sábado, 29 de outubro de 2011

Nur für fortgeschrittene. Der neue Golf GTI.


Linha de Chegada Entrevista: Bird Clemente e Fritz d’Orey


Replicantes - 25 Anos


Em parceria com o selo/estúdio Marquise 51 e a produtora Baixada Filmes, o Replicantes prepara o documentário "Replicantes - 25 Anos" e conta com a ajuda de amigos e fãs para colaborarem na realização do projeto, que está orçado em R$ 120.765,60.

Todos poderão ajudar em valores que vão a partir de R$ 5 a valores acima de R$ 10.000, valor que dará ao investidor um show exclusivo da banda, K7 autografados, exemplares do DVD e ingresso vitalício a shows da banda em qualquer lugar do país.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

VW 1600 Brasília. Uma nova dimensão de carro.


Porsche 911 GT3 Cup - Laguna Seca Raceway - Spencer Pumpelly - Onboard


Review de CD: III - Chickenfoot

Capa do ÁlbumPra começo de conversa, a música do grupo está mais swingada, tem mais groove, está mais malandra. O alto astral se mantém lá em cima, naquela sonoridade ensolarada característica de todo trabalho que envolve Sammy Hagar. Ao invés de seguir um caminho semelhante ao do primeiro disco, a banda inseriu, corajosamente, elementos de outros gêneros em sua música, como pop, soul e blues, em uma variação que surpreenderá o ouvinte. Dessa maneira, "Chickenfoot III" é um trabalho inesperadamente diversificado, o que poderá decepcionar um pouco quem está esperando um cópia do debut.

A qualidade e a experiência de Hagar, Satriani, Anthony e Smith é um diferencial tremendo, e juntar os quatro em uma mesma banda é covardia. Assim, tudo exala um bom gosto e uma classe difíceis de serem encontradas por aí. Sammy continua sendo uma dos melhores vozes do hard rock, cantando de maneira brilhante. Michael, além de um baixista inquestionável, é dono de um dos melhores backing vocals do som pesado. A banda sabe disso, e usa esse fator a seu favor. E Chad Smith impressiona por tocar, mais uma vez, de uma maneira totalmente diferente daquela que estamos acostumados a ouvir no Red Hot Chili Peppers, reinventando-se de uma forma possível apenas para quem é grande em seu instrumento.

O mais legal no Chickenfoot, porém, é poder escutar um músico do gabarito de Joe Satriani, inegavelmente um dos maiores guitarristas da história, acompanhado por uma banda de verdade e não apenas gravando discos solos instrumentais. A técnica de Satriani é inigualável, e vê-lo usando tudo o que sabe nas composições do Chickenfoot, respeitando as dinâmicas de cada músico e assumindo o protagonismo na hora certa, é sensacional. Ainda sobre a guitarra, vale um comentário: o timbre de Satriani no disco é de outro mundo, com doses certeiras de distorção, porém mantendo um som mais limpo em seu instrumento, que sai das caixas de som de forma cristalina.

Quem curtiu o primeiro disco irá adorar as ótimas "Alright, Alright", "Up Next" e "Big Foot". A banda surpreende ao entrar sem medo no território do soul em "Come Closer", e o resultado é muito positivo. "Dubai Blues", com sua estrutura feita sob medida para a inserção de jams nas apresentações ao vivo, mostra o quarteto em um blues rock clássico, enquanto "Something Going Wrong" é outra surpresa e tanto, uma belíssima faixa contemplativa construída com violões e banjos. Merece menção também "Three and a Half Letters", cuja letra retrata o delicado momento econômico vivido pelos Estados Unidos através de trechos de cartas enviadas pelos fãs para a banda. Sem dúvida, uma maneira inusitada de tratar de um problema que preocupa não apenas os norte-americanos, mas todo o mundo.

"Chickenfoot III" é um excelente disco. Diferente da estreia, com certeza, e por isso mesmo, em diversos momentos, tão surpreendente. O legal é que ele sairá por aqui via Hellion Records, que também lançará o primeiro álbum do quarteto, até então inédito no Brasil, em uma caprichada edição dupla cheia de bônus.

Quem gosta de música, tem que ouvir!

Faixas:
Last Temptation
Alright Alright
Different Devil
Up Next
Lighten Up
Come Closer
Three and a Half Letters
Big Foot
Dubai Blues
Something Going Wrong
(Hidden Untitled Bonus Track)

Whiplash

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Suzuki GSX-R 1000. So macht man sich Feinde.


