"Escola do Rock" forma primeira turma no Rio Grande do Sul

O Curso de Formação de Profissionais e Produtores de Rock da Unisinos, em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, promove um festival no Porão do Beco, em Porto Alegre, nesta quinta-feira (25).

Batizado de "Quinta Crockante", o evento funciona como um trabalho de conclusão de curso, e foi inteiramente produzido pelos alunos, dentro da disciplina Projeto Festival. "Posso dizer que estou tão nervoso quanto qualquer pessoa que vai apresentar uma monografia", confessa Lourenço de Pauli, membro da banda Oh!.

Além deles, tocam no festival os grupos Os Lordes, Sargento Malagueta e De La Rock, todos formados por alunos do curso.

"Não acho que sou um roqueiro 'diplomado', mas me sinto um roqueiro realmente preparado para o mercado", diz Lourenço. Ele lembra que no começo muitas pessoas caçoaram do curso de rock. "Eles perguntavam: 'como é um curso de rock? Vocês vão ter aula de roda punk?' Mas estamos nos formando, e pudemos ver que é um curso muito sério. Nada rígido como Direito ou Administração, mas foi uma formação sólida".

Dono de uma produtora montada com um colega, ele sabe que poderia ter feito sua carreira sem o curso, mas diz que funcionou como um "atalho". "Aprendi coisas que as bandas levam muito tempo para descobrir. As disciplinas relacionadas a planejamento e negociação foram muito importantes".

O músico Frank Jorge, ex-Cascavelettes, atualmente na Graforréia Xilarmônica e em carreira solo, coordenador e fundador do curso, acha que não é só o diploma que vai fazer a diferença. "O mercado existe, mas não posso dizer que todo mundo tem emprego garantido. Nós conseguimos dar uma formação completa e abrangente, em todas as áreas, mas assim como em outras profissões, vai depender do esforço do aluno para conseguir se inserir no mercado", pondera.

Ao longo dos cinco semestres, os alunos tiveram disciplinas como Teoria e Percepção Musical, História do Rock, Legislação, Plano de Negócios, Criação Musical, Produção Musical, Desenvolvimento de Produto Web e Filosofia, Cultura e Ética. O aspecto prático do curso é levado a sério, e muitas aulas acontecem em estúdios em Porto Alegre.

O curso tem 65 alunos, e o vestibular para a próxima turma acontece em dezembro. Quem quiser ser um roqueiro diplomado vai ter que arcar com uma mensalidade de R$ 1.034,85. Uma maneira de saber se vale a pena é ir ao festival em Porto Alegre e ver o resultado ao vivo, em cima do palco.

Talvez você também queira ver...

Postar um comentário