Acabou a "modinha" das redes sociais?

Espero que sim! E antes que alguém fale mal do artigo ou título, é preciso deixar claro que eu defendo as redes sociais com "unhas e dentes"; mas também defendo que marketing digital não é apenas Facebook ou Twitter.

É preciso pensar além disso, afinal, a Internet não é movida apenas por redes sociais. Temos que analisar que, dentro de um projeto de presença digital, as redes sociais são um dos pilares a serem usados e esse não é nem mais e nem menos importante do que e-mail marketing, Google, banner na home de um portal ou mobile.

Enquanto comemoramos que o Facebook passou da barreira dos 60 milhões de usuários, estamos comemorando que há mais de 145 milhões de usuários de celulares no Brasil, o que representa 280 milhões de linhas habilitadas.

Hoje, mais de 95% dos 90 milhões de pessoas que usam a web, acessam ao Google, site mais visitado no mundo, e não é diferente no Brasil. Mais de 80 milhões de pessoas no Brasil acessam blogs pelo menos uma vez e quase 60 milhões transitam nas homes dos principais portais diariamente.

Bom, esses números deixam bem claro que a rede social é importantíssima, mas não é tudo. E aí vem o motivo do artigo: será que acabou a modinha das redes sociais? A modinha que eu digo é quando chegamos em um cliente com um projeto digital e ouvimos que eles precisam estar nas redes sociais. Primeiro: precisam para quê?

Se você tem um site ruim, você terá uma rede pior ainda. É fato! Se a marca não dá valor ao site, por que vai dar à rede, que precisa de conteúdo quase que diário? Se a presença da marca no Google é fraca, por que investir em redes? Sinceramente, as redes sociais não vão ser a salvação do seu negócio.

O Google também não, mas o potencial de ajudar é muito maior. Redes sociais não são vendas; são relacionamentos duradouros. Repito, se o seu site está jogado às traças, ter uma fanage é jogar dinheiro fora, porque em pouco tempo perde-se o fator "empolgação" por ter uma fanpage e acabam deixando-a de lado.

A dica é: arrume a casa antes de entrar nas redes. O Facebook fatalmente vai gerar audiência para o seu site, afinal, o site é o "porto seguro" do usuário, que quando interessado busca mais informações ali.

Se ele se empolga com a marca, entra no site, mas não vê nada, você perdeu esse usuário. Se ele opta em buscar o serviço que você oferece no Google e você não está lá, perdeu o usuário. Se ele deseja receber newsletter e você não manda, perdeu o usuário. Se ele lê blog e você não tem, perdeu o usuário.

E você ainda está na onda de "vamos para as redes sociais"? Arrume a casa, tenha um objetivo claro de negócios nas redes e entenda que mais do que vendas, o Facebook (para manter apenas o exemplo da maior rede) é relacionamento pura e simplesmente.

Esse relacionamento pode gerar engajamento e vendas, mas sem um conteúdo consistente, relevante e inovador, sem usar outras mídias, a sua estratégia pode ir por água abaixo.

Felipe Morais
iMasters

Nenhum comentário:

Postar um comentário