Carros testam níveis de deslizamento de pistas de aeroportos


Pistas de pouso longas e lisas como gelo oferecem dificuldades para a decolagem ou pouso de um avião lotado de passageiros. Em nome da segurança, os aeroportos gostam de saber o quão escorregadia está a pista, para que os Boeing e Airbus possam ajustar as distâncias de frenagem sem derrapar nas extremidades da pista.

Antigamente, essa tarefa era relegada a um skiddometer, um reboque puxado por um caminhão ou algum outro veículo pesado. As deficiências dessa configuração ficaram claras desde o início, e os aeroportos procuraram por algo mais simples de testar. Na Suécia, terra de Saab e Volvo, isso fica fácil.

A Saab começou a produzir veículos especiais para medir o atrito das pistas dos aeroportos no início dos anos 1970. Vários modelos foram equipados. Como funciona?

Uma quinta roda é montada na traseira e conectada às rodas através de uma corrente de transmissão. Ela é pressionada para baixo por uma força de 136 Kg quando o carro está em velocidade. Um deslizamento entre 10% e 15% dessa roda permite cálculos constantemente variáveis do atrito oferecido pela superfície. Os sensores do carro transmitem sua leitura para as torres de controle em tempo real, permitindo mudanças imediatas e precisas nos requisitos de frenagem das aeronaves.

Vários aeroportos do mundo inteiro passaram a utilizar esses testadores da Saab, por exemplo, os de Munique, Oslo, Washington DC, Chicago, Albany e Buffalo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário