Veja o 1968 Howmet TX, carro de corrida com motor de helicóptero, despejar toda a sua potência no Autódromo de Monza

180mph on board jet-engined racing car | incredible sound Video Thumbnail
O Howmet TX (Turbine eXperimental) é um protótipo criado em 1968 pelo piloto Ray Heppenstall, para testar uma turbina a gás projetada para o uso aéreo em uma competição automobilística.

O chassis do carro foi produzido pela McKee Engineering. Já a turbina aérea foi emprestada pela Continental Aviation & Engineering, e o financiamento do projeto foi dado pela Howmet Corporation.

Embora não tenha sido a primeira tentativa de usar um motor aéreo em um carro de corrida, o Howmet TX foi o primeiro e até hoje é o único a vencer uma corrida, e conquistou um total de duas vitórias em corridas da Sports Car Club of America (SCCA) e dois primeiros lugares em provas de qualificação, tudo isto no único ano no qual disputou onze corridas.

Mais tarde, quando as turbinas aéreas foram banidas das competições de automobilismo, o Howmet TX foi adaptado para testes de velocidade, e registrou seis recordes, oficializados pela Fédération Internationale de l'Automobile (FIA), e registrados em uma estrada próxima ao Talladega Superspeedway.

Recordes de Velocidade da FIA
ClassePercursoTempo (seg)Velocidade
km/hMPH
Classe 2 (entre 500 e 1.000 kg)Quarto de milha, partindo da inércia11,83122,4176.06
Meio quilômetro, partindo da inércia13,48133,5382.97
Quilômetro completo, partindo da inércia21,18167,97104.37
Classe 3 (acima de 1.000 kg)Quarto de milha, partindo da inércia13,87104,4164.88
Meio quilômetro, partindo da inércia15,74114,3571.05
Quilômetro completo, partindo da inércia23,92150,5093.52

Há alguns detalhes interessantíssimos do projeto. A transmissão, de apenas uma marcha à frente, que aproveita todo o torque da turbina Continental TS325-1, que possui 2.960 cm³ de cilindrada. Para que o veículo possa andar para trás com suas próprias forças, é preciso acionar um motor elétrico.

No habitáculo, o painel do carro recebeu toda a instrumentação necessária para monitorar o funcionamento da turbina a gás. O ruído produzido pelo motor também é diferente: é mais alto nos momentos de frenagem que nos de aceleração.

Acompanhe de dentro do cockpit a condução de Xavier Micheron ao longo das grandes retas e sinuosos esses do circuito durante o Monza Historic 2019.

Nenhum comentário:

Postar um comentário