Social Media não é Big Mac

Que Redes Sociais têm sido o discurso da vez em rodas de executivos antenados não é novidade. A grande questão agora é fazer esse assunto sair da roda de discussão.

Criar um perfil no Twiter ou no Facebook não é entrar nas Redes Sociais. Antes disso, as empresas precisam responder uma pergunta muito básica: "onde é que eu quero chegar?".

Já que o cinema nos fez lembrar da fábula da Alice, vale o conselho do Gato de Cheshire "Se você não sabe onde quer chegar, não faz diferença por qual caminho você vá". Pode ser Twitter, Facebook, Orkut, Foursquare, Fóruns, Hotsites ou até mesmo offline; sem um objetivo, um destino, não existe caminho certo ou errado, só que normalmente dá errado!

Se já não é fácil dar esse passo dentro da empresa (normalmente os departamentos estão entrincheirados nas atividades operacionais e tudo que é "novo" fica para a próxima reunião), imagine colocar um plano de ação em prática.

É aí que toda cautela é pouca! No mundo dinâmico em que vivemos, é óbvio que tem muita gente querendo explorar os "oceanos azuis", e a aplicação de Redes Sociais em benefício das empresas é um deles. E também é óbvio que existirá todo tipo de profissional se atirando nesse oceano (sabendo ou não nadar).

Esteja alerta!

Um jeito "fácil" de vender um produto é colocá-lo numa embalagem atraente e praticar um preço convidativo.

Para quem compra, no entanto, a escolha depende de como o comprador olha para a própria empresa (e se ele quer que ela chegue a algum lugar).

Se você vê a sua empresa como aquela pessoa chata do setor que faz aniversário hoje, então qualquer "lembrancinha" resolve. Bem embrulhadinha e com um precinho camarada, cumpre a "obrigação" do presente.

Isso acontece quando um Diretor "pede" uma iniciativa em Redes Sociais e o seu subordinado precisa apresentar "alguma coisa". É provável, nesse tipo de empresa, que daqui a 6 meses a "moda" será outra e que os investimentos em Redes Sociais acabem indo pelo ralo, sem trazer nada de efetivo para a empresa, a não ser a continuidade daquele Diretor e de seu subordinado nos respectivos cargos.

Esse é o mercado para alguns "profissionais" que venderão "uma conta no Twitter", "um perfil para a empresa no Facebook" e outros "projetos" do gênero. Poderão criar até mesmo alguns Combos: Compre 2 contas no Twitter e um perfil no Facebook e leve uma landing page grátis

Mas eu acredito! Quero algo com resultados, e duradouros!

Se você pensou assim, fico feliz por sua empresa. E, claro, o primeiro passo como diria o Gato é definir os seus objetivos. Parece fácil e até mesmo óbvio, mas não é sempre tão simples assim!

O ideal é que você já tenha se familiarizado com as principais plataformas e discutido os principais conceitos de Redes Sociais, para então cruzar toda essa informação com o negócio da sua empresa e criar um projeto de verdade, com início, meio, mas acima de tudo, um fim bem definido! Talvez você precise de ajuda profissional já nessa etapa.

E agora, qual o caminho?

Essa é a hora em que você mais sente saudade do Gato - você vai ter que definir sua estratégia, e esqueça a hipótese de terceirizar isso. Auxílio profissional pode ser muito bem-vindo, mas você terá que estar de corpo e alma nessas reuniões. Ou você realmente acha que um consultor externo ou uma agência conhecem mesmo o seu negócio, melhor do que você? (se você realmente acredita nisso, é hora de começar a se preocupar!)

Apesar de essa fase ser aquela de maior ansiedade (porque ainda está difícil ter certeza de que o lugar que você definiu como objetivo é o lugar certo), é também a parte mais interessante do processo, porque é onde dá para colocar a criatividade em ação.

Você vai avaliar se já possui uma comunidade, se deve formar uma, se deve utilizar ambientes já existentes, se deve contratar celebridades para se tornar popular, se deve focar em algum público específico etc.

É verdade que isso exige conhecimento da dinâmica das redes sociais (que um especialista pode oferecer), mas também exige um enorme conhecimento do seu mercado, dos seus produtos e dos seus objetivos como empresa. Viu como você é importante naquelas reuniões?

E você já combinou com os russos?

Essa é do Garrincha, em 58, quando o técnico Feola o orientou a pegar a bola, driblar os 2 zagueiros russos, ir à linha de fundo e cruzar para o Vavá marcar (não, eu não era nascido, achei isso na Internet).

Só que, no nosso caso, todo mundo é russo! Depois de tanto trabalho para definir claramente um objetivo e bolar uma estratégia detalhada para atingi-lo, como ter certeza de que dará tudo certo?

Pois bem, você não tem. Mas assim como o Garrincha, você tem talento (senão você já teria parado de ler na parte do presentinho para a chata do departamento).

Se o primeiro zagueiro não deixasse o Garrincha dribá-lo, ele teria o talento para improvisar, tentar de novo e voltar para o plano original.

No seu caso, a situação é um pouco mais complexa, mas nada que um pouco de técnica não resolva. A palavra-chave aqui é monitoramento. Você tem que ter mecanismos para "tirar o pulso" das Redes, tanto antes de começar seu projeto como durante a execução da sua estratégia.

Hoje existem ferramentas bastante avançadas (e específicas) para lhe garantir o conforto de um "GPS". Sem isso, como você vai saber se está no caminho certo? (lembre-se, agora que você já tem um objetivo, o Gato diria que o caminho faz diferença, sim!).

Com uma monitoração adequada, mesmo errando o caminho, o mundo não está perdido. Quanto melhor seu monitoramento, mais rapidamente você perceberá que está saindo do caminho e mais rapidamente corrigirá sua rota (usando, é claro, todo seu talento!).

Quer dizer que dá trabalho?

Cá entre nós, você acredita mesmo que tem boi gordo que pesa pouco?

Claro que dá trabalho, e claro que não se "compra Redes Sociais" como se compra sanduíche. É um projeto como outro qualquer, e que obviamente exigirá estudo, empenho, dedicação, paixão.

Por isso é importante ter uma equipe que gosta do que faz. Se as pessoas acreditam no que estão fazendo, mesmo sendo algo complexo, elas não considerarão aquilo um "trabalho pesado". Será uma realização pessoal que, acredite, pode trazer muitos resultados positivos para a sua empresa.

E nisso, você acredita?

iMasters

Talvez você também queira ver...

Postar um comentário