

Ser o mais rápido na qualificação trouxe lágrimas aos meus olhos, era o momento em que eu tinha certeza que o acidente não tinha me incapacitado permanentemente. O Peugeot 405 T16 foi o melhor carro no final-de-estrada, pesava cerca de 907 kg, e ao nível do mar, tinha 600 CV. Você só faz isso uma vez. Quando você chegar ao topo, é isto. A próxima vez, é um ano depois.

O senhor ganhou o Paris-Dakar quatro vezes. Como isso se compara com um rali "normal"?

Eu realmente acho que ganhei quatro vezes e meia, pois, em 1988, o meu 405 foi roubado em Bamako, quando eu estava liderando por mais de duas horas. Dakar foi uma experiência fantástica. Eu aprendi muito sobre a humanidade nesses eventos, e percebi que o homem continua sendo muito pequeno.

Vamos falar sobre sua carreira política. Dois mandatos no Parlamento Europeu foram uma coisa que o senhor tinha planejado?

Eu sempre tive o que você chamaria de um interesse latente. Estou interessado no que acontece ao meu redor, e eu não posso passar com meus olhos fechados, como se nada tivesse acontecido, se eu vir algo de errado. Antes do final da minha carreira, em meados dos anos 1990, eu sabia que iria me candidatar às eleições, e eu sempre soube que seria para o Parlamento Europeu. Eu sou um finlandês muito orgulhoso, mas não um nacionalista. Eu sou patriota, e meu conceito de mundo é de um sem fronteiras.

A sua experiência política o preparou para concorrer contra Max Mosley à presidência da FIA?

Você não vai para esse tipo de disputa a menos que você seja um candidato legítimo, mas você tem que ter apoio. Havia muitas pessoas que achavam que a FIA precisava se tornar mais democrática, mais transparente, e foi por isso que eu concorri. Claro, depois que eu havia declarado minha candidatura, Max Mosley anunciou que iria se retirar e que queria que Jean Todt assumisse seu lugar. Então, a FIA colocou todo o seu peso por trás dele. Talvez Jean teria vencido de qualquer forma, mas haviam muitos poucos membros verdadeiramente independentes, que poderiam votar livremente. Mas, sem exceção, todos os grandes clubes estavam comigo. A América foi minha maior aliada, graças a Bob Darbelnet, seu presidente.

Agora o senhor tem sua fazenda no sul da França. Ainda pilota para se divertir?

Recebo convites para fazer comícios e eventos históricos, mas eu sempre digo, "Eu sou velho, mas ainda sou rápido demais para esses carros antigos." É como se alguém tivesse tirado o seu MacBook e lhe dado um Commodore 64 em troca.

Então, o que o senhor teria feito diferente?

Eu não teria feito. Isso não é vida real. Na vida real, não há tentativas, todos os erros fazem parte da trajetória. Bem, talvez eu deveria ter freado um pouco mais cedo algumas vezes!

Ron Dennis: "o que eu teria feito diferente"
Ben Collins: "o que eu teria feito diferente"
Mario Andretti: "o que eu teria feito diferente"
Ari Vatanen: "o que eu teria feito diferente"
Jackie Stewart: "o que eu teria feito diferente"
Richard Hammond: "o que eu teria feito diferente"
Danica Patrick: "o que eu teria feito diferente"
Jim Hall: "o que eu teria feito diferente"
Hans-Joachim Stuck: "o que eu teria feito diferente"
Stirling Moss: "o que eu teria feito diferente"
Peter Brock: "o que eu teria feito diferente"
Don Panoz: "o que eu teria feito diferente"
Roger Penske: "o que eu teria feito diferente"
Adrian Reynard: "o que eu teria feito diferente"
Ron Howard: "o que eu teria feito diferente"
James Glickenhaus: "o que eu teria feito diferente"
Nick Mason: "o que eu teria feito diferente"
A. J. Foyt: "o que eu teria feito diferente"
Walter Röhrl: "o que eu teria feito diferente"
Kyle Petty: "o que eu teria feito diferente"
Giampaolo Dallara: "o que eu teria feito diferente"
Matt LeBlanc: "o que eu teria feito diferente"
Hermann Tilke: "o que eu teria feito diferente"

Nenhum comentário:

Postar um comentário