domingo, 29 de janeiro de 2017

2017 Rolex 24 At Daytona Highlights


Scott Pruett Crashes




Jeff Gordon Contact




Matt McMurry and John Falb Crash




James Dayson hits the wall and cuts down a tire after contact with Eric Curren




Brendon Hartley Crashes




Cooper MacNeil Crashes




Chris Cumming Crashes




David Cheng Failure




Scott Sharp Hits a Billboard




Finish! Ricky Taylor from Wayne Taylor Racing wins!


sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Economy seems to be the fad right now. Every car, dead or alive, talks it. Here's why we really mean it. In a Renault Dauphine you can drive anywhere for less.

red Dauphines get forty miles per gallon
mauve Dauphines get forty miles per gallon !Ni 
white Dauphines get forty miles per gallon 
blue Dauphines get forty miles per gallon
grey Dauphines get forty miles per gallon
green Dauphines get forty miles per gallon
black Dauphines get forty miles per gallon 
even sun-roof Dauphines get forty miles per gallon 
Economy seems to be the fad right now. Every car, dead or alive, talks it. Here's why we really mean it. / In a Dauphine you can drive anywhere for less; you actually get from 5 to 10 miles more on every gallon than with most other imports. (1960 Mobil Mileage Rally proof: 48.9 mpg!) / The Dauphine's ruggedness has been proved in over 5 years of owner-driving over some of the most gruelling runs in the world—including the U. S. Mothers' Daily Suburban Endurance Run. / Biggest dollar saver, of course, is the price. $1585* includes all the extras others charge for: deluxe heater, windshield washers, defroster. (The retail value of the Dauphine's free extras comes close to $150!) / No matter what other car you now own: we bet you can't drive to our nearest showroom as cheaply as our nearest dealer can drive to your house in RENAULT a Dauphine. Call him and try it soon. IDaup1MinG. YOU OET JUST
•Suuested pr., P. O. E. East Coast Renault, Inc., 750 Third Avenue, New York 17, N. Y.

Goleiro defende pênalti, zagueiro vai abraçá-lo e provoca gol contra bizarro


Em partida válida pela Segunda Divisão do Campeonato Turco Sub-21, o goleiro do Büyükşehir Gaziantepspor defendeu um pênalti. Empolgado, o zagueiro Yunus Yilmaz foi parabenizar o goleiro com um abraço, mas prensou a bola entre eles, rolou por baixo e acabou pateticamente entrando no gol.

Nunca a expressão "a vida imita a arte" fez tanto sentido: é que o lance é muito parecido com uma cena presente no filme "Os Trapalhões e o Rei do Futebol". Pelé era o goleiro e defendeu um pênalti. Didi, jogador de linha, pegou a bola com as mãos e o juiz marcou nova penalidade máxima.

Só que, no cinema, o destino sempre reserva surpresas. O jogador bate o pênalti para fora. Pelé cobra o tiro de meta e marca um gol inacreditável. Veja a cena.

sábado, 14 de janeiro de 2017

Jayme Copstein (07/01/1928 - 13/01/2017)

Jayme Copstein
Natural da cidade de Rio Grande, Copstein atuou nos principais jornais e emissoras de rádio do Rio Grande do Sul. Em 1945, aos 17 anos, fixou residência em Porto Alegre, e passou a trabalhar na Rádio Farroupilha, na qual ficou até 1949.

A família, no entanto, não o apoiava. Sob pressão, teve de fazer um curso universitário. Optou pela Odontologia. Recém formado, passou a atuar em Rio Grande e, durante dez anos, trabalhou como dentista e jornalista simultaneamente.

Cerca de um ano depois, em 1950, viu o nascimento da Rádio Minuano, em Rio Grande, da qual foi o primeiro diretor artístico. Durante dez anos, se dividiu entre Rio Grande e a paixão pelas rádios, incluindo a Rádio Cultura Riograndina, na qual fazia radio-teatro, e o consultório odontológico. Em 1960, retornou à Capital Gaúcha e à Rádio Farroupilha, onde ficou até o início de 1968.

