Os apelidos dos pilotos

Alain Prost: "O Professor", pelo seu estilo seguro e preciso.

Andrea de Cesaris: "O Demolidor" ou "Andrea de Crasheris". Em seu ano de estreia pela McLaren, em 1981, destruiu seis carros e bateu cerca de 17 vezes ao longo da temporada.

Ayrton Senna: "Beco", apelido de infância de Ayrton, que era chamado pelos amigos mais próximos de "Becão".

Carlos Reutemann: "El Lole", era assim que o argentino era chamado carinhosamente em seu país natal por seus fanáticos torcedores.

Chris Amon: "O Rei do Azar", nunca venceu uma corrida.

Dale Earnhardt: "O Intimidador", tinha fama de ganhar corridas a qualquer custo. Quando estava atrás de um carro mais lento, Earnhardt realizava a ultrapassagem nem que tivesse de dar uma "batidinha" no adversário.

Dennis Hulme: "O Urso da Nova Zelândia", era um piloto agressivo e determinado ao volante.

Elio de Angelis: "O Gentleman". Herdeiro de uma tradicional família italiana, De Angelis era um sujeito culto e refinado fora das pistas e era conhecido por ser um ótimo pianista. Dentro do carro, também era um dos mais cordiais em disputas de posição.

Emerson Fittipaldi: "O Rato". Quando adolescente, Emerson estava sempre nas oficinas do irmão Wilsinho, fuçando e tentando aprender tudo o que podia. Foi aí que ganhou o apelido. Mais tarde, passou a ser chamado de "Emmo" pelos americanos.

Giovanni Lavaggi: "Johnny Carwash", a tradução literal do seu nome para o inglês.

Giuseppe Farina: "O Advogado Voador" tinha um diploma de doutor pela Universidade de Direito de Turim. Também era conhecido pelo apelido "Nino".

Graham Hill: "Mister Mônaco", venceu cinco vezes o GP de Mônaco, nos anos 1960.

Hiro Matsushita: "King Hiro", mas porquê?

Jack Brabham: "Black Jack", por causa de seu estilo "sombrio" e também por ter cabelos escuros.

Jackie Stewart: "Vesgo", possui um estrabismo quase imperceptível, mas que lhe rendeu este apelido.

James Hunt: "Superstar", era assim que Hunt era chamado pelo Lord Alexander Hesketh, o homem que levou o inglês à Fórmula 1.

José Carlos Pace: "Moco". Conhecido por só responder a perguntas que o interessavam. Nas outras, fazia "ouvidos moucos".

Juan Manuel Fangio: "El Chueco". Na tradução para o português, "o Manco". Isso porque Fangio jogava futebol quando jovem na Argentina e tinha as pernas arqueadas como Garrincha.

Kimi Raikkonen: "O Homem de Gelo". Piloto de personalidade fria e de pouquíssimas palavras, Raikkonen ficou conhecido como o "Iceman" desde o início da carreira na F-1.

Mario Andretti: "Sr.Versátil". Campeão na Fórmula 1, na Fórmula Indy, ganhador de corridas importantes na NASCAR, vencedor de campeonatos de longa duração e até de off-road, Mario Andretti fez por merecer o apelido.

Michael Schumacher: "A Máquina". Por sua capacidade de fazer várias voltas seguidas em ritmo rápido e veloz, Schumacher virou "A Máquina" para a imprensa italiana.

Nelson Piquet: "Sujeira". Este era o apelido de Piquet na época de garoto, quando ele frequentava as oficinas de Brasília. Naquele período, o futuro tricampeão também era conhecido como "Pobreza".

Nick Heidfeld: "Quick Nick", recebeu esse apelido ainda nos tempos de categoria de base.

Niki Lauda: "O Computador", por sua extrema regularidade e consistência, fazia tantas voltas em sequencia no mesmo ritmo que parecia mesmo um computador.

Nigel Mansell: "Il Leone", por sua pilotagem agressiva e valente, na Ferrari.

Roberto Pupo Moreno: "Super Sub". Entre o fim da década de 90 e início dos anos 2000, Moreno se tornou uma espécie de "piloto substituto oficial" da F-Indy, ocupando a vaga de vários pilotos acidentados.

Richard Petty: "The King", pelas suas 200 vitórias e sete títulos da NASCAR.

Ronnie Peterson: "O Piloto-Show". Nunca contornava as curvas da mesma maneira. Colocava o carro de lado, buscando novas trajetórias.

Stirling Moss: "O Campeão sem título". Entre 1955 e 1958, foi quatro vezes vice-campeão de forma consecutiva

Tony Brooks: "O Dentista", pois tinha diploma de dentista.

Valentino Rossi: "Il Dottore", apelido que acompanha Rossi desde seus primeiros anos no Mundial de Motovelocidade e que o italiano faz questão de cultivar.

Vittorio Brambilla: "O Gorila de Monza", piloto folclórico e de personalidade extravagante, Brambilla era muito arrojado dentro de um carro de corridas, às vezes até demais.

Talvez você também queira ver...

Postar um comentário