A resposta a Boris Casoy, em forma de rap

Vou dizer a verdade: tinha profunda admiração pelo trabalho de Boris Casoy, mas até ele cometer essa barbárie com pessoas que não estão fazendo nada menos que um trabalho digno.



Poderiam estar matando, roubando, enganando as pessoas, tirando proveito alheio, mas estão trabalhando, de garis, e daí?

Inclusive, muitos letrados, doutores, médicos, advogados, pessoas graduadas, que não possuem trabalho na área na qual se especializaram durante anos a fio, estão prestando concurso público para serem garis, já que não exigem muita escolaridade, são remunerados pela CLT, enfim, possuem todas as garantias e direitos que a profissão de advogado, médico, engenheiro, na qual eles não conseguiram emprego.

Queria só ver se os garis deixassem de recolher o lixo desse pária chamado Boris Casoy, para ver o que aconteceria. No final, ele mesmo teria que fazer o trabalho que os mesmos que ele denominou como "lixeiros" fazem com a dignidade que a maçica maioria de nossos representantes não possui.



Infelizmente, este é o país do futebol, do carnaval (dentro e fora de época), do turismo sexual de crianças e adolescentes, que, numa analogia do pão e do circo, vive de cerveja e futebol. E cada país tem o vereador, o prefeito, o deputado, o governador, o senador e o presidente que merece.

E o brasileiro ainda tem a capacidade de falar mal do argentino, mas, pelo menos, os hermanos, quando estão insatisfeitos com alguma coisa, juntam-se todos, classe alta com classe baixa, branco com negro, jovem e idoso, e promovem até panelaços para reinvidicarem o que querem.

Talvez você também queira ver...

Postar um comentário