Quando a Fórmula 1 deu carona (versão com vídeos)

Em 2008, criei um post com fotos de pilotos de Fórmula 1 dando carona a outros em seus próprios carros, após o encerramento das corridas.

Agora, criei a versão em vídeo, com as mesmas cenas dos momentos fotografados.
Se Riccardo Patrese não tivesse parado para Didier Pironi subir em seu carro, ele não ficaria sabendo que tinha vencido o GP de Mônaco de 1982 até chegar aos boxes.
Após o Grande Prêmio do México de 1986, Stefan Johansson e Rene Arnoux ficam a pé. Phillippe Alliot para e oferece carona. No entanto, ao arrancar novamente, o carro apagou. Nelson Piquet vê os três no asfalto e oferece o trabalho de ser chofer deles em sua Williams.
Nigel Mansell vence o Grande Prêmio da Inglaterra de 1991. Ayrton Senna fica no caminho por pane seca. O inglês comete um ato de hospitalidade de anfitrião e oferece uma carona ao brasileiro.
Jean Alesi vence pela primeira vez no GP do Canadá de 1995. Michael Schumacher ficou empenhado na volta de desinstalação. O francês, feliz da vida, oferece-se para ajudar o alemão.
Ao término do Grande Prêmio da Alemanha de 1997, Giancarlo Fisichella vai na boleia da Ferrari de Michael Schumacher, que chegou em segundo lugar. A prova foi vencida por Gerhard Berger, pela Benetton.
Mika Hakkinen domina o GP da Espanha de 2001 de ponta a ponta, até a última volta, quando a embreagem do seu McLaren abre os discos, deixando-o a pé. David Coulthard, seu companheiro de equipe, socorre-o até o pit lane.
Grande Prêmio da Alemanha de 2011. Mark Webber poupa as pernas de Fernando Alonso.

No GP de Cingapura de 2013, Fernando Alonso retribuiu o favor a Mark Webber, que teve problemas com a transmissão a poucas voltas do final da prova.

Lembra de fato semelhante? Poste nos comentários!

Aproveite e veja agora mesmo a versão com fotos.

Talvez você também queira ver...

Postar um comentário