CCG customGT


Um novo superesportivo está surgindo na Alemanha. A CCG, especializada na restauração de veículos esportivos clássicos, anunciou o lançamento do customGT, uma máquina que combina baixo peso com muita potência. Com apenas 960 kg (até 1040 kg, com adição de acessórios), o customGT é mais leve que esportivos consagrados, como a Ferrari F430 Scuderia, que pesa 1.250 kg.

O veículo pode ser equipado com duas opções de motorização, 6.0 V8 (444 CV / 560 Nm) ou 7.0 V8 (542 CV / 605 Nm), disponíveis no Chevrolet Corvette. Ainda é possível sobrealimentar o motor 7.0 V8, caso o cliente deseje, podendo atingir a potência de 730 CV. De acordo com a fabricante, o customGT com a opção mais forte de motorização vai de 0 a 100 km/h em menos de 3,3 segundos e pode chegar a 320 km/h. Caso o cliente prefira, tem a opção de converter seu veículo para usar gás liquefeito de petróleo (LPG). Com isso, a CCG diz que o customGT pode chegar aos 300 km/h gastando apenas de 15 a 20 litros de gás a cada 100 quilômetros rodados.

Por dentro, o acabamento usa materiais como Alcântara e couro. Por ser um veículo de produção artesanal, o interior pode ser completamente personalizado, de acordo com a preferência do cliente. A transmissão, de seis velocidades, pode ser manual ou semi-automática, e a tração é traseira. O CustomGT é feito de um chassi tubular com a carroceria feita de partes de fibra de carbono e fibra de vidro. O valor do carro será de 113.500 euros.

Infineon Raceway - J. R. Hildebrand - Panther Racing - Onboard


quarta-feira, 26 de outubro de 2011

You'll think you can. Volkswagen Polo.


Lamborghini vs. Porsche: The Tractor Challenge


Lamborghini e Porsche são sinônimos de supercarros, mas o que poucos sabem é que estas marcas já construíram tratores no passado. Esses dois alemães resolveram realizar uma competição a la Top Gear entre seus tratores, com provas de velocidade, força e agilidade.

Ferrari 458 Challenge - Sepang International Circuit - Philip Ma - Onboard


terça-feira, 25 de outubro de 2011

Uma imagem

Grand Prix Of America Track Layout
Quem estiver nas arquibancadas da reta de chegada poderão ver os carros passarem do outro lado?

Volkswagen Polo GTi. Not for beginners.


Romeo Ferraris Cinquone Stradale


A empresa italiana de tuning Romeo Ferraris fez uma versão do Abarth 500 Cinquone Modigliani legalizada para as ruas. Revelado no Autodromo di Vallelunga, o Cinquone Stradale mantém a mesma aparência da carroceria do carro de competição. Além disso, tem um novo capô com duas entradas de ar, para-choque dianteiro com uma grande entrada de ar central, para-lamas e saias laterais integradas e um para-choque traseiro com escape central e difusor.

O motor também é o mesmo 1.4 do Abarth 500 original, mas recebe um novo sistema de exaustão e um conversor catalítico metálico, injeção eletrônica remapeada e um turbocompressor maior. O resultado da transformação são 300 CV de potência, apenas 60 a menos que o carro de corrida da marca. No interior, o banco traseiro foi removido e substituído por uma barra estabilizadora traseira. O painel é coberto com camurça e bancos de competição em fibra de carbono, com cintos de segurança OMP de quatro pontos completam o conjunto.

O Cinquone Stradale pesa 1.000 kg, cem a menos que o carro de corrida. Maiores detalhes e dados de performance serão revelados nas próximas semanas.

"Rock Brasília" refaz a trajetória das bandas dos anos 80


O punk rock inglês, que chegava à Brasília via LPs trazidos pelos filhos de diplomatas, a influência cultural da Universidade de Brasília (UnB) e o início da abertura política são elementos-chave no surgimento de bandas brasilienses que marcaram o rock do país. Vladimir Carvalho entrevista integrantes da Plebe Rude, do Capital Inicial e Legião Urbana. Renato Russo surge em imagens de arquivo captadas pelo próprio cineasta, parte das cerca de oito horas filmadas por ele sobre o assunto, desde o fim dos anos 1980.

Foram entrevistados também os pais daqueles hoje não tão jovens músicos, mostrando que os roqueiros brasilienses tinham uma origem social e cultural muito distinta dos punks de origem proletária da Inglaterra. Entre os depoimentos paternos, o mais emocionante fica a cargo do ex-professor da UnB Briquet de Lemos, pai de Flávio e Fê Lemos, baixista e baterista do Capital Inicial.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Volkswagen Santana. Estilo, conforto e desempenho. A tecnologia Volkswagen em constante evolução.


