Quatro tipos de amortecedores

Shock Absorber. Common Components: Chassis Mount, Dust Cover, Rod-To-Housing Seal, Piston, Compression and Rebound Valves, Rod, Fluid, Housing, Suspension Mount
Os amortecedores são os principais responsáveis por absorver as irregularidades do solo e proporcionar estabilidade nas curvas. Basicamente, um amortecedor consiste de um tubo selado com óleo, e um pistão, com vários orifícios, percorre o tubo. O óleo passa pelo pistão, e a quantidade que passa determina se o amortecedor será rígido ou macio, afetando diretamente a dirigibilidade e o conforto do veículo.

Há vários tipos de amortecedores no mercado. O funcionamento dos quatro mais usados é explicado abaixo.
KYB Excel-G Este tipo, de tubo duplo, é o mais comum e barato. Além dos orifícios usados para restringir o fluxo de óleo durante a compressão (roda movendo-se para cima) e de rebote (roda movendo-se para baixo), uma válvula [A] (não visível) regula o fluxo entre os tubos interior e exterior. Este fluxo é necessário porque a haste desloca um pouco de óleo que entra no tubo interior. Um saco cheio de nitrogênio aplica uma pressão constante ao óleo, evitando a formação de bolhas. Tenneco Este amortecedor de tubo triplo possui uma válvula [B] controlada por computador, para regular o fluxo de óleo a partir do tubo mais interno, através do segundo tubo concêntrico e, finalmente, ao reservatório mais externo. Um número infinito de configurações está disponível para a compressão e rebote. Vários Audi, Ford, Mercedes- Benz e Volkswagen usam versões deste amortecedor ajustável eletronicamente. KYB Gas-a-Just Todas as válvulas estão localizados sobre o pistão [C] neste amortecedor de tubo único. O gás contido numa câmera separada e selada [D], permite que a haste entre no tubo sem deslocar qualquer quantidade de óleo. A pressão do gás melhora a eficiência e a consistência do amortecimento, razão pela qual este projeto é comum em veículos esportivos. BWI MagneRide Este é um amortecedor de tubo único, onde há bombas elétricas [E] no interior do pistão, que criam um campo magnético. Partículas de ferro em suspensão no óleo se alinham com este campo, para restringir o fluxo de óleo através dos orifícios do pistão. A mudança na corrente elétrica proporciona rápidas alterações no amortecimento. Este projeto é ideal para carros onde as prioridades são o conforto e a esportividade, onde pode haver por parte do motorista uma mudança drástica entre esses dois extremos a qualquer momento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário