Sueco leva multa de 1 milhão de dólares por dirigir a quase 300 Km/h




Na Suiça, rodovia A12, entre Bern e Lausanne, a polícia local deteu um homem de 37 anos que estava guiando um Mercedes-Benz SLS AMG próximo aos 300 km/h. "Precisamos de quase um quilômetro para pará-lo", disse o policial Benoît Dumas. O motorista alegou que o velocímetro estava quebrado.

Seu SLS foi pego em vários radares medidores de velocidade, sendo que alguns eram antigos e não conseguem registrar fotografias de veículos que estiverem a mais de 200 Km/h. Quando o motorista passou por um radar moderno, foi registrada a velocidade excessiva de 290 Km/h, e a polícia foi imediatamente avisada, e uma viatura foi acionada para deter o veículo.

O motorista foi preso e solto logo em seguida, com uma multa de 1.001.400 dólares, o que é aproximadamente 300 dias de pagamentos de infrações. "Não temos registro de alguém ter dirigido tão rápido em rodovias suiças", disse o porta-voz da polícia do país.

A Suiça, assim como a Finlândia, possui um código que não prevê valores fixos para multas, elas são calculadas de acordo com a velocidade na qual o motorista trafegava e a atitude do mesmo, além do local onde a infração foi cometida. Por exemplo, um motorista dirigindo a 75 Km/h em um trecho cuja velocidade máxima é 50 Km/h pode receber uma multa de até 103.600 dólares.

Autoridades suiças reiteraram que há um mito na Escandinávia que, em todos os países cujo idioma oficial é o alemão, incluindo a Suiça e a Áustria, não há limite de velocidade nas chamadas "Autobahns", o que não é verdade. É certo que há alguns trechos nas rodovias da Alemanha em que não há imposição de velocidade máxima, mas, nos outros locais, é preciso respeitar o limite descrito nas placas ou outros tipos de sinalização.

Será que o sujeito terá que vender o carro para pagar a multa?

Nenhum comentário:

Postar um comentário