2012 BMW S 1000 RR


A BMW apresenta a nova geração da S 1000 RR, modelo superesportivo que procura, segundo a própria marca, entregar uma pilotagem mais ágil e precisa, além de uma resposta mais exata do acelerador. O desempenho do motor, que continua com 195 CV de potência, não foi alterado. A transmissão secundária está mais curta e o escapamento foi redesenhado e reposicionado. Mesmo com as poucas mudanças nessa área, a BMW defende que a entrega dessa cifra se tornou mais linear, além disso, há quatro modos de locomoção: Rain, Sport, Race e Slick. Já a suspensão teve sua geometria totalmente revisada, o que permitiu melhoras no sistema de amortecimento. De acordo com a BMW, tais modificações foram fundamentais para impulsionar a dinâmica de condução.

O painel de instrumentos foi redesenhado para melhor leitura e ganhou novas funções, por exemplo, o cronômetro apresenta agora qual foi a melhor volta já realizada, e um alerta de velocidade excessiva, que pode ajudar a evitar multas. Quanto ao design, a nova versão da S 1000 R também deu um passo à frente. A traseira conta agora com um visual consideravelmente mais estreito, e os painéis laterais sofreram mudanças discretas. O modelo conta também com novas cores: vermelha, azul e bicolor (vermelha e branca).

The new BMW S 1000 RR.

Scarcely two years after the launch in 2009, BMW Motorrad is now presenting the revised model of this successful supersports bike, now with many optimised details. The primary objectives were even greater riding precision and agility, a punchier power buildup, and a more sensitive response. The revised model of the S 1000 RR has incorporated quite a few feedback reports from national super stock races.

Like its predecessor, the new RR knows no compromise, providing the highest level of sporting character and riding dynamics. The convincing features of the new S 1000 RR are its improved handling with absolute riding stability, supreme engine performance with perfect everyday practicality, and a resounding dynamic performance. The highest level of active safety is safeguarded by the most advanced brake system today on the market, the BMW Motorrad Race ABS. When accelerating, the rider is supported by the Dynamic Traction Control system DTC. Both of these systems have been optimised for the perfect interaction.

There have been no changes to the superior engine power of
142 kW (193 hp) with a weight of only 204 kilograms including 90% fuel (206.5 weight with Race ABS).

Concept with optimised riding dynamics.

One of the primary objectives pursued for the revised S 1000 RR model was to improve ridability by boosting thrust and enhancing the linearity and harmoniousness of the power and torque curves. The reconfigured throttle improves overall response.

The new, optimised design raises response sensitivity, tightens the twistgrip angle, and reduces the twisting force.

Suspension with improved handling and feedback.

The modifications to the new RR suspension have been instrumental in boosting its riding dynamics. For instance, the upside down fork and the spring strut feature a new internal structure, providing an even wider range of damping forces from comfort to performance.

Moreover, the suspension geometry has been modified with new values for the steering head angle, offset, position of the swing arm pivot, fork projection, and spring strut length to yield even better handling, steering accuracy, and feedback for the new S 1000 RR. This has required modifications to the main frame that also included enlarging the cross sectional area of the intake air guide through the steering head for greater air flow efficiency. This package of suspension optimisations is rounded off by an adjustable mechanical steering damper.

Instrument cluster with new functions.

The engine speed display has been redesigned for better readability. In addition, the display can now be dimmed and provides more functions. For instance, the lap timer can now present "Best lap in progress", and if required, "Speedwarning" can inform the rider when he exceeds a particular speed.

Refined design and new colours.

The new S 1000 RR not only benefits from the advanced developments for the engine, suspension, and cockpit. It has also gained yet another step ahead in terms of design. The tail section now presents a considerably leaner look. There have been some discrete changes to the asymmetrical side panels, and the centre airbox cover now sports side aperture grilles. On the top part of the panels, a new, telling identifying feature takes the form of two winglets that enhance the aerodynamic qualities.

In the most sporting colour combination of Racing red and Alpine white, the RR exudes power and speed even when it is stationary, whereas plain Bluefire lends it a decidedly extravagant look.

Sporty dynamics is conveyed by Sapphire black metallic, and in BMW Motorrad Motorsport colours, the new S 1000 RR testifies to its direct relationship with BMW Motorrad Motorsport. The distinctive RR logo has been slightly modified.

Additional visual accents take the form of wheels painted in glossy black and the red spring in the central strut. The matching swing arm either presents an anodised coating or is kept in black.

