iRacing: finalmente, consegui testar




Fiquei sabendo, através deste link, da promoção que o iRacing.com está oferecendo para aqueles que não conhecem o simulador e querem apenas testar antes de resolver se fazem uma assinatura ou não.

Enfim, consegui matar minha curiosidade a respeito do iRacing, que foi criado por Dave Kaemmer, co-fundador da famosa Papyrus, desenvolvedora dos premiados NASCAR Racing 2003 e Grand Prix Legends, e John Henry, dono do time Boston Red Sox e do Fenway Sports Group e, acima de tudo, um aficionado por simulação automobilística.

Por cinco dólares, pode-se testar por um mês, com opção de renovação automática. Os carros e pistas são as mesmas da assinatura básica.

Cars
Pontiac Solstice
Legends Ford '34 Coupé
SCCA Spec Racer Ford

Tracks
Lanier National Speedway
Lime Rock Park
Oxford Plains Speedway
Summit Point Raceway
South Boston Speedway
Lowe's Motor Speedway
Mazda Raceway Laguna Seca

As outras opções de pacotes estão disponíveis neste link. Dependendo do pacote de opções de escolha de carros e pistas, o custo da assinatura do simulador aumenta, chegando a custar mil dólares por ano.

O "jogo" roda localmente no PC, mas a seleção de carro, pista e campeonato é feita via navegador de Internet. Você faz login no endereço members.iracing.com, e vai para uma tela semelhante à representada abaixo.



Como estou começando no iRacing, as únicas opções de campeonatos a correr são: Legends Cup, 24 Heures du Fan e Solstice Challenge, com os mesmos carros que os Pros correm, no entanto, com algumas modificações para que fiquem mais lentos, como diminuição no número de rotações do motor. É preciso disputar algumas provas para fazer um upgrade na sua licença.

Para poder disputar corridas com carros mais potentes e conseguir upgrades nas licenças, é preciso gastar dinheiro, comprando os respectivos carros e pistas necessárias.

Abaixo, um vídeo da primeira prova que disputei, na South Boston Speedway, a bordo do Legends Ford '34 Coupé, configurado na versão Rookie. A prova era de 40 voltas, mas eu não passei da quinta, pois recebi um toque de outro piloto e bati no muro, ocasionando um acidente que acabou envolvendo outros pilotos.



As pistas são bem feitas, com escaneamento a laser, e a consequencia disso pode ser sentida no volante, se configurado para reproduzir o Force Feedback em sua força máxima. Cada imperfeição do asfalto é repassada para o piloto, que chega a cansar seus braços depois de algumas voltas.

A física do carro é realista como no rFactor. O que é diferente em relação ao simulador da Image Space Incorporated é o campo de visão, restrito ao cockpit. Não há opções de visão atrás do carro ou no capô, ou outra visão externa. Além disso, sistema de marchas funciona de forma semelhante nos dois simuladores, pode-se trocar as marchas sem o pedal da embreagem, o que, para mim, foi uma grande decepção no iRacing, pelo que houvia falar que ele prometia. Para mim, o iRacing teria que possuir uma forma de cancelar a mudança de marcha, caso se optasse pela embreagem manual e não se acionasse o pedal antes de trocar a marcha com a alavanca do câmbio.

Com relação ao sistema de "driving aids", apenas o "Auto Clutch" está disponível. Sem ABS, controle de tração ou estabilidade. Quer aprender a pilotar, comece sem ajuda alguma! Mas, para quem tem experiência em outros simuladores, sem ajudas eletrônicas, basta algumas voltas para se acostumar ao ambiente do iRacing e começar a ficar rápido.

Sinceramente, não gostei do iRacing. O formato é interessante, com os sistemas de licenças e reputação, os gráficos são sensacionais, mas é muito caro. Com este preço, você pode manter um Kart por até um ano, dependendo do quanto você anda por mês. Mas, quando sobrar um tempo, vou tentar subir de ranking e incrementar minha licença de pilotagem, já que posso testar até dia 7 de julho.

Talvez você também queira ver...

Postar um comentário