A culpa é da plebe?

Engraçado usar somente os iPods como referência na hora de se falar em tocadores de MP3. O que grande maioria das pessoas quer mesmo é convergência, por isso os celulares com MP3 são tão procurados atualmente. Enquanto a Apple levou 5 anos para vender 100 milhões de iPods, a Nokia vendeu, somente no ano passado, 80 milhões de celulares com MP3.

Não sei se o iPod vai morrer em prol do iPhone. Mais do que beleza e interface amigável, o que atrai mesmo no telefone-tocador da Apple é a convergência. Mas continua elitista. Não são somente as classes mais privilegiadas, com computador próprio e banda larga em casa, que querem celulares musicais.

No mundo do MP3, derruba-se em definitivo o conceito que pirataria está ligada às classes mais baixas. Enquanto jovens mais abastados podem baixar toneladas de músicas pela conexão rápida de suas casas (muitas vezes por redes P2P, sem pagar nada por elas), os jovens de classes C e D baixam bem menos músicas, mas pagam pela maioria delas, através dos serviços disponíveis pelas operadoras nos próprios aparelhos.

É fácil constatar o porquê: segundo a TNS, hoje no Brasil temos 26 milhões de celulares com MP3 e acesso à web. Porém, o número de PCs com banda larga gira em torno de apenas 9 milhões. E 40% desses celulares musicalmente conectados pertencem às classes C e D, que, por sua vez, são quase em sua totalidade pré-pagos.

Para resumir: quem mais compra música digital hoje são os jovens das classes C e D, através dos celulares, pelas redes de suas operadoras. Muitos não têm banda larga (às vezes, nem mesmo PC) em casa. E como não é preciso ter cartão de crédito para tal, o acesso fica ainda mais fácil - com uma recarga de R$ 30, dá para comprar mais de 50 músicas.

Os celulares que já vêm com músicas também vendem muito. A primeira iniciativa foi com a Sony Ericsson, há 2 anos, com o primeiro celular que vinha com um álbum completo da Ivete Sangalo, o W200, em exclusividade pela Vivo. Vendeu horrores. Logo depois, outras operadoras e fabricantes passaram a fazer o mesmo. O modelo que vinha com um álbum do Skank e mais 2 faixas extras exclusivas para o celular também fez história. Pelo ranking das operadoras, nota-se que os campeões de download são artistas populares, como Ivete Sangalo, McCréu, Fergie, Exaltasamba e Victor e Leo. A onipresente Ivete vende qualquer coisa, no mundo real e no mundo virtual. Mas só ela conseguiu a proeza de bater os 50.000 downloads da música "Berimbau Metalizado", responsável pelo 1º "disco de ouro digital" da América Latina.

Se a indústria fonográfica quiser se salvar, precisará prestar mais atenção nesse fenômeno de consumo vindo das classes mais baixas. Mas é bom que saibam que os mais abonados também querem pagar pela música que consomem. Há anos, pelo menos meia dúzia de pessoas vêm semanalmente me perguntar como criar conta na iTunes store. Mas acabam recorrendo a formas "alternativas" por falta de opções tão descomplicadas quanto a dupla iPod + iTunes. Ou quanto o MP3 baixado em celulares...

Fonte: iMasters

Talvez você também queira ver...

Postar um comentário