Also the ergonomics has been improved in the form of new heel plates for the rider. The stabilisers on the passenger footrests have now been designed for a leaner look.

Extended range of optional extra and special equipment.

For individualising the new S 1000 RR, BMW Motorrad is expanding its range of optional extras and special equipment ex works with a number of attractive features. Riders with a particularly sporty bent can now equip their RR with an HP titanium exhaust system (with or without ABE) or the HP race data logger. Also the heated grips offering two levels and fitted as optional extra can take the bite out of the early morning run on the racetrack or longer rides in cold weather.

The new features at a glance

• Optimised torque curve for improved ridability.

• Expansion from two to three performance curves (one each for Rain and Sport modes and an additional one for Race and Slick modes); Rain mode now 120 kW (163 hp).

• Reconfigured throttle for enhanced response (particularly gentle and sensitive acceleration in Rain mode, and immediately direct and spontaneous response in Sport, Race, and Slick modes).

• Reduced twisting force and tighter twistgrip angle.

• Smaller secondary ratio for boosted thrust.

• Refined tuning between Race ABS and Dynamic Traction Control (DTC).

• Enlarged cross sectional area of the intake air guide through the steering head for greater air flow efficiency.

• Better handling, steering accuracy, and feedback.

• Revised spring elements for an even wider range of damping forces.

• Suspension geometry modified with new values for the steering head angle, offset, position of the swing arm pivot, fork projection, and spring strut length.

• New mechanical steering damper adjustable over ten levels.

• Forged and milled fork bridge in a new design and with a smaller offset.

• Revised design with a leaner tail section, redesigned side panels, centre airbox cover with side aperture grilles, and winglets.

• For new colour variants: plain Racing Red with Alpine white, Bluefire, Sapphire black metallic, BMW Motorrad Motorsport colours.

• Revised RR logo.

• New heel plates and leaner stabilisers on the passenger footrests.

• Redesigned LCD engine speed display for better readability and with five dimming levels.

• Instrument cluster with the new functions "Best lap in progress" and "Speedwarning"; deactivation of "Lamp" fault message when headlamp or number plate carrier removed.

• Catalytic converters relocated, so no heat shield necessary.

• Expansion to the optional extras and special equipment ex works.

Hyundai Azera de pedalar


Depois do Porsche de pedalar, artistas chineses criaram um Hyundai Azera em tamanho real e movido à propulsão humana, com componentes oriundos de bicicletas. Com o trabalho concluído, circularam pelas ruas para tentar cumprir tarefas do cotidiano, como entregar o veículo a manobristas e passar em um posto de gasolina.

domingo, 23 de outubro de 2011

Aqui ele é um carro. Aqui ele é um Pampa.


Vencedor de concurso ganha chance de pilotar um Fórmula 1


Dezessete finalistas da competição "Drive of a Lifetime", realizado pela Johnnie Walker, visitaram a sede da equipe de Fórmula 1 e da marca automotiva, e participaram de um evento de três dias, organizado pela Palmer Motorsport, que incluiu preparações física e mental, além de pilotagens em monopostos e carros de passeio.

Durante esse tempo, foi testada a capacidade de todos os concorrentes para, no último dia, o melhor deles ser escolhido para ocupar o assento do McLaren MP4/23, carro com o qual Lewis Hamilton conquistou o título de 2008. Djordje Simic, o vencedor, ganhou a oportunidade de pilotar o carro.

"Isto, realmente, foi a chance de uma vida inteira! É uma tremenda honra para mim ter a oportunidade de pilotar um carro de Fórmula 1. Sempre foi um sonho para mim pilotar um F1 da McLaren, e me sinto orgulhoso de poder mostrar aos jurados da competição que teria o controle e a habilidade necessárias para tal", disse Djordje.

"Estou realmente impressionado com Djordje, pelo que demonstrou a bordo do carro. Pôs muito bem em prática as instruções recebidas durante os três dias da competição. Estava um pouco preocupado com Simic e o carro, mas Djordje foi melhorando a cada volta e, no final, sua performance estava consistente e rápida”, disse Lewis Hamilton.

“Pilotar um carro de Fórmula 1 é muito difícil, mas Djordje foi muito bem para uma primeira vez”, disse Mika Häkkinen.

Teminando a montagem da Ferrari 458 Italia




Parte 1: construindo o motor V8 da Ferrari 458 Italia
Parte 2: construindo o chassis da Ferrari 458 Italia
Parte 3: pintando a carroceria da Ferrari 458 Italia
Parte 4: terminando a montagem da Ferrari 458 Italia
KART CROSS | DRIVETRIBE | BECOME A MEMBER