Em março de 1968, o Correio do Povo contratou Copstein como freelancer. Um mês depois, o efetivou. O jornalista trabalhou na empresa até junho de 1984. Além de repórter, exerceu os cargos de editor e de assessor da direção. No jornal, teve o poeta Mario Quintana como colega. Idealizou cadernos especiais, com capas coloridas, um marco para a época. Também editou o clássico caderno "Letras e Livros".
Madrugada às claras, na Rádio Gaúcha. A fonte da informação também ganhou a madrugada. Diariamente, você vai repassar os melhores momentos da programação diária da Rádio Gaúcha. A notícia interpretada e complementada, os últimos acontecimentos, a música, a utilidade pública, variedades e as primeiras informações do dia. Um jeito novo de curtir a noite. Gaúcha Na Madrugada: diariamente, da meia-noite às três da manhã. Produção e apresentação: Jayme Copstein. Rádio Gaúcha. A fonte da informação. 600 KHz Porto Alegre RBS.
Após sair do jornal, em 1985, Jayme voltou para o rádio. Desta vez, assumiria um programa no horário da meia-noite às 3h na Rádio Gaúcha. O Gaúcha na Madrugada foi ao ar em 4 de fevereiro de 1985. Em uma época em que não existia internet, a interatividade se dava através de ligações telefônicas. A trilha sonora foi escolhida pelo músico Wladimir Lattuada, o operador era Glademir Menezes e a arquitetura do programa ficou a cargo de Délcio de Souza. A atração, que contava com a participação dos ouvintes, durou 19 anos.

O crescimento da audiência fez com que fosse preciso encontrar uma alternativa para ouvintes que criavam situações constrangedoras. O jornalista, então, adotou o grasnar de um pato para usar quando alguém dizia algo inconveniente no ar.

Em 1995, com a formação da Rede Gaúcha Sat, o programa tornou-se nacional e passou a se chamar Brasil na Madrugada. No mesmo ano, Jayme recebeu a Medalha de Prata no Festival Internacional de Rádio de Nova York, na categoria Melhor História de Interesse Humano, com o trabalho "Memórias de um Menino de Rua", narrando a trajetória do economista Carlos Nelson dos Reis.

Em 2004, deixou o comando do programa, tornando-se comentarista da Rádio Gaúcha até 2007. Depois disso, apresentou o programa "Paredão", na Rádio Pampa e foi colunista do Jornal "O Sul". Copstein trabalhou ainda na Band AM, Jornal do Comércio, Diário de Notícias e foi colunista do site Coletiva.net. Recentemente, tinha um blog, em que publicou o último post em 28 de setembro de 2016.

Como escritor, Jayme teve três livros publicados: "Notas Curiosas da Espécie Humana" (2001), "A Mosca e o Elefante" (2006) e "Ópera dos Vivos" (2008).

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Robert Marchand, de 105 anos, estabelece novo recorde de ciclismo criado especialmente para ele

Robert Marchand's 105+ years old 22,547 km distance record
O ciclista francês Robert Marchand, que tem 105 anos de idade, quebrou mais um recorde no ciclismo. Isto mesmo, mais um recorde! Em 2012, Robert já tinha quebrado o recorde para ciclistas com mais de 100 anos, com a distância de 26,927 km.

Em 2017, a missão de Robert, quando chegou ao velódromo de Saint-Quentin-en-Yvelines, próximo a Paris, era superar o recorde de distância percorrida em uma hora para ciclistas com mais de 105 anos, criada pela Union Cycliste Internationale (UCI) especialmente para Marchand. Ao final dos 60 minutos, completou 22,547 km de pedalada e estabeleceu a nova marca.

Após a prova, durante entrevista, disse que não se sentia cansado e que promete continuar treinando para tentar superar novas marcas. "Tudo correu bem. Não passei mal por culpa das pernas, mas sim pelos braços, porque tenho reumatismo", afirma Robert.

Mesmo com tudo isto em conta, ele ainda teve do que reclamar. Robert não percebeu que havia entrado no último minuto da hora, senão teria realizado um sprint, para tentar completar uma distância maior.

105-year-old cyclist Robert Marchand attempts to break his own world record for most kilometers in one hour

Publicado por TIME em Quarta, 4 de janeiro de 2017
O jornal francês Le Parisien noticiou que Marchand faz, diariamente, uma hora de alongamento, treina mais 60 minutos em sua bicicleta ergométrica e depois passa o dia lendo, segundo ele, para manter o cérebro ativo.

Antigo militante comunista, ex-bombeiro e campeão francês de ginástica, chegou a estar preso durante a Segunda Guerra Mundial, por ter se recusado a dar aulas de esporte aos filhos dos colaboradores da Alemanha nazista.

The 1983 Renault Fuego invites you to enter the turbo zone.


Marco Perucca Orfei drives 2017 Abarth 124 Rally