A asa dianteira flexível da Red Bull Racing


A FIA estreitou ainda mais os limites de flexibilidade dos aerofólios dos carros de Fórmula 1 da temporada 2012, mas imagens que circulam intensamente na internet mostram que Adrian Newey encontrou uma brecha no regulamento demonstrou mais uma vez sua capacidade de interpretação das regras da categoria.

Acontece que os tais testes de flexibilidade são feitos com o carro parado, aplicando-se peso sobre seus aparatos aerodinâmicos. O segredo da maior velocidade do RB8 pode estar quando o carro está em alta velocidade, seu maior propósito. Teoricamente, não são as asas dianteiras que são flexíveis, e sim a parte que vai do bico do carro até o ponto de fixação na carroceria.
Red Bull Racing RB8 Flexbile Wing - Mark Webber negotiating a turn in Yas Marina Circuit, Abu Dhabi
Desta forma, com o aumento de velocidade, e consequente acréscimo de arrasto aerodinâmico, o bico sofre uma flexão, com isso, o ângulo de ataque da asa dianteira é alterado, permitindo maior downforce.

Não há nada no atual regulamento que impeça que essa parte do atual RB8 seja móvel, portanto, ainda não pode ser considerada ilegal. No entanto, este conceito de objetos flexíveis não é inovador, pelo menos no setor automotivo. O spoiler dianteiro da Ferrari 458 Italia altera seu ângulo de ataque em alta velocidade, permitindo maior fluxo de ar para outras partes da parte dianteira do veículo, aumentando assim a carga aerodinâmica, dessa forma, é possível negociar curvas em maior velocidade sem perda de aderência.

Como Adrian Newey fez o novo bico do Red Bull Racing RB8? Isto ainda é um grande mistério. Como esta flexibilidade é controlada? Atualmente, engenheiros obtiveram avanço na construção de partes estruturais com fibra de carbono e polímeros, de forma que possam ser flexíveis com a intensidade e da maneira que quiserem.
Red Bull Racing RB8 Flexbile Wing - Mechanic removing the front wing in a pit stop

Nenhum comentário:

Postar um comentário