Cientistas conseguem ouvir gravações de Graham Bell feitas em 1880


Alexander Graham Bell, além de inventar o telefone, também fez alguns testes de gravação de áudio em discos de cera, por volta de 1880. Esses cilindros estavam guardados em Washington, EUA, há mais de um século, e, até então, eram obsoletos e inaudíveis. Mas, com uma nova tecnologia, cientistas conseguiram recuperar essas gravações e reproduzi-las. São mais de 200 trechos de áudio do inventor.

Usando luz e câmeras 3D, a equipe conseguiu captar as ranhuras e criar um mapa em alta resolução do cilindro. Assim, usando uma nova tecnologia, que custou 1 milhão de dólares à Livraria do Congresso dos EUA, cientistas, curadores e jornalistas puderam ouvir a voz do inventor.

Para a curadora do Museu Nacional de História Americana, Carlene Stephens, as gravações "fazem os pelos na nuca se arrepiarem". Ela diz que "é o passado falando diretamente para nós de uma forma nunca antes ouvida", segundo o site da NBC. A curadora explica que as gravações ficaram em uma armário durante décadas, sendo virtualmente desconhecidas e silenciadas.

Entre as gravações, os cientistas puderam ouvir o famoso "ser ou não ser..." e diversos pedaços de Hamlet, obra de William Shakespeare. Em outro trecho, puderam ouvir uma contagem de um até seis, e até o que parece ser o som de desapontamento de Bell sobre alguma falha técnica do aparelho: "Mary tinha uma ovelha que era branca como a neve. Em qualquer lugar que Mary ia... ah não!".

Nenhum comentário:

Postar um comentário