Tenneco's Kinetic Suspension: The Anti Anti-Roll Bar


O amortecedor é o "herói desprezado" do sistema de suspensão. Especialistas em melhorias no comportamento dinâmico dos veículos gastam horas de pesquisa para criar componentes com índices de fricção menores, válvulas eletronicamente reguláveis, pressurização de gases e campos magnéticos, dentre outras alternativas.

Os amortecedores tradicionais utilizam orifícios calibrados de fábrica para restringir o fluxo de óleo no cilindro do pistão para suavizar impactos gerados pelo contato dos pneus com o chão, algumas vezes, complicados de negociar.

Melhores dias virão para os amortecedores: o australiano Chris Heyring inventou uma tecnologia que tornou possível controlar o movimento da carroceria de acordo com a velocidade de rotação das rodas, e o nome deste sistema é Tenneco Kinetic.

O sistema Kinetic mantém o curso do pistão em sincronia com o movimento das rodas com um cilindro de óleo semelhante ao de um amortecedor convencional, com a diferença que a manipulação os impactos na suspensão é feita fora das unidades hidráulicas dos amortecedores, de uma forma que vai muito além das válvulas eletrônicas e reservatórios remotos empregados antes.

Uma rede de mangueiras conecta todos os quatro amortecedores a dois acumuladores hidráulicos, que são reservatórios selados que armazenam nitrogênio pressurizado e óleo, separados por uma membrana. Na versão mais aprimorada do sistema Kinetic, há uma bomba que ajusta a pressão dentro dos acumuladores.

Quando uma roda atinge uma ondulação, o movimento do amortecedor despeja certa quantidade de óleo para os acumuladores. Ambos os reservatórios regulam este fluxo de óleo. Forças de amortecimento são produzidas à medida que o óleo passa através de restrições calibradas (orifícios) construídas nas emendas das mangueiras hidráulicas.

No momento em que o carro negocia uma curva, o sistema produz uma resposta muito diferente da reação no impacto em somente uma roda. Agora, o fluxo de saída de óleo de todos os quatro amortecedores vai para apenas um acumulador. O nitrogênio contido no acumulador atua como uma mola, para resistir a esse fluxo. Como resultado, não há necessidade de barras estabilizadoras para manter a carroceria alinhada enquanto enfrenta a força da aceleração lateral.

Como os modos de bump e roll agem de forma independente, o sistema de suspensão Kinetic pode ser ajustado para controlar a resposta a buracos e resistência a curvas. Adicionando orifícios eletronicamente ajustáveis, permite-se o amortecimento de acordo à velocidade do carro e o gosto do motorista. O bombeamento de óleo extra nas mangueiras hidráulicas aumenta a rigidez, o que permite o carro a se comportar como um verdadeiro carro de corrida.

Os fabricantes de supercarros, inevitavelmente, implementaram o sistema Kinetic e o refinaram, como no McLaren MP4-12C, cujo sistema de suspensão foi batizado Proactive Chassis Control.

Para uma melhor compreensão de como o Kinetic Suspension funciona, um vídeo, mostrando o funcionamento do sistema de suspensão de um utilitário esportivo, o Toyota Land Cruiser 150.

Nenhum comentário:

Postar um comentário